sábado, 22 de dezembro de 2012

Netanyahu: o que a ONU diz não me interessa

Uma solução justa, pacífica e duradoura só será possível quando Israel abandonar os territórios ocupados e se implementarem as resoluções pertinentes do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral das Nações Unidas (Manuel Quintero Pérez: Terrorismo versus segurança)


O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declarou na noite desta sexta-feira  (21/12) que Israel tem o direito de construir assentamentos na região oriental de Jerusalém, área reivindicada pelos palestinos, mesmo com a desaprovação de boa parte da comunidade internacional e da ONU (Organização das Nações Unidas). Em entrevista ao Canal 2 da televisão local, o premiê, que é favorito na eleição legislativa marcada para janeiro de 2013, ele afirmou que trata-se de uma questão de princípios, e pouco importa o que as Nações Unidas pensam a respeito. "Vivemos em um estado judeu e Jerusalém é a capital de Israel. O Muro das Lamentações não é território ocupado. Construímos em Jerusalém porque é nosso direito. O que a ONU diz não me interessa", manifestou o chefe do Governo israelense (...) Um dia após o reconhecimento da Palestina como estado observador não membro da ONU no dia 29 de novembro, Israel anunciou planos para construir 3.000 novas unidades de moradia em assentamentos judaicos e avançar o polêmico projeto de edificação na zona E-1, que conectaria o grande assentamento de Maaleh Adumim com Jerusalém e minaria a continuidade territorial do Estado palestino. Esse anúncio foi duramente criticado por 14 dos 15 membros do Conselho de Segurança da ONU. Seu principal aliado, os Estados Unidos, afirmaram que Israel “está provocando um padrão de ações provocativas” que vão contra a Resolução de Dois Estados e desacreditam as manifestações dos dirigentes israelenses a favor da paz.

Fonte: Opera Mundi: Netanyahu: “Não me interessa o que a ONU diz sobre assentamentos” - 22/12/2012  11h05


Amid increasing international criticism of Israel's recent approval of construction plans in the West Bank and East Jerusalem, Prime Minister Benjamin Netanyahu said in a television interview Friday that he is not interested in what the UN has to say about the subject. Following the UN vote granting the Palestinians non-member status, Israel announced plans to advance a long-frozen project for the E-1 corridor, which links the city of Jerusalem with the settlement of Ma'aleh Adumim. The Netanyahu government also announced plans to build 3,000 new residential units beyond the green line. Criticism of these reached as far as the UN this week, when on Wednesday fourteen members of the UN Security Council condemned Israel for its intention to move ahead with construction in E-1, as well as with building new settler homes. On Tuesday the U.S. State Department accused Israel of engaging in a "pattern of provocative action" that runs counter to statements from Israeli leaders that they are committed to peace. In Friday's Channel 2 interview, Netanyahu said construction is a matter of principle. "We live in a Jewish state, and Jerusalem is the capital of Israel. The Western Wall is not occupied territory. We will build in Jerusalem because this is our right. What the UN says doesn't interest me." 

Fonte: Haaretz: Netanyahu: I'm not interested in what UN says about settlement construction - Dec.21, 2012 | 9:56 PM


Precisa comentar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário