terça-feira, 19 de julho de 2011

Mês da Bíblia 2011: Ex 15,22-18,27 - Dois

Continuação do post anterior.

>> O Pentateuco

:: DA SILVA, A. J. O Pentateuco no Observatório Bíblico e na Ayrton's Biblical Page. Julho de 2011.
Resultado da busca personalizada do Google nas páginas do blog e do site.

:: DOZEMAN, T. B.; SCHMID, K. (eds.) A Farewell to the Yahwist? The Composition of the Pentateuch in Recent European Interpretation. Atlanta: Society of Biblical Literature, 2006, viii + 198 p. - ISBN 9781589831636. Free download here - disponível online aqui.
Since the “assured results” of scholarship are rarely certain, it should come as no surprise that the classical formulation of the Documentary Hypothesis has yet again been called into question. A growing consensus in Europe argues that the larger blocks of pentateuchal tradition, especially the stories of the patriarchs and Moses, were not redactionally linked before the Priestly Code, as the J hypothesis suggests, but existed side by side as two independent, rival myths of Israel’s origins. This volume makes available both the most recent European scholarship on the Pentateuch and its critical discussion, providing a helpful resource and fostering further dialogue between North American and European interpreters. The contributors are Erhard Blum, David M. Carr, Thomas B. Dozeman, Jan Christian Gertz, Christoph Levin, Albert de Pury, Thomas Christian Roemer, Konrad Schmid, and John Van Seters.

:: SCHWANTES, M. et al. Pentateuco. RIBLA, Petrópolis/São Leopoldo, n. 23, 1996/1. Disponível online, em espanhol, aqui.
El presente número de la Revista de Interpretación Bíblica Latinoamericana trata de abarcar todo el Pentateuco en sus principales problemas y temas, en una perspectiva latinoamericana. Los ensayos buscan ubicarse dentro de los actuales debates sobre el Pentateuco, reflejando el estado actual de la cuestión. En este sentido, este número se sitúa en el ámbito de los actuales problemas y temas en debate. Cf. neste número da RIBLA: SOUSA, Ágabo Borges de, “Experiencias de la caminata. Éxodo 15-18”: 23 (1996:1) 88-98.

:: SKA, J.-L. Introdução à leitura do Pentateuco: chaves para a interpretação dos cinco primeiros livros da Bíblia. São Paulo: Loyola, 2003, 304 p. - ISBN 8515024527
O objetivo do livro é orientar o leitor no difícil mundo do Pentateuco. A confusão reinante hoje no campo da origem e data do Pentateuco exige opções drásticas para alcançar essa meta. Este livro prepara o leitor para as controvérsias atuais e lhe fornece os instrumentos indispensáveis para uma leitura crítica do Pentateuco.


>> O Êxodo do Egito

:: DA SILVA, A. J. A história de Israel na pesquisa atual. Estudos Bíblicos, Petrópolis, n. 71, p. 62-74, 2001 (texto online)
A “História de Israel” está mudando. O consenso existente até meados da década de 70 do século XX foi rompido. A paráfrase racionalista do texto bíblico que constituía a base dos manuais de “História de Israel” não é mais aceita. A seqüência patriarcas, José do Egito, escravidão, êxodo, conquista da terra, confederação tribal, império davídico-salomônico, divisão entre norte e sul, exílio e volta para a terra está despedaçada.

:: DA SILVA, A. J. A História de Israel no Debate Atual. Ayrton's Biblical Page, 2011.
Este artigo quer traçar um panorama destas mudanças pelas quais vem passando a ‘História de Israel’ nos últimos trinta e tantos anos, apontar as dificuldades que a crise vem criando e propor algumas pistas de leitura para os interessados no assunto.

:: DA SILVA, A. J. As Origens de Israel. Ayrton's Biblical Page, 2011.
Um apanhado das várias hipóteses sobre as origens de Israel. Pois não existe problema da história bíblica que seja mais difícil do que a reconstrução do processo histórico pelo qual as Doze Tribos do antigo Israel se estabeleceram na Palestina e norte da Transjordânia. De fato, a narrativa bíblica enfatiza os poderosos atos de Iahweh que liberta o povo do Egito, o conduz pelo deserto e lhe dá a terra, informando-nos, deste modo, sobre a visão e os objetivos teológicos dos narradores de séculos depois, mas ocultando-nos as circunstâncias econômicas, sociais e políticas em que se deu o surgimento de Israel.

:: DA SILVA, A. J. O Êxodo do Egito: da Bíblia à arqueologia. Post publicado no Observatório Bíblico em 20 de abril de 2008
Moisés pode não ter existido, sugere pesquisa arqueológica - Reinaldo José Lopes - Do G1, em São Paulo: 20/04/2008 - 09h00. Escavações e inscrições mostram que povo de Israel se originou dentro da Palestina. História sobre libertação do Egito teria influência de interesses políticos posteriores. Leia... eu também estou por lá!

:: DA SILVA, A. J. O Êxodo do Egito no Observatório Bíblico e na Ayrton's Biblical Page. Julho de 2011.
Resultado da busca personalizada do Google nas páginas do blog e do site.

:: DA SILVA, A. J. O Pentateuco e a História de Israel. In: TRASFERETTI, J.; LOPES GONÇALVES, P. S. (orgs.) Teologia na Pós-Modernidade: Abordagens epistemológica, sistemática e teórico-prática. São Paulo: Paulinas, [2003] 2007, 496 p. - ISBN 853561110X, p. 173-215.
Este livro tem três partes: uma epistemológica, outra sistemática e uma terceira sobre questões disputadas. Na primeira parte, buscou-se definir filosófica e sociologicamente a pós-modernidade. Na segunda, foram desenvolvidos temas dos tratados das áreas de Teologia Fundamental, Bíblia, Antropologia Teológica, Teologia Moral e Eclesiologia. Na terceira, foram explicitadas as questões disputadas na atualidade: a relação entre cristianismo e religiões não-cristãs, a pastoral universitária, a espiritualidade cristã, os desafios ao estudo da religião e o agir moral na atualidade. Os colaboradores, Manfredo Araújo de Oliveira, Luiz Roberto Benedetti, Félix Alejandro Pastor e Ney de Souza, na primeira parte; João Batista Libânio, Airton José da Silva, Pedro Carlos Cipolini, Paulo Sérgio Lopes Gonçalves e Sérgio da Rocha, na segunda parte; Mário de França Miranda, Maria Clara Lucchetti Bingemer, José Trasferetti, Pablo Barrera e Érico João Hammes, na terceira, garantem a qualidade do conjunto e oferecem uma leitura variada, sob certos aspectos polêmica, dos temas abordados.

:: FARIA, J. de F. (org.) História de Israel e as pesquisas mais recentes. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003, 181 p. - ISBN 8532628281
Este livro reúne o trabalho de cinco exegetas do grupo "Biblistas Mineiros" que pesquisaram acerca da História de Israel contada nos textos bíblicos e recuperada igualmente através da arqueologia e de documentos extra-bíblicos. São reflexões que incluem a possibilidade de se ler a História de Israel sob outros enfoques e de se falar não de História, mas de Histórias de Israel. O livro sugere ainda o repensar da historiografia sobre o assunto e retoma a história bíblica de Israel pelo viés da profecia e faz uma releitura desta história em forma de oração nos Salmos. Os autores: Jacir de Freitas Faria, Romi Auth, Airton José da Silva, Johan Konings e Jaldemir Vitório.

:: FINKELSTEIN, I.; SILBERMAN, N. A. A Bíblia não tinha razão [tradução de The Bible Unearthed: Archaeology's New Vision of Ancient Israel and the Origin of Its Sacred Texts]. São Paulo: A Girafa, 2003, 515 p. - ISBN 8589876187
Este aclamado livro [o significado do título em inglês é: A Bíblia Desenterrada: Uma Nova Visão Arqueológica do Antigo Israel e da Origem de seus Textos Sagrados], publicado em 13 línguas (dados de 2011), foi pensado como um instrumento para que o leitor leigo, mas interessado no assunto, possa ter acesso a um panorama atualizado do que seus autores acreditam ser evidências arqueológicas e históricas indispensáveis para uma nova compreensão do nascimento do antigo Israel e a emergência de seus textos históricos sagrados.

:: LIVERANI, M. Para além da Bíblia: História antiga de Israel. São Paulo: Loyola/Paulus, 2008, 544 p. - ISBN 9788515035557
As historias do antigo Israel sempre foram concebidas como uma espécie de paráfrase da narrativa bíblica. Esta obra de Mario Liverani, porém, é uma tentativa de reescrita da história de Israel que leva em consideração os resultados da crítica textual e literária, as contribuições da arqueologia e da epigrafia e que foi desenvolvida segundo os critérios da moderna metodologia historiográfica. Desta perspectiva resultam duas histórias: uma história normal dos dois pequenos reinos de Israel e Judá, semelhante àquelas de tantos outros pequenos reinos da região. E uma história inventada, construída pelos judaítas durante e após o exílio babilônico, que projetam no seu passado os problemas e as esperanças de sua época.

Nenhum comentário:

Postar um comentário