segunda-feira, 17 de julho de 2017

Algumas observações sobre a reunião dos Biblistas Mineiros em 2017

Ontem, após ler o relatório da reunião dos Biblistas Mineiros em 2017, encaminhei ao Telmo José Amaral de Figueiredo o e-mail abaixo e sugeri fosse redistribuído a todo o grupo. O que foi feito. E hoje, depois de escrever um post sobre a reunião, pareceu-me proveitoso publicar também este e-mail [suprimindo, no final, poucas linhas de teor mais pessoal].


Telmo,

Acabei de ler o seu relato da reunião dos Biblistas Mineiros em 2017. Muito interessante. Até amanhã vou publicar um post sobre a reunião, como sempre tenho feito, tenha ou não participado. Creio ser mais uma maneira de divulgar a revista Estudos Bíblicos e dar a conhecer aos interessados a existência e/ou continuidade do "quase lendário" (por sua persistência e consistência - com louvores a Alberto Antoniazzi, o primeiro e grande articulador) grupo dos Biblistas Mineiros.


Algumas observações:

1. Sobre meu artigo

a. Para tornar o assunto mais leve, penso em utilizar uma forma mais narrativa, menos técnica, por ser realmente árido o tema para o leitor culto mas sem conhecimento específico nesta área.

b. Planejo tratar, em meu texto, exclusivamente dos textos mesopotâmicos, sem trabalhar a relação destes com o mundo bíblico. Esta tarefa eu a deixaria com o Jacir (Gn 1), para o caso do Enuma Elish e com a Rita Maria Gomes (Gn 6,5-9,17) para a Epopeia de Gilgámesh [e Atrahasis?]. Espero que o meu texto seja útil ao clarear para o leitor o pano de fundo das culturas mesopotâmicas sobre o qual são escritos os textos bíblicos, especialmente o relato sacerdotal (P) de criação e dilúvio. Agora, isto precisa ser combinado para não dar problema de lacuna ou de repetição no tratamento do tema. Você pode repassar para eles a minha proposta.

c. Por ser uma área apenas secundária em nossos estudos bíblicos, corremos o risco de utilizar textos desatualizados para os estudos do Antigo Oriente Médio. Precisamos ficar atentos a isto e também, na elaboração do artigo, ter uma coerência na citação das fontes hoje utilizadas pela academia. Basicamente, em termos de tradução de textos literários acádicos, devemos evitar quase tudo o que foi publicado antes de 1980 ou até mais para cá. O que estou querendo dizer? Explico nos itens seguintes.

d. Nossa referência como coletânea de textos do ANE era tradicionalmente o  PRITCHARD, J. B. (ed.) Ancient Near Eastern Texts Relating to the Old Testament (ANET). 3. ed. Princeton: Princeton University Press, 1969. Ainda podemos utilizar vários dos textos ali presentes, mas não os do Enuma Elish e da Epopeia de Gilgámesh, por exemplo, porque foram feitas descobertas posteriores de textos e traduções e estudos muito melhores foram realizados, especialmente no final do século XX e início do XXI. O substituto natural do Pritchard é o HALLO, W. W. ; YOUNGER, K. L. (eds.) The Context of Scripture: Canonical Compositions, Monumental Inscriptions and Archival Documents from the Biblical World.  3 vols. Leiden: Brill, 2003. Com a desvantagem de ser muito caro, mais de 300 dólares pelos três volumes.

Confira mais sobre isso clicando aqui.

e. O texto acadêmico padrão do Enuma Elish é atualmente o de LAMBERT, W. G. Babylonian Creation Myths. Winona Lake, Indiana: Eisenbrauns, 2013. A reconstrução de W. G. Lambert, o mais importante assiriologista britânico do final do século XX e começo do XXI, professor da Universidade de Birmingham, falecido em 2011, está publicada em outros livros e parcialmente na web, como no CDLI - Cuneiform Digital Library Initiative.

Sobre o Enuma Elish vale consultar o artigo de BRANDÃO, J. L. No princípio era a água. Rev. UFMG, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 22-41, 2013. Disponível online

Confira mais sobre isso clicando aqui.

f. O texto acadêmico padrão da Epopeia de Gilgámesh é atualmente o de GEORGE, A. R. The Babylonian Gilgamesh Epic: Introduction, Critical Edition and Cuneiform Texts. 2 vols. Oxford: Oxford University Press, 2003. Esta tradução da Epopeia de Gilgámesh, feita por Andrew R. George, professor de babilônico na Universidade de Londres, assim como a de W. G. Lambert para o Enuma Elish, é uma unanimidade entre os assiriólogos. E interessante: está disponível para download na instituição em que A. R. George leciona.

Ainda: do mesmo autor, com a mesma tradução, em publicação para o público culto, e não para a academia, como o anterior, existe GEORGE, A. R. The Epic of Gilgamesh: The Babylonian Epic Poem and Other Texts in Akkadian and Sumerian. Rev. ed. Harmondsworth: Penguin, 2016. 

Sobre a Epopeia de Gilgámesh recomendo consultar, sem dúvida, dois artigos de J. L. Brandão, da UFMG. Confira aqui. J. L. Brandão vai publicar um livro sobre a Epopeia de Gilgámesh, que poderá se tornar o texto padrão em português.


Diz J. L. Brandão em Sîn-lēqi-unninni, Ele o abismo viu (Série de Gilgámesh 1). Nuntius Antiquus, Belo Horizonte, v. X, n. 2, jul.-dez., p. 125-159, 2014:

"Esta não constitui a primeira tradução para o português, pois contamos com o livro de Ordep Trindade Serra, A mais antiga epopeia do mundo: a gesta de Gilgamesh, publicado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia, em 1985, trabalho de excelente qualidade e atualizado com relação à época em que foi escrito. O aparecimento da edição crítica de Andrew R. George, The Babylonian Gilgamesh Epic: introduction, critical edition and cuneiform texts (Oxford: Oxford University Press, 2003), marca, contudo, uma nova etapa para o conhecimento do poema, impondo por igual novos esforços de tradução. O texto crítico de George substitui as edições anteriores, em especial a de R. Campbell Thompson, publicada ainda em 1930, primando pelo detalhe, pela exatidão e pelo domínio dos métodos críticos em todas as suas dimensões. Acrescente-se que foram compulsados por ele todos os manuscritos descobertos ou disponibilizados depois de 1930, o que provê um considerável volume de leituras e informações novas. Esta é uma das razões de minha tradução, o dispormos agora de um novo texto crítico, o que exige, em certo sentido, que todas as traduções sejam refeitas, a outra, dela decorrente, sendo a possibilidade de traduzir não um apanhado de textos distintos muitíssimo fragmentados a fim de apresentar um fio narrativo mínimo, como se fez no passado, mas um poema inteiro, o que se intitula Ele o abismo viu, de que conhecemos inclusive o “autor”, Sîn-lēqi-unninni".

Considerando esta perspectiva, creio que o texto sugerido para o Jacir, o de HEIDEL, Alexander. The Gilgamesh Epic and Old Testament Parallels. 2nd edition. Chicago (IL): University of Chicago Press, 1963, disponível gratuitamente no site da Universidade de Chicago, foi ultrapassado pelas novas descobertas, pois, na verdade, ele é de 1949 [primeira edição: 1946; segunda edição: 1949]. Todas as referências bibliográficas param na década de 40. Heidel faleceu em 1955. Consultei o texto e optei por deixá-lo de lado. Mas, como tradução, não sei avaliá-lo. Quanto ao estudo do texto, há alternativas ótimas e mais recentes e há mudanças de perspectiva em vários pontos daquela época para hoje. 

