quinta-feira, 18 de agosto de 2016

A volta do fascismo e o crescimento da intolerância

A volta do fascismo e a intolerância como fundamento político

Revista IHU On-Line 490 - 08.08.2016

Ao mesmo tempo que há o incremento das possibilidades de expressão a partir do desenvolvimento de múltiplas tecnologias de comunicação que potencializam espaços de interação e manifestação de pensamento, simultaneamente observamos a redução da capacidade de debate, reflexão conjunta e coexistência de diferentes pontos de vista. Sobretudo no campo político, recrudescem posicionamentos autoritários, por vezes até violentos, fundados em posturas fascistas, em uma antítese da democracia. No entanto, como alerta um dos entrevistados, não se trata somente de continuar pensando no binômio “democracia-ditadura”, procurando salvar a democracia, mas de “desarticular as formas “religiosas” do capitalismo”.


Revista IHU On-Line 490 - 08.08.2016

Contribuem Rodrigo Karmy, doutor em Filosofia, professor e pesquisador da Universidade do Chile, o historiador alemão Andrej Angrick, Sérgio Villalobos-Ruminott, professor de Estudos Latino-Americanos e Espanhóis da Universidade de Michigan, Estados Unidos, Ricardo Timm, doutor em Filosofia, professor e pesquisador da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS, Adriano Correia, doutor em Filosofia e professor da Universidade Federal de Goiás – UFG, Edson Teles, filósofo e professor da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, Leonardo Avritzer, doutor em Sociologia Política e professor da Universidade Federal de Minas Gerais - da UFMG.


Sumário:
  • Rodrigo Karmy Bolton: O fascismo vive em nós através do dispositivo do neoliberalismo
  • Andrej Angrick: Continuidade, transformação ou apenas rotulagem incorreta?
  • Sérgio Villalobos-Ruminott: O esgotamento da política como efeito inevitável da globalização
  • Ricardo Timm de Souza: O fascista não argumenta; rosna. A exclusão de temáticas humanísticas dos currículos escolares
  • Adriano Correia: Um fascismo liberal exótico e a nostalgia do Brasil Colônia
  • Edson Teles: Na dissimulação democrático-liberal, o fascismo apresenta suas armas
  • Leonardo Avritzer: As avenidas de inclusão no Brasil e uma disputa política intensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário