quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Terremoto no Haiti

Ministério de Defesa diz que há brasileiros desaparecidos após terremoto no Haiti
O Brasil tem 1.266 militares na Força de Paz da ONU (Organização das Nações Unidas) no Haiti, a Minustah, dos quais 250 são da engenharia do Exército (...) O terremoto de magnitude 7 aconteceu às 16h53 desta terça-feira (19h53 no horário de Brasília), a cerca de 16 km da capital haitiana. O sismo destruiu prédios e matou um número ainda incerto de pessoas, em um dos países mais pobres do mundo. Sem levantamentos oficiais e em meio a um colapso nas comunicações, fontes médicas e humanitárias preparam-se para a possibilidade de haver milhares de mortos, incluindo os estrangeiros da força de paz das Nações Unidas, liderada há cinco anos pelo Brasil...

Fonte: Folha Online: 13/01/2010 - 09h00

:: Terremoto do Haiti foi causado por deslizamento entre placas - Apolo11 - Notícias Científicas: 13/01/2010 - 09h26

Parece que há 4 militares brasileiros entre os mortos. Confira aqui.


Atualização: 11h00
Há notícias, ainda não confirmadas, de que Zilda Arns teria morrido no terremoto do Haiti.
Obs.: notícia confirmada! Veja especial sobre Zilda Arns.

Atualização: 14/01/2010 - 09h57
Equipes estrangeiras chegam ao Haiti em busca de sobreviventes do tremor - Folha Online: 14/01/2010 - 07h37
Exército repatria 12 militares brasileiros feridos no Haiti; 14 morreram - Folha Online: 14/01/2010 - 07h56

3 comentários:

airtonjo disse...

Brasil confirma morte de Zilda Arns e outros quatro militares
"O general de brigada do Exército brasileiro Carlos Alberto Neiva Barcellos confirmou nesta quarta-feira, em coletiva de imprensa no quartel-general em Brasília, as mortes de quatro militares brasileiros no tremor de 7 graus de magnitude que atingiu ontem o Haiti. A médica pediatra e fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, estava no Haiti para reuniões e também morreu".

Fonte: Folha Online: 13/01/2010 - 09h55

Confirmada a morte da Drª Zilda Arns
"Foi confirmada na manhã desta quarta-feira, 13, a morte da fundadora das pastorais da Criança e da Pessoa Idosa, a médica e sanitarista, Drª Zilda Arns Neumann, 75 anos. De acordo com informações do chefe de gabinete da presidência da República, Gilberto Carvalho, Drª Zilda foi atingida pelo terremoto que acometeu o país nesta terça-feira, 12. Segundo Gilberto Carvalho, a médica caminhava pelas ruas de Porto Príncipe, com dois soldados do exército brasileiro, que a acompanhavam e lhe traduziam o idioma francês. Drª Zilda se encontrava no país para uma missão da Pastoral da Criança. A CNBB sensibilizada pelo ocorrido enviou o secretário-geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, para Porto Príncipe, em um voo da Força Aérea Brasileira (FAB)".

Fonte: CNBB: 13/01/2010 - 10h16

airtonjo disse...

Exército eleva para 11 o número de militares brasileiros mortos no Haiti
"O Exército brasileiro divulgou na tarde desta quarta-feira um novo balanço no qual informa que onze militares brasileiros morreram no terremoto de sete graus de magnitude que devastou Porto Príncipe, a capital do Haiti, na véspera. Outros sete militares estão feridos e outros sete continuam desaparecidos, segundo comunicado do Exército".

Fonte: Folha Online: 13/01/2010 - 13h36

airtonjo disse...

Principal funcionário brasileiro da ONU no Haiti desapareceu após tremor
"Luiz Carlos da Costa, representante especial adjunto das Nações Unidas no Haiti, o mais alto funcionário civil da ONU de nacionalidade brasileira no país, está desaparecido desde o forte terremoto que atingiu principalmente a capital Porto Príncipe, ontem (12). Costa é responsável por coordenar as atribuições civis da missão de paz da ONU no Haiti, a Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti), tais como desarmamento e desmobilização de rebeldes, organização de eleições e treinamento da polícia haitiana. O brasileiro é hoje a segunda maior autoridade civil da ONU no Haiti. Seu escritório fica no hotel Christopher, o quartel-general da ONU que desabou com o terremoto. Costa serve nas Nações Unidas há 40 anos e é do alto escalão da organização, tendo participado de missões na Libéria, Kosovo e ocupado posições chave no departamento de missões de paz em Nova York e no departamento de recursos humanos da ONU".

Fonte: Folha Online: 13/01/2010 - 15h46

Postar um comentário