sexta-feira, 26 de abril de 2013

Mark Goodacre e a Tumba de Talpiot


Você tem algum interesse na Tumba B de Talpiot?

Então leia primeiro o post Mais uma Tumba de Talpiot, publicado em 28 de fevereiro de 2012.

E também o post Entrevista com Goodacre e Meyer sobre Talpiot, de 16 de abril de 2012.

Em seguida, vale a pena ler o artigo de Mark Goodacre em The Bible and Interpretation, publicado agora, em abril de 2013:

The Jesus Discovery? A Sceptic’s Perspective.


Ele explica:
This is a revised version of a paper given at SECSOR (Southeastern Commission for the Study of Religion) on 16 March 2013. I am grateful to Ralph Hawkins for the invitation to speak at this session, and to my dialogue partners, James Tabor and Christopher Rollston.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Feliciano e os defensores da moral e dos bons costumes


"O caso Marco Feliciano pode ser considerado um paradigma pelo fato de ser a primeira vez na história em que os evangélicos se colocam como um bloco organicamente articulado, com projeto temático definido: uma pretensa defesa da família...

Torna-se nítida uma articulação política e ideológica conservadora em diferentes espaços sociais - do Congresso Nacional às mídias - que reflete um espírito presente na sociedade brasileira, de reação a avanços sociopolíticos, que dizem respeito não só a direitos civis homossexuais e das mulheres, como também aos direitos de crianças e adolescentes, às ações afirmativas (cotas, por exemplo) e da Comissão da Verdade, e de políticas de inclusão social e cidadania. Nesta articulação a religião passa a ser instrumentalizada, uma porta-voz...

É possível afirmar que os grupos políticos e midiáticos conservadores no Brasil descobriram os evangélicos e o seu poder de voz, de voto, de consumo e de reprodução ideológica...

O projeto político que se desenha, de fato, pouco ou nada tem a ver com a defesa da família..."


Recomendo a leitura do artigo ‘Caso Marco Feliciano’: um paradigma na relação religião-mídia-política no Brasil.

Escrito por Magali do Nascimento Cunha, jornalista, doutora em Ciências da Comunicação, professora da Universidade Metodista de São Paulo (Faculdade de Teologia e Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação) e autora do livro A Explosão Gospel: Um olhar das ciências humanas sobre o cenário evangélico no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 2007, 232 p. - ISBN 9788574782287.

O artigo foi publicado na Adital em 18/04/2013. Pode ser lido também aqui.

Biblistas devem responder ou provocar questionamentos?


Falando sobre a pesquisa bíblica, escreveu, em 11 de abril de 2013, Philip R. Davies, comentando um artigo de Joel S. Baden:

A nossa responsabilidade em relação à próxima geração de estudiosos [da Bíblia] não é responder a perguntas, mas produzir mais perguntas para eles.

But in the end our responsibility to the next generation of scholars is not to answer questions (and thus remove them) but to generate more questions for them.


Fonte: Against Consensus, artigo de Joel S. Baden, Yale Divinity School, publicado em The Bible and Interpretation em abril de 2013.

sábado, 20 de abril de 2013

Resenhas na RBL - 15.04.2013


As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Gary M. Beckman, Trevor R. Bryce, and Eric H. Cline
The Ahhiyawa Texts
Reviewed by Paul Sanders

Michael F. Bird, ed.; Thomas R. Schreiner, Luke Timothy Johnson, Douglas A. Campbell, and Mark D. Nanos
Four Views on the Apostle Paul
Reviewed by Arthur J. Dewey

Markus Bockmuehl
Simon Peter in Scripture and Memory: The New Testament Apostle in the Early Church
Reviewed by Finn Damgaard

Walter Brueggemann
David and His Theologian: Literary, Social, and Theological Investigations of the Early Monarchy
Reviewed by Andrea Ravasco

James L. Crenshaw
Reading Job: A Literary and Theological Commentary
Reviewed by Norman Habel

Jonathan Grossman
Esther: The Outer Narrative and the Hidden Reading
Reviewed by Kelly A. Whitcomb

William Loader
The New Testament on Sexuality
Reviewed by Colleen M. Conway

George W. E. Nickelsburg and Michael E. Stone, eds.
Early Judaism: Text and Documents on Faith and Piety
Reviewed by David M. Maas

John J. Pilch
A Cultural Handbook to the Bible
Reviewed by Jeremiah W. Cataldo

Irene Schulmeister
Israels Befreiung aus Ägypten: Eine Formeluntersuchung zur Theologie des Deuteronomiums
Reviewed by Peter Porzig


>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

Resenhas na RBL - 08.04.2013


As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Edward Adams
Parallel Lives of Jesus: A Guide to the Four Gospels
Reviewed by Adam Winn

Lincoln H. Blumell
Lettered Christians: Christians, Letters, and Late Antique Oxyrhynchus
Reviewed by Thomas J. Kraus

Miguel A. De La Torre
Genesis
Reviewed by John E. Anderson

Yitzhaq Feder
Blood Expiation in Hittite and Biblical Ritual: Origins, Context, and Meaning
Reviewed by William L. Lyons

Donald H. Juel; Shane Berg and Matthew L. Skinner, eds.
Shaping the Scriptural Imagination: Truth, Meaning, and the Theological Interpretation of the Bible
Reviewed by Ernest van Eck

Bo H. Lim
The ‘Way of the LORD’ in the Book of Isaiah
Reviewed by Wilhelm J. Wessels

B. H. McLean
Biblical Interpretation and Philosophical Hermeneutics
Reviewed by Akio Ito

Francis J. Moloney
The Gospel of Mark: A Commentary
Reviewed by Timothy Gombis

Daniel Polz
Der Beginn des Neuen Reiches: Zur Vorgeschichte einer Zeitenwende
Reviewed by Roberto B. Gozzoli

Stephen C. Russell
Images of Egypt in Early Biblical Literature: Cisjordan-Israelite, Transjordan-Israelite, and Judahite Portrayals
Reviewed by Christopher Hays


>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

Exegese, Teologia e Pastoral: relações, tensões e desafios


Exegese, Teologia e Pastoral: relações, tensões e desafios: este é o tema do IV Simpósio de Teologia da PUC-Rio, que será realizado nos dias 15 a 17 de maio de 2013, nas dependências da Universidade.

1. Conferências maiores:
Serão desenvolvidas com os seguintes temas e conferencistas:

  • Exegese e Teologia Bíblica, por H. Simian-Yofre, professor emérito do Pontifício Instituto Bíblico, Roma
  • Exegese, teologia e hermenêutica, por C. Carbullanca, professor da Universidade Católica do Chile
  • Teologia sistemática e exegese, por Maria Carmen Aparicio Valls, professora da Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma
  • Bíblia, Cultura e Nova Evangelização, por Mario Cimosa, professor da Pontifícia Universidade Salesiana, Roma


2. Mesas temáticas:

  • Bíblia e Pastoral Bíblica: Tereza Maria Pompéia Cavalcanti, Carlos Mesters, Francisco Orofino, Leonardo Agostini Fernandes
  • Bíblia e Cristologia / Eclesiologia: Alfonso García Rubio, Ana Maria de Azeredo Lopes Tepedino, José Otácio Oliveira Guedes
  • Bíblia e Graça / Escatologia: Mario de França Miranda, Lina Boff, Maria de Lourdes Corrêa Lima
  • Bíblia e Direito: Jesús Hortal, Ricardo Lengruber, Isidoro Mazzarolo


3. Mini-cursos:

  • Animação bíblica da pastoral: Johan Konings (Faje)
  • Hermenêutica bíblica: Luís Henrique da Silva (PUC-MG / Faje)
  • Bíblia e diálogo inter-religioso: Valmor da Silva (PUC-GO)
  • O Saltério no Novo Testamento: Matthias Grenzer (PUC-SP)


4. Comunicações:
Considerado o tema central do Simpósio, Exegese, Teologia e Pastoral: relações, tensões e desafios, serão desenvolvidos oito eixos temáticos...

Visite a página do Simpósio e saiba mais. Conheça o Departamento de Teologia da PUC-Rio.

Campo de comentários do Google+ em blogs do Blogger


O Blogger recebeu um widget de comentários do Google+. Quem quiser poderá adicionar o widget dos comentários do Google+ no seu blog indo à aba "Google+" no painel de configuração. Os comentários antigos continuarão sendo exibidos, mas o formulário fica modificado, pronto para a rede social do Google...

Mas, antes de adicionar este widget, leia o artigo de Marcos Elias Picão no Hardware.com.br:  Blogs no Blogger agora podem usar campo de comentários do Google+

Ele explica que:
Há uma característica que pode ser muito boa ou muito ruim, dependendo do ponto de vista do dono do blog. Os comentários podem ser marcados como públicos ou restritos a determinados círculos de pessoas. Isso é controlado por quem comenta. Essa personalização torna o negócio mais "social", facilitando a divulgação dos posts entre os contatos dos usuários, o que pode aumentar as visitas. Por outro lado alguns comentários podem ficar ocultos e jamais serem vistos pelos visitantes do site e/ou até mesmo pelo administrador do blog. Há de se considerar isso ao migrar para os comentários via Google+.

Como fazer o download de meus tweets?


Os usuários do Twitter já podem baixar todos os tweets próprios. Assim vai ficar mais fácil relembrar tudo o que foi postado caso um dia o serviço feche ou você simplesmente decida encerrar a conta. Esta opção está no final da tela de configurações.

Saiba mais sobre isto, lendo o post de Marcos Elias Picão, de 17/12/2012, no Hardware.com.br: Twitter começa a liberar download de todos os tweets do seu perfil.

Leia Mais:
airtonjo's tweetbook

Nova versão do livro Hardware, de Gabriel Torres


TORRES, G. Hardware - Versão Revisada e Atualizada. Rio de Janeiro: Nova Terra, 2013, 920 p. - ISBN 9788561893217.

Diz a editora:
Gabriel Torres, está relançando, através da parceria com a Editora Nova Terra, o seu principal livro e que o tornou uma referência absoluta na área: Hardware – Versão Revisada e Atualizada. Na obra, Gabriel apresenta um conteúdo completamente revitalizado, onde o leitor aprenderá, com profundidade, tudo o que precisa saber sobre o tema, seja ele um estudante, autodidata ou profissional da área de informática / Tecnologia da Informação (TI) querendo se atualizar. O livro também é importante para os usuários que desejam aprender mais sobre o funcionamento dos computadores.

Entre outros assuntos, o leitor aprenderá a ter uma visão aprofundada e completa sobre o funcionamento dos processadores usados no PC, incluindo os últimos lançamentos; como é o funcionamento dos sistemas de paginação e memória virtual; o que é e como funciona a técnica de virtualização; aprenda sobre a arquitetura ARM de microprocessadores; tipos e tecnologias de memórias, incluindo memórias flash NAND e NOR, memórias DDR3 e memórias GDDR5; tudo o que você precisa saber sobre placas-mãe, incluindo todos os tipos de slots de expansão e portas de comunicação; detalhes sobre o funcionamento do circuito regulador de tensão de placas-mãe e placas de vídeo; como funciona a aceleração 3D e recursos para a melhoria da qualidade de imagem; conheça todos os tipos de conexão de vídeo, incluindo VGA, DVI, HDMI, DisplayPort e Thunderbolt; como unidades de armazenamento como discos rígidos, unidades ópticas e SSDs funcionam; funcionamento do áudio digital; detalhes aprofundados sobre o funcionamento da fonte de alimentação do computador. O livro pode ser comprado na Editora Nova Terra ou na Livraria Cultura.

Gabriel Torres é um dos mais renomados especialistas brasileiros em hardware e redes de computadores, além de autor best-seller na área, tendo outros 21 livros publicados. É editor-chefe do site do Clube do Hardware (1996) e mantém, em inglês, o Hardware Secrets (1999).

terça-feira, 16 de abril de 2013

A luta pela terra no Brasil no século XXI


A questão da terra no Brasil está sempre em pauta nas agendas: do governo, da sociedade civil organizada, dos especuladores imobiliários, latifundiários, lobistas, grandes empresários, pecuaristas, madeireiros, tornando difícil a resolução de problemas, como o da reforma agrária, a demarcação de territórios indígenas, dos quilombolas e ribeirinhos, do meio-ambiente...


Algumas leituras recentes:

:: ''Documento sobre a questão agrária só deverá ser aprovado em 2014'', diz bispo
Durante a entrevista coletiva desta 51ª Assembleia Geral da CNBB, em Aparecida (SP), o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, Dom Guilherme Werlang, recordou o tema da questão Agrária no início do século XXI, que está em discussão no evento. “Em 2010 o assunto foi apresentado à Igreja num documento de estudos”, disse o bispo, que recordou a atuação da Igreja neste segmento (...) O bispo enfatizou que “o texto é urgente e necessário, e os bispos precisam dar uma palavra contundente sobre a questão agrária. Nós percebemos, porém, que não teríamos condições de finalizar o trabalho nesta Assembleia”. Por isso, foi decidido que o texto seja melhorado ao longo do ano de 2013, e aprovado finalmente na Assembleia de 2014. Dom Guilherme recordou outros temas que também serão abordados pelo documento. “Nós vamos trabalhar a questão da água também, que não está desvinculada da questão da terra e da mineração. Nós sentimos que há uma necessidade da sociedade como um todo repensar também esta questão e não mercantilizar a água”. A informação foi publicada pelo Boletim da CNBB - 15/04/2013.


:: ''Reforma agrária não foi prioridade de nenhum dos governos democráticos"
Em sua participação na coletiva de imprensa da sexta-feira, 12 de abril, o bispo de Balsas (MA) e presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), dom Enemesio Angelo Lazzaris falou sobre a apresentação do Documento “A Igreja e a questão agrária no Século XXI”. Dom Enemesio explicou que o Documento é uma continuidade das reflexões que a CNBB tem feito ao longo dos anos. E citou o ano de 1954, quando se realizou a 2ª Assembleia Geral dos Bispos e cujo tema central foi a “Reforma Agrária”, o bispo também lembrou o ano de 1980 quando na 18ª AG o tema foi “Igreja e problemas da terra” e mais recentemente, em 2006, quando foi lançado o Documento “Os pobres possuirão a terra”. Dom Enemesio ressaltou que o Documento apresentado na 51ª AG composto por um breve histórico, quatro capítulos e conclusão “quer fazer entender de maneira crítica as velhas e novas razões do sofrimento e da violência que marcam e ensanguentam a nossa terra hoje talvez mais que ontem”. E reforçou dizendo que “de maneira clara o documento faz entender que a sempre prometida Reforma Agrária não foi prioridade de nenhum dos governos democráticos, menos ainda do governo atual”. O bispo fez uma alerta para a situação opressora que se encontram os povos indígenas, quilombolas, sem terras e escravizados do campo, que estão em condições degradantes. “Precisamos atuar, precisamos anunciar as coisas boas, mas precisamos denunciar as tantas formas de opressão, os gritos, as injustas que este povo sofre”.  A reportagem está no site da CPT e foi publicada em 15/04/2013.

:: A concentração de terra estimula a violência e a impunidade. Entrevista especial com Frei Henri B. des Roziers
"O julgamento que condenou os autores do assassinato de José Cláudio e Maria do Espírito Santo, mas absolveu o o suposto mandante é escandaloso e absurdo do ponto de vista jurídico”, diz o advogado e frei dominicano. “A violência no campo continua por causa da histórica e escandalosa concentração de terra, do modelo de desenvolvimento que privilegia o agronegócio, e da impunidade”. A entrevista foi publicada por IHU On-Line em 16/04/2013.


:: Ruralistas intensificam ofensiva contra povos indígenas em ações por todo o país através da PEC 215
A ofensiva do setor ruralista contra os povos indígenas está a todo vapor em um ano que antecede outro, o eleitoral, período dos mais emblemáticos para o país. Depois de o governo federal estancar a reforma agrária e dos parlamentares alterarem o Código Florestal, uma série de campanhas, protestos, audiências públicas, ações institucionais e busca por cadeiras e mesas em comissões no Congresso Nacional nutrem um único objetivo: desconstruir os direitos indígenas pela terra e paralisar a já quase inexistente demarcação de territórios de ocupação tradicional. A reportagem é de Renato Santana e foi publicada pelo portal do Cimi em 15/04/2013.


:: Líderes se reúnem em Brasília para discutir projetos contrários aos povos indígenas
Preocupados com as propostas legislativas e do Poder Executivo que, a seu ver, constituem uma ameaça aos direitos indígenas, representantes de povos de diversas etnias estão reunidos em Brasília, onde, entre hoje (15) e sexta-feira (19), ocorre o Abril Indígena. A expectativa é reunir 700 líderes indígenas ao longo da semana. Segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi)... o encontro é um dos mais importantes eventos anuais do segmento. Este ano, a preocupação é chamar a atenção da sociedade para propostas em andamento no Congresso e que podem ameaçar direitos indígenas fundamentais, como a proposta de emenda à Constituição (PEC) que pretende transferir para o Congresso Nacional a palavra final sobre a demarcação de terras indígenas, quilombolas e de áreas de conservação ambiental. A reportagem é de Alex Rodrigues e foi publicada pela Agência Brasil em 15/04/2013.


Leia Mais:
A luta pela terra e sua representação na mídia

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Reflexões sobre o Conselho criado pelo Papa Francisco


O jornalista norte-americano John L. Allen Jr., responsável pela cobertura do Vaticano para a publicação online National Catholic Reporter, fez, em 14/04/2013, uma análise preliminar sobre o Conselho de 8 cardeais criado pelo Papa Francisco para aconselhá-lo no governo da Igreja universal e para estudar um projeto de revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus sobre a Cúria romana.

Escrevendo apenas 24 horas após a criação do Conselho, ele destaca, em seu texto, cinco pontos que considera importantes.

O artigo tem o título de Cinco pensamentos sobre o novo 'G8' do Papa - Five thoughts on the pope's new 'G8'.

Resumidamente, ele diz que:
1. Mais do que reformar a Cúria, a função primordial do grupo é aconselhar o Papa no governo da Igreja
2. Os escolhidos têm personalidades fortes e não são "vaquinhas de presépio" que vão dizer apenas o que o Papa quer ouvir
3. Na escolha dos cardeais há uma evidente ampliação da colegialidade na Igreja, pelo menos em três níveis. As Conferências Episcopais, por exemplo, podem estar recuperando sua importância na linha do Vaticano II
4. A Secretaria de Estado tem, assim, suas asas cortadas, ficando, como se previa, muito mais enfraquecida
5. E, finalmente, percebe-se uma inversão de papeis no "quem é quem" do Vaticano, com a importância que, a partir de agora, assumem cardeais como Maradiaga e O'Malley

Recomendo a leitura completa do artigo, do qual transcrevo apenas trechos. E, se entendi direito, penso que os conservadores já podem ficar preocupados com a orientação descentralizadora de alguns dos nomes do Conselho...

Diz John L. Allen Jr. (veja o texto em português aqui):

1. A Cabinet, not a blue-ribbon commission
In some early reporting, the mission of this body has been described as helping Francis to reform the Roman Curia. Yet reading Saturday's announcement, that's not what it says. The key line states that Francis has assembled this group "to advise him in the government of the universal church," and only then "to study a plan for revising the Apostolic Constitution on the Roman Curia, Pastor Bonus." In other words, curial reform is only the second task. The first is to advise the pope on decisions about the universal church, meaning there's almost nothing that falls outside its purview...

2. Not 'yes' men
Looking at the list of eight cardinals Francis picked, they're strong personalities rather than 'yes' men inclined simply to tell the pope what he wants to hear...

3. Collegial on multiple levels
The decision to assemble this group of advisers comes off as an act of collegiality, meaning shared authority, on at least three levels (...) First (...) this is a way of implementing the call for greater collegiality that goes all the way back to the Second Vatican Council (1962-65). Second, this group is clearly designed to be geographically representative, including at least one cardinal from each continent (...) Third (...) those picks were unlikely to have been accidents. They suggest a revitalization of the role of bishops' conferences, both nationally and regionally...

4. Clipped wings for the Secretariat of State
Since the election of the new pope, there has been a steady drumbeat of speculation in Rome about whom Francis might pick as the next Secretary of State, with that choice usually styled as the key first test of how serious Francis may be about reform. In light of Saturday's announcement, however, it now seems less critical who takes over from Bertone because the role of the Secretariat of State seems destined to be diminished under Francis. Rather than being the über-dicastery where all the important decisions about church governance are made, it may function more like a support staff to the pope and his body of eight advisers...