Confira mais sobre isso clicando aqui.

g. Sobre a Epopeia de Atrahasis ainda não estou certo sobre a melhor tradução a ser utilizada, mas sei que o melhor estudo está em francês e é: BOTTÉRO, J. ; KRAMER, S. N. Lorsque les dieux faisaient l'homme: Mythologie Mésopotamienne. Paris: Gallimard, 1993. Já o tenho, mas ainda não o li.

Confira mais sobre isso clicando aqui

h. Conheço o trabalho de Marcelo Rede, que estudou também com Bouzon, mas não detectei nenhuma publicação diretamente ligada ao tema das cosmogonias e outras histórias literárias da antiga Mesopotâmia. Nem mesmo o livro mencionado: Família e Patrimônio na Antiga Mesopotâmia, 2007, que é um estudo de outra área.

i. Tenho quase todos os estudos mencionados em minha bibliografia. Em formato digital, em pdf. Desde 1999 venho estudando o tema, quando orientei um seminário no CEARP sobre "Cosmogonias antigas e cosmologias modernas". Para 15 alunos que se inscreveram, do primeiro ao quarto ano, durante um ano inteiro. Na ocasião usei como guia para as cosmogonias antigas o estudo de CLIFFORD, R. J. Creation Accounts in the Ancient Near East and in the Bible. Washington: The Catholic Biblical Association of America, 1994, além dos textos de Pritchard. Clifford ainda é válido para uma boa parte dos textos. Usei também trechos traduzidos em português, mas os considero muito precários e pouco confiáveis.


2. Quem seria o leitor de Estudos Bíblicos hoje?

Uma dificuldade que tenho, de uns anos para cá, é a de definir quem seria o leitor da Estudos Bíblicos atualmente. Nossos alunos de graduação em Teologia, pelo menos por estas bandas, estão lendo cada vez menos livros e revistas impressas e cada vez mais textos online, e isto de maneira fragmentada, não linear. Talvez por isso, o interesse na Estudos Bíblicos, segundo minhas limitadas observações, seja muito pequeno, diria até que quase inexistente onde leciono, a não ser quando uso textos publicados como bibliografia em sala de aula. E digo mais: não sei se é mais amplo, mas não vejo meus colegas de outras áreas da Teologia interessados em ler o que estamos produzindo. Quanto a estudantes de pós-graduação e pessoas cultas interessadas, estas por causa da atividade pastoral ou por qualquer outra motivação, não sei dizer. Estamos alcançando este público? A urgência de um formato digital, online, aberto a todos, é enorme, no meu entender.


3. Sobre o livro com o tema do número 88 da Estudos Bíblicos

Se o projeto de publicar o livro com o material do número 88 da Estudos Bíblicos vingar, preciso refazer meu artigo sobre a bibliografia comentada para a OHDtr. Ou eliminá-lo. Isto porque a bibliografia para em 2006 e está desatualizada, precisa chegar até hoje, penso. E há livros, como um do Thomas Römer, que depois da escrita do artigo, já foi até traduzido para o português: RÖMER, T.  A chamada história deuteronomista: Introdução sociológica, histórica e literária. Petrópolis: Vozes, 2008. Original: RÖMER, T. The So-Called Deuteronomistic History: A Sociological, Historical and Literary Introduction. London: T&T Clark, 2006. 

E em meu artigo sobre "O Contexto da Obra Histórica Deuteronomista", o outro que está neste número, há um provável erro na p. 14 - provável porque a questão ainda é discutida - quando digo que Sargão II é filho de Salmanasar V. É mais provável que seja irmão. Talvez seja um dos filhos mais novos de Tiglat-Pileser III e as circunstâncias em que seu irmão Salmanasar V morreu são obscuras. Um golpe de Estado através de um assassinato planejado por Sargão II? De qualquer maneira, é preciso mudar de "filho" para "irmão", correção pequena. Mas, veja que curioso: na cronologia da Bíblia de Jerusalém está errado, diz "filho"... Se quiser ler sobre o assunto, um bom texto online está aqui.


É isto. Seria útil se você repassasse este texto para os colegas do grupo, não acha? Quanto mais coordenado for nosso trabalho, melhor será a publicação.

...

Obs.: Telmo encaminhou hoje o texto acima para o grupo dos Biblistas Mineiros, com algumas recomendações [cito Telmo, com algumas modificações]:

Segue abaixo, mensagem recebida do Prof. Airton José da Silva, membro de nosso grupo de biblistas.

Ele nos faz algumas recomendações e observações muito pertinentes e que deveriam ser levadas em consideração por todos que escreverão artigos para o próximo número da revista Estudos Bíblicos sob a nossa responsabilidade, cujo título será: «Gênesis – Apocalipse sem fundamentalismos».

Qualquer necessidade de maiores esclarecimentos, podemos nos dirigir a ele por meio do e-mail airtonjo[at]airtonjo[dot]com

Importante: comprovando a atualidade do tema que escolhemos para este número de Estudos Bíblicos, convido todos a ler um interessante artigo publicado pela revista jesuíta italiana La Civiltà Cattolica e traduzido pelo IHU Online: Fundamentalismo evangélico e integralismo católico: um "ecumenismo do ódio". O texto em italiano é: Fondamentalismo evangelicale e integralismo cattolico: un sorprendente ecumenismo.

Reunião dos Biblistas Mineiros em 2017

No dia 10 deste mês de julho os Biblistas Mineiros estiveram reunidos na FAJE - Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia -, em Belo Horizonte, MG, debatendo sobre o próximo número da revista Estudos Bíblicos.

Como definido no ano passado, abordaremos o tema do fundamentalismo no próximo número de Estudos Bíblicos produzida pelos Biblistas Mineiros, que será o primeiro de 2018. Por isso, o assunto principal foi a revisão dos artigos ou esboços de artigos do próximo número da revista.

Como não pude estar presente, retomo aqui alguns pontos do relato de nosso Coordenador/Secretário Telmo José Amaral de Figueiredo.


Estavam presentes:
  • Elisabete Corazza
  • Fábio Cristiano Rabelo
  • Jacir de Freitas Faria
  • Jaldemir Vitório
  • Johan Konings
  • José Luiz Gonzaga do Prado
  • Luiz Felipe Xavier
  • Márcia Eloi Rodrigues
  • Marcus Aurélio Alves Mareano
  • Maria del Rocío Mariscal Guzmán
  • Solange Maria do Carmo
  • Suresh Periyasamy (Cyril)
  • Telmo José Amaral de Figueiredo
  • Zuleica Aparecida Silvano


Ausências justificadas:
  • Airton José da Silva
  • Felipe Curcio Ferreira Silva
  • Gilmar Fate
  • Jacil Rodrigues
  • Maria de Lourdes Augusta
  • Neuza Silveira de Souza
  • Pascal Peuzé
  • Rita Maria Gomes
  • Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa


Os artigos são os seguintes:
  • O que é o fundamentalismo e como ele surgiu? – José Luiz Gonzaga do Prado
  • O que significam as histórias da Bíblia? – Telmo José Amaral de Figueiredo
  • Um Decálogo para Ler a Bíblia – Jaldemir Vitório
  • Histórias de criação e dilúvio na antiga Mesopotâmia – Airton José da Silva
  • Gênesis 1,1-2,4a: a criação do mundo – Jacir de Freitas Faria
  • Gênesis 2,4b-25: a criação do ser humano – Neuza Silveira de Souza & Maria de Lourdes Augusta
  • Gênesis 3,1-24: a queda – Johan Konings
  • Gênesis 6,5-9,17: o dilúvio como recriação – Rita Maria Gomes
  • Apocalipse 12: a mulher e o dragão – Solange Maria do Carmo
  • Apocalipse 13: as “feras” – Gilmar Ferreira da Silva
  • O julgamento final segundo o Apocalipse – Marcus Aurélio Alves Mareano

Todos os artigos devem ser entregues ao coordenador até final de outubro de 2017.  Após várias propostas e ponderações, optou-se pelo seguinte título para este número de Estudos Bíblicos: Gênesis – Apocalipse sem fundamentalismos.

