sábado, 9 de junho de 2012

Morreu o sociólogo Flávio Pierucci


Acabei de ver a notícia na Folha online de 08/06/2012 e também em Notícias: IHU de 09/06/2012 que reproduz artigo da Folha de S. Paulo.

Convivi com Pierucci, em Roma, durante alguns meses. Quando cheguei ao Pio Brasileiro em 1970 para começar a Teologia na Gregoriana, ele estava terminando o curso. Dele guardo, principalmente, uma lembrança: era uma mente brilhante.

Morre, aos 67 anos, o sociólogo paulista Flávio Pierucci
O professor da USP e sociólogo Antônio Flávio Pierucci morreu ontem [dia 8] pela manhã, em São Paulo, aos 67 anos, em decorrência de um infarto fulminante. O acadêmico tinha diabetes e pressão alta, ambas controladas com medicação. Por volta das 10h de ontem, uma equipe do Samu chegou à residência do pesquisador, na Vila Mariana (zona sul), para tentar reanimá-lo, mas não obteve sucesso. O corpo de Pierucci será enterrado hoje, no Cemitério Municipal de Altinópolis, cidade do Norte paulista (a cerca de 330 km da capital) em que ele nasceu. O professor não deixa filhos. 


Três objetos de estudo se destacaram na trajetória do sociólogo: a produção teórica do alemão Max Weber (1864-1920), o perfil do voto conservador em SP e o enfraquecimento do catolicismo, este último coincidindo com a ascensão das denominações neopentecostais. No âmbito da pesquisa weberiana, publicou em 2003 O Desencantamento do Mundo: todos os passos do conceito em Max Weber (Editora 34), volume originado de sua tese de livre-docência na USP. 


Na obra, Pierucci esmiúça a noção do título, segundo a qual a história do Ocidente testemunhou um lento processo de afastamento da religião de práticas e rituais místicos, mágicos. 


No ano seguinte, o sociólogo, que integrou os quadros do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e foi secretário-geral da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), cuidaria da edição de A Ética Protestante e o "Espírito" do Capitalismo (Cia. das Letras), obra-chave de Weber. Segundo Reginaldo Prandi, professor de sociologia da USP e orientador da tese de doutorado de Pierucci, ele concluíra há pouco a revisão técnica de mais dois títulos weberianos, sobre as religiões da China e da Índia.

Leia a notícia completa.

Atualização: 09/06/2012 - 19h15
A presidenta Dilma Rousseff enviou hoje (9) telegrama de condolências para a família do sociólogo Antônio Flávio Pierucci, que morreu nesta sexta-feira (8), em São Paulo, aos 67 anos.

Diz o telegrama:

O professor Antônio Flávio Pierucci deixa um legado intelectual precioso. A par de seus profundos estudos e criteriosa tradução da obra de Max Weber para o Português, Flávio Pierucci dedicou sua inteligência à compreensão de fenômenos sociais e políticos do presente, destacadamente no campo da Sociologia da Religião. Alunos, colegas e leitores reconhecem nele o talento do mestre e o compromisso generoso com a transformação social. É uma perda que lamento profundamente.


Leia Mais:
Especialista em Weber, reforçou a identidade cristã do brasileiro
Home Page de Antônio Flávio Pierucci
Currículo Lattes de Antônio Flávio Pierucci

Nenhum comentário:

Postar um comentário