5. Role reversals for Rodriguez Maradiaga and O'Malley
There's nothing like the election of a new pope to reshuffle the deck in the church in terms of who's up and who's down, and the choice of Francis clearly illustrates that principle for two of the cardinals named to this "G8": Rodriguez Maradiaga of Honduras and O'Malley of Boston. Not so long ago, the consensus among church-watchers was that Rodriguez Maradiaga was basically dead in the water...

sábado, 13 de abril de 2013

Francisco cria Conselho para a reforma da Cúria


Los "hombres" del Papa: Bertello, Errázuriz, Gracias, Marx, Pasinya, O'Malley, Pell, Maradiaga, Semeraro... Con representación de los cinco continentes, y sin presencia del aparato curial... Se acabaron los gestos, comienza la limpieza (Jesús Bastante).


Papa cria comissão de cardeais para reformar a Cúria - Notícias: IHU On-Line 13/04/2013

O papa Francisco acaba de anunciar, na manhã de hoje, 13/04/2013, a criação de um Conselho de Cardeais para reformar a Cúria Romana. No mesmo dia em que Jorge Mario Bergoglio cumpre um mês da sua eleição como Papa, o Bispo de Roma cumpre um dos compromissos assumidos nas congregações gerais prévias do Conclave: a reforma da Cúria Romana. Segundo Jesús Bastante, diretor do sítio Religión Digital, "acabaram-se os gestos, começa a limpeza".

A sala de imprensa do Vaticano, na manhã de hoje, publica a seguinte informação:

Il Santo Padre Francesco, riprendendo un suggerimento emerso nel corso delle Congregazioni Generali precedenti il Conclave, ha costituito un gruppo di Cardinali per consigliarLo nel governo della Chiesa universale e per studiare un progetto di revisione della Costituzione Apostolica Pastor Bonus sulla Curia Romana.

O Santo Padre Francisco, seguindo uma sugestão surgida no decorrer das Congregações gerais que precederam o conclave, constituiu um grupo de cardeais para aconselhá-lo no governo da Igreja universal e para estudar um projeto de revisão da Constituição Apostólica Pastor Bonus sobre a Cúria Romana. O Conselho será coordenado por Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga, arcebispo de Tegucigalpa, Honduras. A primeira reunião coletiva do grupo será realizada nos dias 1 a 3 de outubro de 2013.

O grupo é constituído pelos seguintes cardeais:

  • Cardeal Giuseppe Bertello, Presidente da Governadoria do Estado da Cidade do Vaticano
  • Cardeal Francisco Javier Errázuriz Ossa, Arcebispo emérito de Santiago do Chile
  • Cardeal Oswald Gracias, Arcebispo de Bombaim - Índia
  • Cardeal Reinhard Marx, Arcebispo de München [Munique] e Freising - Alemanha
  • Cardeal Laurent Monsengwo Pasinya, Arcebispo di Kinshasa - República Democrática do Congo
  • Cardeal Sean Patrick O’Malley, Arcebispo de Boston - USA
  • Cardeal George Pell, Arcebispo di Sydney - Austrália
  • Cardeal Oscar Andrés Rodríguez Maradiaga, Arcebispo di Tegucigalpa - Honduras, que coordenará o Conselho
  • Dom Marcello Semeraro, Bispo di Albano - Itália, secretário do Conselho


El Papa crea una comisión de cardenales para reformar la Curia -  Jesús Bastante: Religión Digital 13/04/2013

Maradiaga será el coordinador de la misma. Bertello se perfila como futuro Secretario de Estado. Con representación de los cinco continentes, y sin presencia del aparato curial. Se acabaron los gestos: Francisco acaba de anunciar la creación de un consejo de cardenales para reformar la Curia Romana. El mismo día en que Jorge Mario Bergoglio cumple un mes de su elección como Papa, el Obispo de Roma cumple con uno de los compromisos que ya apuntó en las congregaciones previas al Cónclave: la reforma del aparato curial. Comienza la limpieza.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Paulus começa a vender livros digitais


Confira a página especial sobre ebooks da Paulus.

Lá está dizendo que a Paulus vai trabalhar em parceria com a Amazon, Iba, Livraria Cultura e Saraiva.

Mas, por enquanto, há poucos dados. Quando souber mais, direi!

E, para incentivar, há 4 livros gratuitos na página. Formato epub.

Quem usa o Kindle, que não suporta epub, pode, além de outras opções, é claro, usar o Calibre. Confira aqui (no item "Domínio Público").

domingo, 7 de abril de 2013

Os não-católicos e o Papa Francisco

É extremamente duvidoso que venhamos a ter outro João XXIII. Mas também era extremamente duvidoso que fôssemos ter o primeiro João XXIII.

Uma coisa que vale a pena assinalar é que mesmo aqueles católicos proeminentes que foram tratados mais duramente pela Igreja ou que estão mais desiludidos com o estado da Igreja – estou a pensar em Frei Betto do Brasil, Ernesto Cardenal da Nicarágua, Hans Küng da Alemanha, ou Garry Wills dos Estados Unidos – não renegam a sua pertença à Igreja. Continuam a tentar transformá-la ou, no seu ponto de vista, a trazê-la de volta à sua original e verdadeira missão. Nós, os restantes, não podemos “desistir” do Vaticano, como não o podemos fazer em relação à China ou aos Estados Unidos ou a qualquer outro lugar que seja uma sede de comportamento humano e de potencial transformação social.

Leia o artigo de Immanuel Wallerstein: Os não-católicos devem se preocupar com um papa? Em Carta Maior: 07/04/2013.



Leia Mais:
Francisco é um novo João XXIII? O debate entre os historiadores
Quem Francisco poderá ser com base no que Bergoglio foi

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Resenhas na RBL - 01.04.2013


As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Matthew A. Collins
The Use of Sobriquets in the Qumran Dead Sea Scrolls
Reviewed by Ian Werrett

Philip R. Davies and Diana Vikander Edelman, eds.
The Historian and the Bible: Essays in Honour of Lester L. Grabbe
Reviewed by George C. Heider

Kristina Dronsch
Bedeutung als Grundbegriff neutestamentlicher Wissenschaft: Texttheoretische und semiotische Entwürfe zur Kritik der Semantik dargelegt anhand einer Analyse zu zu [akouein] in Mk 4
Reviewed by Sidney A. Martin II

Radcliffe G. Edmonds III
The "Orphic" Gold Tablets and Greek Religion: Further along the Path
Reviewed by Edmund P. Cueva

Robert Gnuse
No Tolerance for Tyrants: The Biblical Assault on Kings and Kingship
Reviewed by James M. Bos

Douglas Harink
Paul, Philosophy, and the Theopolitical Vision: Critical Engagements with Agamben, Badiou, Zizek, and Others
Reviewed by Troels Engberg-Pedersen

Hayim Lapin
Rabbis as Romans: The Rabbinic Movement in Palestine, 100-400 CE
Reviewed by Steven Fine

Anne Pasquier, Daniel Marguerat, and André Wénin, eds.
L'intrigue dans le récit biblique: Quatrième colloque international du RRENAB, Université Laval, Québec, 29 mai-1er juin 2008
Reviewed by Johanna Brankaer

Martin C. Salter
The Power of Pentecost: An Examination of Acts 2:17-21
Reviewed by Chris L. de Wet

Davis A. Young and Ralph F. Stearley
The Bible, Rocks and Time: Geological Evidence for the Age of the Earth
Reviewed by David M. Maas


>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

Resenhas na RBL - 25.03.2013


As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

John E. Anderson
Jacob and the Divine Trickster: A Theology of Deception and Yhwh's Fidelity to the Ancestral Promise in the Jacob Cycle
Reviewed by Koog P. Hong

Walter Brueggemann; Carolyn J. Sharp, ed.
Disruptive Grace: Reflections on God, Scripture, and the Church
Reviewed by S. D. Giere

Frank Lothar Hossfeld and Eric Zenger
Psalms 3: A Commentary on Psalms 101-150
Reviewed by Leonard P. Maré

Pirjo Lapinkivi
The Neo-Assyrian Myth of Istar's Descent and Resurrection
Reviewed by James R. Getz Jr.

Wali van Lohuizen
A Psycho-Spiritual View on the Message of Jesus in the Gospels: Presence and Transformation in Some Logia as a Sign of Mysticism
Reviewed by John DelHousaye

B. H. McLean
New Testament Greek: An Introduction
Reviewed by Hennie Stander

Jordan M. Scheetz
The Concept of Canonical Intertextuality and the Book of Daniel
Reviewed by Philippus J. Botha
Reviewed by Don Collett

Janet Smith
Dust or Dew: Immortality in the Ancient Near East and in Psalm 49
Reviewed by Ilaria L. E. Ramelli

Susan Sorek
Remembered for Good: A Jewish Benefaction System in Ancient Palestine
Reviewed by Carrie Elaine Duncan


>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Biblical Studies Carnival 85


Seleção de postagens dos biblioblogs em março de 2013.