Além disso foram debatidos outros assuntos:

:: Seminário do PIB para professores de Bíblia em 2018

:: Tese de Doutorado do Telmo
Aos interessados, já está disponível na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo (USP), a tese de Telmo José Amaral de Figueiredo, defendida em 22.02.2017, sob o título: "Um nome que faz toda diferença: análise literária de Gênesis 32,23-33".

Resumo:
Esta tese tem por objetivo analisar a perícope de Gênesis 32,23-33 que constitui um dos elementos estruturantes do conhecido ciclo de Jacó que integra a história dos patriarcas de Israel na Bíblia Hebraica. Jacó é tomado como um dos principais ancestrais do povo judeu, não obstante sua tradição, em alguns períodos da história, ter ficado em plano inferior àquela de Moisés, por exemplo. Em Jacó convergem as esperanças de uma parte da nação que não se vê contemplada pela religião oficial que administra um culto a YHWH distante da realidade vivida pelas famílias tribais, que habitam no interior, em pequenos vilarejos e no campo. O nome dado a Jacó, em meio a uma luta, é significativo e revelador. Afinal, ele não é, nem de longe, a figura perfeita, ideal que as tradições religiosas dominantes exigiam para alguém ser considerado um verdadeiro israelita temente ao Senhor. Sua liderança e dignidade chegam, mesmo, a ser questionadas pelo profetismo. Não obstante tudo isso, é sua pessoa que encarnará, através de um nome recebido do próprio ser divino, os destinos de Israel. Personagem e indivíduo se mesclam propositalmente, a fim de revelar a verdadeira vocação daquele povo.

:: Algumas novidades editoriais bíblicas no Brasil
  • A Bíblia – Salmos (edição comentada), Paulinas, 2017
  • Emanuel TOV, Crítica Textual da Bíblica Hebraica, BV Books, 2017
  • Bíblia de Estudo da Reforma, SBB, 2017
  • Jaldemir VITÓRIO, Mateus: O evangelho eclesial, Loyola, 2017
  • José Luiz GONZAGA DO PRADO, Os Evangelhos Dominicais e Festivos Refletidos em Grupo, Vozes, 2017
  • Mauro PESCE, De Jesus ao Cristianismo, Loyola, 2017
  • Johan KONINGS, O Evangelho do Discípulo Amado: um olhar inicial, Loyola, 2016

:: Associação Brasileira de Pesquisa Bíblica (ABIB) – Notícias

VIII Congresso Internacional de Pesquisa Bíblica: 27 a 30 agosto de 2018
. Local: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba
. Tema: Paulo: seu lugar, seu tempo e sua doutrina (título provisório)

Para o VIII Congresso, já está confirmada a presença de um especialista espanhol, que vem se destacando no cenário dos estudos paulinos: Carlos Gil Arbiol, da Universidade de Deusto, Faculdade de Teologia. A ABIB está iniciando contatos com outro renomado pesquisador de Paulo: John Barclay, Lightfoot Professor of Divinity, Departamento de Teologia e Religião da Durham University, Reino Unido. A ABIB firmou uma parceria com a Associação Bíblica da Argentina (ABA) que promoverá seu Congresso de 2018 na semana anterior ao nosso, na cidade de Salta, cuja temática será a mesma do nosso. Os professores Carlos Gil Arbiol e Jonh Barclay proferirão conferências tanto em Salta (Argentina) como em Curitiba (no Brasil).

Acesso à ATLA - American Theological Library Association
Outra parceria firmada entre essas duas associações nacionais de biblistas é aquela de interceder junto a ATLA, um dos maiores databank do mundo - a qual possui o maior número de periódicos em teologia e exegese bíblica do mundo digitalizados e disponibilizados em formato PDF para baixar –, no sentido de disponibilizar para os associados da ABIB e da ABA esse acervo mediante um pagamento realista por parte dessas associações. O presidente da Society of Biblical Literature (SBL), Dr. John F. Kutsko, foi contatado e solicitado a ser o porta-voz dessa nossa solicitação junto à ATLA. O contato com o diretor dessa organização parece já ter acontecido e estamos, agora, aguardando notícias a respeito.

Renovação completa do site da ABIB 
Esse novo site deverá estar operativo em sessenta dias. Ele permitirá, entre outras coisas: interatividade com os navegadores, pagamento de anuidades, baixar materiais digitalizados disponibilizados pela associação e associados, atualização constante com notícias da área bíblica no Brasil e no exterior, acompanhar os principais lançamentos de obras de pesquisa bíblica em nosso país.

:: Simpósio sobre o De(s)colonialismo e sua Influência no Pensamento Filosófico e Teológico na América Latina
Promoção do Instituto Santo Tomás de Aquino (ISTA), Belo Horizonte, e Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Mais informações serão publicadas, em breve, no site do ISTA.

:: Publicação em livro de dois números da Estudos Bíblicos
Trata-se do número 88, de 2005, sobre a Obra Histórica Deuteronomista, e do número 129, de 2016, sob o título “Aprendei: quero misericórdia e não sacrifício!” (Mateus 9,13). Estes dois números foram elaborados por nosso grupo dos Biblistas Mineiros e as negociações com a Vozes, visando transformá-los em livro, estão em andamento.

A próxima reunião dos Biblistas Mineiros será em 9 de julho de 2018 na FAJE, Belo Horizonte, das 09h00 às 16h00.

Seminário do PIB para professores de Bíblia em 2018

Sobre a iniciativa, leia aqui.

Sobre o seminário de 2018:
:: Tema: Os livros "históricos" do Antigo Testamento
:: Data: 22-26 de janeiro de 2018
:: Coordenador: Professor Federico Giuntoli
:: Inscrição: até 10 de outubro de 2017


No site do PIB se lê em italiano [ou English]:

Seminario 2018: dal 22 al 26 gennaio 2018   

Tema del seminario: I libri «storici» dell’Antico Testamento

Il prossimo Seminario di aggiornamento per Docenti di Sacra Scrittura avrà luogo dal 22 al 26 gennaio 2018 e sarà diretto dal Prof. Federico Giuntoli.

La tematica che verrà sviluppata è quella dei libri “storici” dell’Antico Testamento; questi costituiscono una parte considerevole della tradizione biblica, e sono la base indispensabile per comprendere gli scritti profetici e più in generale la stessa storia del popolo di Dio.

Come negli anni precedenti, il Seminario prevede delle lezioni magistrali al mattino e sedute pomeridiane sotto forma seminariale.


Lezioni del mattino:

:. In una mattinata introduttiva, ci saranno due interventi:
. il primo sul rapporto tra il Deuteronomio e la storia deuteronomistica (Prof. Simone Paganini)
. il secondo sulla rilevanza della metodologia narrativa (Prof.ssa Béatrice Oiry)

:. In seguito sarà presentato l’insieme letterario dei libri di Giosuè, Giudici e Samuele (Prof. José Luis Sicre)

:. Il giorno seguente un approfondimento sui problemi testuali dei libri di Samuele (Prof. Stephen Pisano), più una focalizzazione tematica sulla figura di Davide (Prof. Craig Morrison).

:. Seguirà lo studio dei libri dei Re (Prof. Peter Dubovský) e dei libri delle Cronache ed Esdra/Nehemia  (Prof. Claudio Balzaretti).

Nel pomeriggio del venerdì, invece della tradizionale Tavola Rotonda, verrà proposta una seduta conclusiva che verterà sulla storiografia extra-biblica (con i contributi del Prof. Paolo Merlo e della Prof.ssa Cristina Termini).


Sedute pomeridiane:

Le sedute pomeridiane sotto forma seminariale (per gruppi) avranno tre diverse tipologie

:. alcuni fra i Docenti che hanno tenuto le lezioni al mattino offriranno testi di approfondimento (Proff. Paganini, Oiry, Morrison, Dubovský, Balzaretti);

:. altri Professori tratteranno dei libri “storici” che non sono stati oggetto di esame nelle conferenze del mattino: il libro di Ester (Prof. Dionisio Candido), il libro di Rut (Prof.ssa Donatella Scaiola), il libro di Tobia (Prof. Marco Zappella), i libri dei Maccabei (Prof. Joseph Sievers);

:. vi sarà pure l’occasione per affrontare temi specifici, come la figura di Natan (Prof.ssa Bruna Costacurta) e il rapporto tra archeologia e storiografia biblica (Prof. Josef Briffa).


Iscrizioni

Chi fosse interessato è pregato di dare la propria adesione entro il 10 ottobre 2017, inviando una e-mail all’indirizzo: pibsegr@biblico.it.

Ai partecipanti viene chiesto un contributo di € 120.

Per gli iscritti all’associazione ex-alunni PIB il contributo sarà invece di € 100.

Tale contributo potrà essere versato all’inizio del seminario. Non è necessario inviare alcuna somma al momento dell’iscrizione; si chiede però gentilmente di inviare la propria adesione solo se realmente si prevede di partecipare, proprio perché l’organizzazione finale della settimana dipenderà anche dal numero dei partecipanti.

Per ulteriori informazioni rivolgersi a: Segretario Generale PIB (pibsegr@biblico.it)

domingo, 16 de julho de 2017

Crítica textual da Bíblia Hebraica

TOV, E. Crítica textual da Bíblia Hebraica. São Paulo: BV Books, 2017, 544 p. - ISBN 9788581581132.

TOV, E. Crítica textual da Bíblia Hebraica. São Paulo: BV Books, 2017

Desde a sua publicação inicial em 1992, a obra Crítica Textual da Bíblia Hebraica - Textual Criticism of the Hebrew Bible no original inglês - se estabeleceu como um indispensável texto acadêmico, tornando-se referência sobre o assunto. Nesta edição, Emanuel Tov incorporou totalmente os insights dos últimos vinte anos de estudos acadêmicos, incluindo novas perspectivas sobre os textos bíblicos a partir dos estudos dos manuscritos bíblicos do Deserto da Judeia agora publicados [cf. aqui].

Aqui o estudante encontrará uma introdução bem organizada para os recursos e prática da crítica textual, enquanto o estudioso encontrará uma penetrante discussão programática criteriosa dos seus métodos.

Obra indispensável para todos que lidam com textos da Bíblia Hebraica, a tradução brasileira foi realizada a partir da 3ª edição inglesa revista e expandida, publicada em  2011.

Emanuel Tov (nascido em 1941)

Emanuel Tov (nascido em 1941) é Professor Emérito no Departamento de Bíblia da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O autor e a obra estão entre os mais célebres. Vale a pena.

Leia Mais:
Recursos eletrônicos para a crítica textual da BH

segunda-feira, 10 de julho de 2017

O Enuma Elish e outras histórias

LAMBERT, W. G. Babylonian Creation Myths. Winona Lake, Indiana: Eisenbrauns, 2013, XVI + 640 p. - ISBN 9781575062471.

LAMBERT, W. G. Babylonian Creation Myths

For much of the last half of the twentieth century, W. G. Lambert devoted much of his research energy and effort to the study of Babylonian texts dealing with Mesopotamian ideas regarding creation, including especially Enuma Elish. This volume, which appears almost exactly 2 years after Lambert's death, distills a lifetime of learning by the world's foremost expert on these texts. Lambert provides a full transliteration and translation of the 7 tablets of Enuma Elish, based on the known exemplars, as well as coverage of a number of other texts that bear on, or are thought to bear on, Mesopotamian notions of the origin of the world, mankind, and the gods. New editions of seventeen additional "creation tales" are provided, including "Enmesharra's Defeat," "Enki and Ninmah," "The Slaying of Labbu," and "The Theogony of Dunnu." Lambert pays special attention, of course, to the connection of the main epic, Enuma Elish, with the rise and place of Marduk in the Babylonian pantheon. He traces the development of this deity's origin and rise to prominence and elaborates the relationship of this text, and the others discussed, to the religious and political climate Babylonia. The volume includes 70 plates (primarily hand-copies of the various exemplars of Enuma Elish) and extensive indexes.

Texto acadêmico padrão do Enuma Elish.

Wilfred George Lambert (1926 – 2011)

Wilfred George Lambert (1926 – 2011) was one of the most important Assyriologists of the latter part of the twentieth century. Lambert taught and researched at the University of Birmingham, UK, for thirty years, during which period he made weekly trips to work on deciphering cuneiform tablets in the British Museum.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia mínima 

O contexto da Escritura

HALLO, W. W. ; YOUNGER, K. L. (eds.) The Context of Scripture: Canonical Compositions, Monumental Inscriptions and Archival Documents from the Biblical World.  3 vols. Leiden: Brill, 2003, 1553 p. - ISBN 9789047402275.

HALLO, W. W. ; YOUNGER, K. L. (eds.) The Context of Scripture: Canonical Compositions, Monumental Inscriptions and Archival Documents from the Biblical World.  3 vols.

Two centuries of persistent exploration of the Near East have led to the recovery of much of this documentation, and the recovery continues at an unabated pace. The discoveries made in the field, and their interpretation in the scholarly literature, are brought to the attention of a wide public in three volumes, prepared by leading scholars in all the principal language areas of the ancient Near East. This major publication project will clearly replace PRITCHARD, J. B. (ed.) Ancient Near Eastern Texts Relating to the Old Testament (ANET). 3. ed. Princeton: Princeton University Press, 1969.

William W. Hallo (1928-2015)

William W. Hallo (1928-2015), born in Kassel, Germany, was the William M. Laffan Professor of Assyriology and Babylonian Literature and Curator of the Babylonian Collection at Yale University, USA.

K. Lawson Younger, Jr.

K. Lawson Younger, Jr. is Professor of Old Testament, Semitic Languages and Ancient Near Eastern History at the Trinity International University, Divinity School Deerfield, Illinois, USA.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

domingo, 9 de julho de 2017

Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia mínima

A bibliografia citada em Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia e detalhada em postagens posteriores tem quase 60 obras. E se eu precisasse de uma bibliografia mínima, digamos uns 10 livros e alguns recursos online? Quais seriam recomendáveis?

CDLI Literary 002873.05 (Gilgamesh epic 05) - Akkadian - Neo-Assyrian (ca. 911-612 BC)

:. Sobre a arqueologia

Sugestões de livros para iniciar os estudos em Arqueologia. Por JuCa.

TRIGGER, B. G. História do pensamento arqueológico. 2. ed. São Paulo: Odysseus, 2011, 630 p. - ISBN 978857876017


:. Sobre o Antigo Oriente Médio

Línguas do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia comentada. Por John Huehnergard e Na’ama Pat-El.

