terça-feira, 4 de outubro de 2011

O cerrado é mais uma vítima da sanha do mercado

Requiem para o cerrado!

A crescente ocupação do cerrado brasileiro com cultura de cana-de-açúcar destinada à produção de etanol se explica por causa da proximidade do bioma com São Paulo, “de onde partem as ordens para coordenação da produção e de onde vem a tecnologia para montagem e manutenção das novas instalações”, esclarece o geógrafo João Humberto Camelini à IHU On-Line. Além de concentrar os principais grupos produtores de etanol, São Paulo é um “grande mercado consumidor e também nele encontram-se os principais portos, de onde o etanol pode ser direcionado ao mercado externo”. Segundo o pesquisador, no ano passado, 172 usinas estavam instaladas no bioma, “número que vem crescendo continuamente”. Na entrevista a seguir, concedida à IHU On-Line por e-mail, Camelini enfatiza que grandes empreendimentos geram diversos problemas econômicos, sociais e ambientais como “acidentes, poluição, prejuízos ao solo e à biodiversidade devido às queimadas, contaminação do ar e águas com pesticidas, etc. Isto resulta na sobrecarga de serviços públicos como a saúde, principalmente em pequenos municípios nos quais o aporte populacional sazonal dos cortadores de cana representa um aumento percentual considerável em relação ao número de habitantes. Há uma transferência de responsabilidades, já que diversos problemas resultantes da produção de etanol acabam sendo resolvidos com recursos públicos”. João Humberto Camelini é mestre em Geografia com dissertação intitulada Regiões competitivas do etanol e vulnerabilidade territorial no Brasil: o caso emblemático de Quirinópolis, GO, apresentada no Instituto de Geociências – IG.

Leia a entrevista com o geógrafo João Humberto Camelini :

O cerrado é o veio natural da expansão sucroenergética no Brasil - IHU On-Line: 04/10/2011

Você conhece o site de Carlos Terrana, SOS Cerrado? Veja as incríveis fotos: a beleza da fauna, da flora, das águas e o horror da destruição...

Não falo como alguém que (apenas) conhece, falo como alguém que sente. Sou herdeiro de um pedaço de terra em Minas Gerais, da fazenda onde nasci e vivi, de um pedaço de cerrado...

Canto de Guerreiro Mongoió - Elomar

> Conheça a letra, ouça a música

Adeus, adeus meu-pé-de-serra
Querido berço onde nasci
Se um dia te fizerem guerra
Teu filho vem morrer por ti

Leia Mais:
Apocalypse now ou daqui a pouco?
O deus mercado e seus oráculos

Nenhum comentário:

Postar um comentário