Biblical Studies Carnival – March 2013

Trabalho feito por Phillip J. Long, do biblioblog Reading Acts.

Dom Demétrio: não faltará nosso apoio a Francisco


"De certa maneira, dá para dizer que o Papa Francisco, nesses seus primeiros dias de Bispo de Roma, escolheu as referências que traçam a linha do seu pontificado. Usou gestos e palavras, que servem de parâmetro, para 'formatar' esta linha.

Ele emitiu sua mensagem cifrada. Tentemos decifrá-la, para entender bem seu recado.

Sua jogada estratégica começou pela escolha do nome. Foi sua primeira decisão, depois de ter aceito sua eleição. Isto mostra que desde o seu primeiro momento como novo Bispo de Roma, foi logo traçando um rumo para a missão que acabava de abraçar.

Tendo São Francisco como referência, e como escudo para neutralizar possíveis resistências, foi colecionando gestos e palavras que foram cimentando as primeiras impressões positivas a respeito de sua pessoa e de suas intenções.

(...)

João XXIII teve a grande oportunidade de convocar um Concílio, para o qual canalizou as simpatias pessoais que ele tinha angariado, convocando a todos para o grande mutirão em que se constituiu o Concílio [Vaticano II].

Qual será o novo mutirão que o Papa Francisco vai desencadear, para justificar as grandes esperanças que ele despertou com sua insistente convocação nestes dias de Semana Santa?

Depois da Páscoa, a Igreja leva sua fé para o cotidiano da vida. Depois dos gestos e das palavras animadoras, o Papa Francisco precisa tomar suas primeiras iniciativas práticas.

Como pediu nossas orações, não lhe faltará nosso apoio para implementar suas decisões".


Leia o texto completo de O papa e a páscoa, publicado por Dom Demétrio Valentini, Bispo de Jales, SP, na Adital em 28/03/2013.

A utopia de Boff: Francisco inaugura o 3º milênio?


A Igreja é chamada a sair de si mesma e ir para as periferias, não apenas geográficas, mas também as periferias existenciais: as do mistério do pecado, da dor, das injustiças, das ignorâncias e recusa religiosa, do pensamento, de toda miséria. Quando a Igreja não sai de si mesma para evangelizar torna-se autorreferencial e então adoece. Os males que, ao longo do tempo, se dão nas instituições eclesiais têm raiz na autorreferencialidade, uma espécie de narcisismo teológico.


Papa Francisco: inaugura o terceiro milênio?
O primeiro milênio do Cristianismo foi marcado pelo paradigma da comunidade. As igrejas possuíam relativa autonomia com seus ritos próprios: a ortodoxa, a copta, a ambrosiana de Milão, a moçárabe da Espanha e outras. Veneravam seus próprios mártires e confessores e tinham suas teologias como se vê na florescente cristandade do norte da África com Santo Agostinho, São Cipriano e o leigo teólogo Tertuliano. Elas se reconheciam mutuamente e, embora em Roma já se esboçasse uma visão mais jurídica, predominava a presidência na caridade. O segundo milênio foi caracterizado pelo paradigma da Igreja como sociedade perfeita e hierarquizada: uma monarquia absolutista centrada na figura do Papa como suprema cabeça (cefalização), dotado de poderes ilimitados e, por fim, infalível quando se declara como tal em assuntos de fé e moral (...) Este modelo de Igreja, tudo indica, se encerrou com a renúncia de Bento XVI (...) A eleição do Papa Francisco, vindo "do fim do mundo” como ele mesmo se apresentou, da periferia da cristandade, do Grande Sul, onde vivem 60% dos católicos, inaugura o paradigma eclesial do Terceiro Milênio: a Igreja como vasta rede de comunidades cristãs, enraizadas nas diferentes culturas (...) Será praticamente impossível de se falar em paróquias territoriais; mas, em comunidades de vizinhança de prédios ou de ruas próximas. Esse cristianismo terá como protagonistas...

Leia o artigo completo de Leonardo Boff na Adital - 28/03/2103.