LIVERANI, M. Antigo Oriente: História, Sociedade e Economia. São Paulo: EDUSP, 2016, 832 p. - ISBN 9788531415685.

LIVERANI, M. Assiria: La preistoria dell'imperialismo. Bari: Laterza, 2017, 402 p. - ISBN 9788858126684.

POTTS, D. T.  (ed.) A Companion to the Archaeology of the Ancient Near East. 2 vols. Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell, 2012, 1500 p. - ISBN 9781405189880.


:. Sobre as cosmogonias mesopotâmicas e outras histórias

Literatura suméria:

BLACK, J. et alii The Literature of Ancient Sumer. Oxford: Oxford University Press, 2006, 438 p. - ISBN 9780199296330.


Literatura acádica:

FOSTER, B. R. Before the Muses: An Anthology of Akkadian Literature. 3. ed. Bethesda, Md.: CDL Press, 2005, XX + 1025 p. - ISBN 9781883053765.


Texto acadêmico padrão da Epopeia de Gilgámesh:

GEORGE, A. R. The Babylonian Gilgamesh Epic: Introduction, Critical Edition and Cuneiform Texts. 2 vols. Oxford: Oxford University Press, 2003, 1184 p. - ISBN 9780198149224.


A Epopeia de Gilgámesh em português:

BRANDÃO, J. L. Como se faz um herói: as linhas de força do poema de Gilgámesh. E-Hum, Belo Horizonte, v. 8, n. 1, p. 104-121, 2015.

BRANDÃO, J. L. Sîn-lēqi-unninni, Ele o abismo viu (Série de Gilgámesh 1). Nuntius Antiquus, Belo Horizonte, v. X, n. 2, jul.-dez., p. 125-159, 2014.


Texto acadêmico padrão do Enuma Elish:

LAMBERT, W. G. Babylonian Creation Myths. Winona Lake, Indiana: Eisenbrauns, 2013, XVI + 640 p. - ISBN 9781575062471.

CDLI Literary 002718 (enuma elish) - Akkadian - Neo-Assyrian (ca. 911-612 BC)

:. Alguns recursos online

BDTNS - Database of Neo-Sumerian Texts

CDLI - Cuneiform Digital Library Initiative

CDLI:wiki

ETCSL - The Electronic Text Corpus of Sumerian Literature

KeiBi - Keilschriftbibliographie

Oracc - The Open Richly Annotated Cuneiform Corpus

terça-feira, 4 de julho de 2017

A Epopeia de Gilgámesh

GEORGE, A. R. The Babylonian Gilgamesh Epic: Introduction, Critical Edition and Cuneiform Texts. 2 vols. Oxford: Oxford University Press, 2003, 1184 p. - ISBN 9780198149224. 

GEORGE, A. R. The Babylonian Gilgamesh Epic: Introduction, Critical Edition and Cuneiform Texts

The Babylonian Gilgamesh epic is the acknowledged masterpiece of ancient Mesopotamian literature. Nevertheless it has to be re-edited periodically to take account of the enormous increase in primary sources that occurs every generation. Since the last critical edition of the epic seventy years ago the known fragments of the epic have almost doubled. This book collects all the extant texts in one place again, including twenty-three fragments published for the first time. The author has studied personally every available fragment to produce a definitive edition and translation. Four introductory chapters place the epic in its context and examine the name, person and traditions of Gilgamesh and other characters in the poem. The plates present the cuneiform text of all the extant fragments of the epic. The result is a publication which is a standard academic resource.  Available online.

Este é o texto acadêmico padrão da Epopeia de Gilgámesh.


GEORGE, A. R. The Epic of Gilgamesh: The Babylonian Epic Poem and Other Texts in Akkadian and Sumerian. Rev. ed. Harmondsworth: Penguin, 2016, 304 p. - ISBN 9780140449198. 

GEORGE, A. R. The Epic of Gilgamesh: The Babylonian Epic Poem and Other Texts in Akkadian and Sumerian 

Miraculously preserved on clay tablets dating back as much as four thousand years, the poem of Gilgamesh, king of Uruk, is the world’s oldest epic, predating Homer by many centuries. The story tells of Gilgamesh’s adventures with the wild man Enkidu, and of his arduous journey to the ends of the earth in quest of the Babylonian Noah and the secret of immortality. Alongside its themes of family, friendship and the duties of kings, the Epic of Gilgamesh is, above all, about mankind’s eternal struggle with the fear of death. The Babylonian version has been known for over a century, but linguists are still deciphering new fragments in Akkadian and Sumerian. Andrew George’s gripping translation brilliantly combines these into a fluent narrative and will long rank as the definitive English Gilgamesh.

Andrew R. George (born 1955)


Andrew R. George (born 1955) is Professor of Babylonian at the School of Oriental and African Studies (SOAS), University of London, UK.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Gilgámesh, Enkidu e o Mundo Inferior

GADOTTI, A. ‘Gilgamesh, Enkidu, and the Netherworld’ and the Sumerian Gilgamesh Cycle. Berlin: Walter De Gruyter, 2014, XV + 357 p. - ISBN 9781614517085.

GADOTTI, A. ‘Gilgamesh, Enkidu, and the Netherworld’ and the Sumerian Gilgamesh Cycle

Providing a new perspective on the Sumerian Gilgamesh stories, Alhena Gadotti argues that a Sumerian Gilgamesh Cycle was developed as early as Ur III, and that Gilgamesh, Enkidu, and the Netherworld was the first, not the last story of this cycle. Prompted by several texts that have come to light since Aaron Shaffer's 1963 publication of the text, this book offers a new edition and a re-examination of the composition. Alhena Gadotti is Professor at Towson University, Towson, MD, USA.

 Alhena Gadotti


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Uma antologia da literatura acádica

FOSTER, B. R. Before the Muses: An Anthology of Akkadian Literature. 3. ed. Bethesda, Md.: CDL Press, 2005, XX + 1025 p. - ISBN 9781883053765.

FOSTER, B. R. Before the Muses: An Anthology of Akkadian Literature

Benjamin Foster’s Before the Muses: An Anthology of Akkadian Literature is already a standard among collections of translated texts from ancient Mesopotamia. The third edition of this work is an expansion and revision of the second edition, which has been out of print for some time. The new edition appears as a single-volume paperback instead of the two-volume, hardcover set of its predecessors. Generally speaking, this new edition follows the format of the previous editions. That is, the anthology still offers a general introduction to Akkadian literature, a specific introduction to each of the main time periods of Akkadian literature as delineated by Foster (Archaic, Classical, Mature, and Late), a brief introduction to major text groupings and each individual selection, and a translation of each text, which is followed by a cornucopia of information arranged under the rubrics “Text,” “Editions,” “Literature,” and “Notes to Texts.” As with previous editions, the translations are clear and accurate though not literary, the references to secondary literature are ample, and the introductions to individual texts remain useful for orienting readers in the unfamiliar and often difficult Mesopotamian materials (da resenha de Alan Lenzi, publicada pela RBL em 17/12/2005).

The translator has crammed into this collection at least a substantial sample of the most important literary genres of the ancient Assyrians and Babylonians. It includes mythic narratives, epics of heroes and historical kings, Wisdom texts, humorous stories, royal inscriptions, poetry, letters, and more; the harvest of over a century and a half of work in the field, and in museums and collections.

Benjamin R. Foster (born 1945)

Benjamin R. Foster (born 1945) is Professor of Assyriology at Yale University, USA.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Uma narrativa perdida sobre Gilgámesh

FLEMING, D. E. ; MILSTEIN, S. J. The Buried Foundation of the Gilgamesh Epic: The Akkadian Huwawa Narrative. Atlanta: SBL Press, 2014, XX + 227 p. - ISBN 9781628370324.

FLEMING, D. E. ; MILSTEIN, S. J. The Buried Foundation of the Gilgamesh Epic: The Akkadian Huwawa Narrative

The Buried Foundation of the Gilgamesh Epic is a close study of the Old Babylonian Gilgamesh poems, intending to show that a lost Akkadian narrative about Gilgamesh, focused on the expedition of Gilgamesh and Enkidu against Huwawa, lies between the Old Babylonian Gilgamesh Epic, as known from the Penn and Yale tablets, and the Sumerian Gilgamesh and Huwawa poems. Fleming and Milstein propose that the outlines of this lost poem can be detected in the existing Sumerian and Akkadian sources and that the creative adaptation of this work explains certain inconsistencies they observe between the Penn and Yale Gilgamesh tablets, which, like most scholars, they consider a pair copied at the same time by the same person. They bring to their inquiry recently published Old Babylonian sources about Gilgamesh that suggest the confrontation with Huwawa was a separate story in Akkadian as well as Sumerian. They are forthright about the obvious problems with their hypothesis, such as that some or even all the independent Gilgamesh and Huwawa stories may well be later than the Penn and Yale tablets, but they are ready with carefully worked-out answers. Throughout, the authors demonstrate enviable analytic skills, attention to detail, and exceptional acuteness of observation, the result being a rewarding and interesting study for anyone interested in the Akkadian Gilgamesh tradition (da resenha de Foster, Benjamin R. Journal of the American Oriental Society 131, no. 1 (2011): 146-48)
 
Daniel Edward Fleming

Daniel Edward Fleming is Professor of Hebrew Bible and Ancient Near Eastern Studies in the Skirball Department of Hebrew and Judaic Studies at New York University, USA.

Sara J. Milstein

Sara J. Milstein is Professor of Hebrew Bible and Ancient Near Eastern Studies in the Department of Classical, Near Eastern, and Religious Studies at University of British Columbia, Canada.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

sábado, 1 de julho de 2017

Biblical Studies Carnival 136

Seleção de postagens dos biblioblogs em junho de 2017.

The Official Biblioblogging Carnival- Covering June, 2017

Trabalho feito por Jim West em seu blog Zwinglius Redivivus.

Confira também a Biblical Studies Carnival List.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Mitos da Mesopotâmia

DALLEY, S. Myths from Mesopotamia: Creation, the Flood, Gilgamesh, and Others. Rev. ed. Oxford: Oxford University Press, 2009, 339 p. - ISBN 9780199538362.

DALLEY, S. Myths from Mesopotamia: Creation, the Flood, Gilgamesh, and Others

The myths collected here include parallels with the biblical stories of the Creation and the Flood, and the famous Epic of Gilgamesh, the tale of a man of great strength, whose heroic quest for immortality is dashed through one moment of weakness. Recent developments in Akkadian grammar and lexicography mean that this new translation--complete with notes, a glossary of deities, place-names, and key terms, and illustrations of the mythical monsters featured in the text--will replace all other versions.

Stephanie M. Dalley

Stephanie M. Dalley is a Retired Research Fellow in Assyriology, Faculty of Oriental Studies at Oxford. From 1979 to 2007, she taught Akkadian and Sumerian at the Oriental Institute, Oxford University, UK.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Literatura sapiencial na Mesopotâmia e em Israel

CLIFFORD, R. J. (ed.) Wisdom Literature in Mesopotamia and Israel. Atlanta: Society of Biblical Literature, 2007, 132 p. - ISBN 9781589832190. 

CLIFFORD, R. J. (ed.) Wisdom Literature in Mesopotamia and Israel


This volume in the SBL Symposium series grew out of a panel on “Mesopotamian Wisdom Literature and Its Legacy in the Ancient Near East” at the annual meeting of the Society of Biblical Literature in 2004 at San Antonio, Texas. Panelists Paul-Alain Beaulieu, Karel van der Toorn, Peter Machinist, and Victor Avigdor Hurowitz—biblical scholars as well as distinguished Assyriologists—gave papers on Mesopotamian wisdom literature. The editor of this volume, Richard Clifford, was chair of the SBL panel. Though primarily concerned with Mesopotamia, the panelists adduced parallels to other cultures and literatures, including ancient Israel. One paper was on the intellectual and social setting of Babylonian wisdom literature; another was on the development of the concept of wisdom especially in the Old Babylonian and Standard Versions of the Gilgamesh Epic. Two papers were fresh studies of important though difficult wisdom texts, one long known and the other recently published. So well attended was the meeting and so stimulating the discussion that the panelists and chair decided to publish the papers and invite other scholars to contribute to the volume. Since all the papers focus on specific issues or texts, a general guide to the publication of Mesopotamian wisdom literature in its relationship to biblical literature is called for.

Download gratuito no Projeto ICI da SBL.

Richard J. Clifford (born 1934)

Richard J. Clifford (born 1934) is Professor Emeritus of Old Testament at Boston College School of Theology and Ministry, Chestnut Hill, MA, USA.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Cosmogonias no Antigo Oriente Médio e na Bíblia

Para entender o motivo dessa publicação, clique aqui.


CLIFFORD, R. J. Creation Accounts in the Ancient Near East and in the Bible. Washington: The Catholic Biblical Association of America, 1994, XIII + 217 p. - ISBN 9780915170258.

CLIFFORD, R. J. Creation Accounts in the Ancient Near East and in the Bible

This book examines the Sumerian, Akkadian, Egyptian, Canaanite, and Biblical cosmogonies. It seeks to clarify the meaning of creation in the Ancient Near East and in the Bible, and thereby to establish a broad context in which individual themes can be compared.

Richard J. Clifford (born 1934)

Richard J. Clifford is Professor Emeritus of Old Testament at Boston College School of Theology and Ministry, Chestnut Hill, MA, USA.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Ele o abismo viu: a Epopeia de Gilgámesh

 >> Estes artigos estão disponíveis na Internet para leitura online ou download.

BRANDÃO, J. L. Como se faz um herói: as linhas de força do poema de Gilgámesh. E-Hum, Belo Horizonte, v. 8, n. 1, p. 104-121, 2015.

O trabalho é uma tradução comentada da qual a primeira parte (a primeira tabuinha) se encontra publicada no volume 10 (2014) da Revista Nuntius antiquus. Nesse sentido, o objetivo é duplo: de um lado, apresentar algo de minha tradução da versão babilônica clássica da chamada epopeia de Gilgámesh (cujo título original é Ele o abismo viu), atribuída ao "exorcista" (mašmaššu) Sîn-lēqi-unninni e composta por volta do século XIII a. C.; por outro lado, examinar as linhas de força temáticas que dão coesão ao poema, considerando a conexão que nele têm os feitos heroicos com o sexo, a morte e a vida civilizada.


BRANDÃO, J. L. No princípio era a água. Rev. UFMG, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p.22-41, 2013. 

Este trabalho trata das cosmogonias babilônicas que instituem a água como o princípio de tudo, bem como das tradições grega e hebraica delas dependentes. No poema intitulado Enuma elish, escrito provavelmente no século XII a.C., Apsû e Tiamat – a água das fontes e a água do mar, respectivamente – são apresentados como os primeiros deuses, a partir dos quais o mundo ganha forma. Ressalta-se como, provindo de povos que vivem no deserto, esses mitos sublinham o caráter da água como fonte de vida, ao mesmo tempo que elaboram uma imagem do mar como uma força perigosa que é preciso conter em seus limites, tarefa que cabe ao mais jovem dos deuses, responsável pela ordem do mundo. 


BRANDÃO, J. L. Sîn-lēqi-unninni, Ele o abismo viu (Série de Gilgámesh 1). Nuntius Antiquus, Belo Horizonte, v. X, n. 2, jul.-dez., p. 125-159, 2014.

Apresento a tradução da primeira tabuinha de Ele o abismo viu (Sha naqba imuru), poema babilônico que se costuma intitular “Epopeia de Gilgámesh”. Trata-se do primeiro resultado que publico de projeto em fase de finalização e que teve como objetivo traduzir todo o poema diretamente do acádio.

Jacyntho José Lins Brandão

Jacyntho José Lins Brandão é  Professor de Língua e Literatura Grega na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Mitos mesopotâmicos

BOTTÉRO, J. ; KRAMER, S. N. Lorsque les dieux faisaient l'homme: Mythologie Mésopotamienne. Paris: Gallimard, 1993, 755 p. - ISBN 9782070713820.

BOTTÉRO, J. ; KRAMER, S. N. Lorsque les dieux faisaient l'homme: Mythologie Mésopotamienne


On trouvera ici, pour la première fois rassemblés, traduits et dûment éclairés par deux éminents spécialistes, la cinquantaine de mythes sauvés du naufrage de la civilisation mésopotamienne. Ces documents vénérables, dont les plus vieux remontent à la fin du millénaire, sont les plus anciens témoignages écrits du travail de pensée par lequel des hommes ont tenté de répondre, avec les moyens de leur bord, aux questions éternelles qui nous travaillent toujours devant cet univers démesuré autour de nous, devant notre propre existence, le sens et le destin de notre vie.

Jean Bottéro (1914 - 2007)
Jean Bottéro (1914 - 2007) foi um historiador e  renomado assiriólogo francês.

Samuel Noah Kramer (1897-1990)
Samuel Noah Kramer (1897-1990) foi um renomado assiriólogo, especialista em língua e literatura suméria.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Literatura suméria

Para entender o motivo dessa publicação, clique aqui.


BLACK J. et alii The Literature of Ancient Sumer. Oxford: Oxford University Press, 2006, 438 p. - ISBN 9780199296330.

BLACK J. et alii The Literature of Ancient Sumer

This anthology of Sumerian literature constitutes the most comprehensive collection ever published, and includes examples of most of the different types of composition written in the language, from narrative myths and lyrical hymns to proverbs and love poetry. The translations have benefited both from the work of many scholars and from our ever-increasing understanding of Sumerian. In addition to reflecting the advances made by modern scholarship, the translations are written in clear, accessible English. An extensive introduction discusses the literary qualities of the works, the people who created and copied them in ancient Iraq, and how the study of Sumerian literature has evolved over the last 150 years.

Jeremy Allen Black (1951 - 2004)

Jeremy Allen Black (1951 - 2004) was a leading Assyriologist, master of Sumerian literature, and Oxford University Lecturer.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

domingo, 25 de junho de 2017

Homens e mulheres na Epopeia de Gilgámesh

ABUSCH, T. Male and Female in the Epic of Gilgamesh: Encounters, Literary History, and Interpretation. Winona Lake, IN: Eisenbrauns, 2015, IX + 236 p. - ISBN 9781575063492.

ABUSCH, T. Male and Female in the Epic of Gilgamesh: Encounters, Literary History, and Interpretation

The Epic of Gilgamesh combines the power and tragedy of the Iliad with the wanderings and marvels of the Odyssey. It is a work of adventure, but it is no less a meditation on some fundamental issues of human existence. The epic explores many issues; it surely provides a Mesopotamian formulation of human predicaments and options. Most of all, the work grapples with issues of an existential nature. It talks about the powerful human drive to achieve, the value of friendship, the experience of loss, the inevitability of death. The story draws together the many strands that make up the identity of Gilgamesh: man, hero, king, god. Gilgamesh must learn to live. The studies gathered here all demonstrate Tzvi Abusch s approach to ancient literature: to make use of the tools of literary, structural, and critical analysis in service of exploring the personal and psychological dimensions of the narration. The author focuses especially on the encounters between males and females in the story. The essays are not only instructive for understanding the Epic of Gilgamesh, they also serve as exemplary studies of ancient literature with a view to investigating streams of commonality between ancient times and ours.

Tzvi Abusch


Tzvi Abusch is Rose B. and Joseph Cohen Professor of Assyriology and Ancient Near Eastern Religion, Brandeis University, USA.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Uma história do Antigo Oriente Médio

VAN DE MIEROOP , M. A History of the Ancient Near East ca. 3000–323 BC. 3. ed. Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell, 2016, 424 p. - ISBN  9781118718162.

VAN DE MIEROOP , M. A History of the Ancient Near East ca. 3000–323 BC

Incorporating the latest scholarly research in this rapidly developing field, the third edition of A History of the Ancient Near East ca. 3000 323 BC presents a comprehensive overview of the extraordinary multicultural civilizations of the ancient Near East. Marc Van De Mieroop (born 1956) is Professor at Departament of History, Columbia University, New York, USA.

Marc Van De Mieroop (born 1956)


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Um guia para o Antigo Oriente Médio

SNELL, D. C. (ed.) A Companion to the Ancient Near East. Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell, 2007, 528 p. - ISBN 9781405160018.

SNELL, D. C. (ed.) A Companion to the Ancient Near East

A Companion to the Ancient Near East offers students and general readers a comprehensive overview of Near Eastern civilization from the Bronze Age to the conquests of Alexander the Great. Written by leading experts, the book examines all the major civilizations of the region, including the Sumerians, Hittites, Babylonians, Assyrians, Israelites, and Persians. The Companion provides a survey of both the history of the Ancient Near East and the sources for studying the period. It places special emphasis on social and cultural history and also covers the legacy of the Ancient Near East in the medieval and modern worlds. 

Daniel C. Snell (born 1947)

Daniel C. Snell (born 1947) is Professor at College of Art & Sciences, Department of History, University of Oklahoma, USA.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

O básico do Antigo Oriente Médio

SNELL, D. C. Ancient Near East: The Basics. Abingdon: Routledge, 2014, 178 p. - ISBN  9780415656986.

SNELL, D. C. Ancient Near East: The Basics

Ancient Near East: The Basics surveys the history of the ancient Middle East from the invention of writing to Alexander the Great's conquest. The book introduces both the physical and intellectual environment of those times, the struggles of state-building and empire construction, and the dissent from those efforts. Daniel C. Snell (born 1947) is Professor at College of Art & Sciences, Department of History, University of Oklahoma, USA.

Daniel C. Snell (born 1947)



Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Dicionário assírio

ROTH, M. T. (ed.) The Assyrian Dictionary of the Oriental Institute of the University of Chicago (CAD). Chicago: The Oriental Institute, 1956-2010. 

ROTH, M. T. (ed.) The Assyrian Dictionary of the Oriental Institute of the University of Chicago (CAD). Chicago: The Oriental Institute, 1956-2010


An encyclopedic dictionary of all dialects of Akkadian by a team of noted scholars of Akkadian. Each volume covers a “letter” of the Akkadian phonetic inventory. The first volume appeared in 1956, and the last in 2010. The Chicago Assyrian Dictionary (CAD) has become an invaluable source for the study of the civilizations of the ancient Near East, their political and cultural history, their achievements in the sciences of medicine, astronomy, mathematics, linguistics, and the timeless beauty of their poetry.

Download gratuito de todos os volumes. Se preferir o impresso, clique aqui.

Martha T. Roth

Martha T. Roth, the Chauncey S. Boucher Distinguished Service Professor in the Department of Near Eastern Languages and Civilizations and the Oriental Institute; Dean of the Division of the Humanities; and Editor-in-Charge, Chicago Assyrian Dictionary.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

terça-feira, 20 de junho de 2017

Uma bibliografia comentada para o estudo da Antiguidade Clássica

WEEKS, J. M. ; DE MEDEIROS, J. A Research Guide to the Ancient World: Print and Electronic Sources. Lanham: Rowman & Littlefield, 2015, 456 p. - ISBN 9781442237391.

WEEKS, J. M. ; DE MEDEIROS, J. A Research Guide to the Ancient World: Print and Electronic Sources

The archaeological study of the ancient world has become increasingly popular in recent years. A Research Guide to the Ancient World: Print and Electronic Sources, is a partially annotated bibliography. The study of the ancient world is usually, although not exclusively, considered a branch of the humanities, including archaeology, art history, languages, literature, philosophy, and related cultural disciplines which consider the ancient cultures of the Mediterranean world, and adjacent Egypt and southwestern Asia. Chronologically the ancient world would extend from the beginning of the Bronze Age of ancient Greece (ca. 1000 BCE) to the fall of the Western Roman Empire (ca. 500 CE). This book will close the traditional subject gap between the humanities (Classical World; Egyptology) and the social sciences (anthropological archaeology; Near East) in the study of the ancient world. This book is uniquely the only bibliographic resource available for such holistic coverage.

The volume consists of 17 chapters and 5 appendixes, arranged according to the traditional types of library research materials (bibliographies, dictionaries, atlases, etc.). The appendixes are mostly subject specific, including graduate programs in ancient studies, reports from significant archaeological sites, numismatics, and paleography and writing systems. These extensive author and subject indexes help facilitate ease of use.


Contents

Introduction
1.   What Is the Ancient World?
2.   Specialized Libraries Collection
3.   Specialized Museum Collections
4.   Guides to the Literature of the Ancient World
5.   Subject Bibliographies
6.   Regional Bibliographies
7.   Book Reviews and Yearbooks
8.   Dictionaries
9.   Encyclopedias   
10. Handbooks
11. Abstracts and Indexes
12. Journal Literature
13. Biographical Information
14. Directories of Organizations and Associations
15. Atlases
16. Photographic and Visual Collections
17. Theses and Dissertations
Appendix 1. Library of Congress Classification System
Appendix 2. Graduate Programs
Appendix 3. Archaeological Site Reports
Appendix 4. Paleography and Writing Systems
Appendix 5. Numismatics


John M. Weeks is Head Librarian, Penn Museum of Archeology and Anthropology, at the University of Pennsylvania, USA.

Jason de Medeiros is Assistant Librarian, University of Pennsylvania Museum of Archeology and Anthropology, USA.


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

sexta-feira, 16 de junho de 2017

A cultura cuneiforme

RADNER, K. ; ROBSON, E. (eds.) The Oxford Handbook of Cuneiform Culture. Oxford: Oxford University Press, 2011, 805 p. - ISBN 9780199557301.

RADNER, K. ; ROBSON, E. (eds.) The Oxford Handbook of Cuneiform Culture

The cuneiform script, the writing system of ancient Mesopotamia, was witness to one of the world's oldest literate cultures. For over three millennia, it was the vehicle of communication from (at its greatest extent) Iran to the Mediterranean, Anatolia to Egypt. The Oxford Handbook of Cuneiform Culture examines the Ancient Middle East through the lens of cuneiform writing. The contributors, a mix of scholars from across the disciplines, explore, define, and to some extent look beyond the boundaries of the written word, using Mesopotamia's clay tablets and stone inscriptions not just as 'texts' but also as material artefacts that offer much additional information about their creators, readers, users and owners.

Este livro examina o Antigo Oriente Médio sob o ângulo da escrita cuneiforme. Porém, os estudiosos que aqui escrevem procuram ir além dos limites da palavra escrita, usando as tabuinhas de argila e as inscrições em pedra da antiga Mesopotâmia não apenas como textos, mas também como artefatos materiais que oferecem muitas informações adicionais sobre seus criadores, leitores, usuários e proprietários.

Karen Radner is Alexander von Humboldt Professor of the Ancient History of the Near and Middle East at Ludwig-Maximilians-Universität München, Germany.

Karen Radner

Eleanor Robson is a Professor of Ancient Near Eastern History at the Department of History, University College London, UK.

Eleanor Robson


Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

Um guia para a arqueologia do Antigo Oriente Médio

POTTS, D. T.  (ed.) A Companion to the Archaeology of the Ancient Near East. 2 vols. Hoboken, NJ: Wiley-Blackwell, 2012, 1500 p. - ISBN 9781405189880.
 
POTTS, D. T.  (ed.) A Companion to the Archaeology of the Ancient Near East

 A Companion to the Archaeology of the Ancient Near East is a comprehensive and authoritative overview of ancient material culture from the late Pleistocene to Late Antiquity. This expansive two-volume work includes sixty new essays from an international community of Ancient Near East scholars. With coverage extending from Asia Minor, the eastern Mediterranean and Egypt to the Caucasus, Central Asia and the Indo-Iranian borderlands, the book highlights the enormous variation in cultural developments across roughly 11,000 years of human endeavor. In addition to chapters devoted to specific regions and particular periods, a large number of chapters present individual industries and major themes in ancient Near Eastern archaeology, ranging from metallurgy and agriculture to irrigation and fishing. Controversial issues, including the nature and significance of the antiquities market, ethical considerations in archaeological praxis, the history of the foundation of departments of antiquities and ancient attitudes towards the past, make this a unique collection of studies that will be of interest to scholars, students and interested readers alike. Daniel T. Potts is Professor at Institute for the Study of the Ancient World, New York University, USA.

Esta obra em dois volumes oferece, em cinquenta e oito ensaios assinados por especialistas, uma visão abrangente e competente da cultura material do Antigo Oriente Médio ao longo de 11 mil anos.

Daniel T. Potts

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia

terça-feira, 13 de junho de 2017

Religião e ideologia na Assíria

PONGRATZ-LEISTEN, B. Religion and Ideology in Assyria. Berlin: Walter de Gruyter, 2015, 553 p. - ISBN 9781614514824.

PONGRATZ-LEISTEIN, B. Religion and Ideology in Assyria

The aim of this book is to go back in time and contextualize the development of Neo-Assyrian ideology from its origins in the earliest days of Aššur. Simultaneously, this book seeks to document the enormity of Assyria’s cultural interaction over space and time with “outside groups”. The goal here is to trace Assyrian ideology in its formative stages and to expose the emergence of certain tropes during the early history of Aššur. In other words, my primary interest lies in the development of Assyrian ideological discourse against the backdrop of changing political-historical conditions. Control of a large territorial state required an ideological system that anchored the monarchy in established ideational frameworks and religious traditions. The formulation and promulgation of such an ideology was an act of agency. A further objective of this book, therefore, is to reveal the voice of the ancient scholars and to demonstrate their agency in the shaping of the image of the king in the surviving sources. Narratives of power and ritual served to anchor kingship in the mythical past and were essential strategies for sacralizing kingship. Because ritual and narratives of power were informed by and made use of myth and Weltanschauung, they adapted perpetually to changing political landscapes. The assumption here is that cosmogonies and myths at large not only create their own versions of the world but that they also have a strong impact on the political action of elites and on their ideological discourse.

Beate Pongratz-Leisten

Beate Pongratz-Leisten is Professor of Ancient Near Eastern Studies at Institute for the Study of the Ancient World, New York University, USA.

Leia Mais:
Histórias do Antigo Oriente Médio: uma bibliografia