domingo, 31 de maio de 2009

Resenhas na RBL - 28.05.2009

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Frédéric Amsler, Albert Frey, Charlotte Touati, and Renée Girardet, eds.
Nouvelles intrigues pseudo-clémentines-Plots in the Pseudo-Clementine Romance: Actes du deuxième colloque international sur la littérature apocryphe chrétienne, Lausanne-Genève, 30 août-2 septembre 2006
Reviewed by Matthew W. Mitchell

Moshe Bar-Asher, Dalit Rom-Shiloni, Emanuel Tov, and Nili Wazana, eds.
Shai le-Sara Japhet: Studies in the Bible, Its Exegesis and Its Language [Hebrew]
Reviewed by Bálint Károly Zabán

A. Philip Brown II and Bryan W. Smith, eds.
A Reader's Hebrew Bible
Reviewed by Hallvard Hagelia

Leonhard Burckhardt, Klaus Seybold, and Jürgen von Ungern-Sternberg, eds.
Gesetzgebung in antiken Gesellschaften: Israel, Griechenland, Rom
Reviewed by Ernst Axel Knauf

Jaap Dekker
Zion's Rock-Solid Foundations: An Exegetical Study of the Zion Text in Isaiah 28:16
Reviewed by Máire Byrne

Jason König and Tim Whitmarsh, eds.
Ordering Knowledge in the Roman Empire
Reviewed by Stephan Witetschek

Diana Lipton
Longing for Egypt and Other Unexpected Biblical Tales
Reviewed by Amelia Devin Freedman

Antti Laato and Jacques van Ruiten, eds.
Rewritten Bible Reconsidered: Proceedings of the Conference in Karkku, Finland
Reviewed by Sidnie White Crawford

Bryan M. Litfin
Getting to Know the Church Fathers: An Evangelical Introduction
Reviewed by H. H. Drake Williams III

I. Howard Marshall
A Concise New Testament Theology
Reviewed by Edward J. McMahon II

Scot McKnight and Joseph B. Modica, eds.
Who Do My Opponents Say That I Am? An Investigation of the Accusations against Jesus
Reviewed by V. George Shillington

Chaim Navon
Genesis and Jewish Thought
Reviewed by David M. Maas

V. Henry T. Nguyen
Christian Identity in Corinth: A Comparative Study of 2 Corinthians, Epictetus and Valerius Maximus
Reviewed by Thomas Schmeller

Fabrizio A. Pennacchietti
Three Mirrors for Two Biblical Ladies: Susanna and the Queen of Sheba in the Eyes of Jews, Christians, and Muslims
Reviewed by Carole R. Fontaine

>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Conversa sobre blogs e academia continua

A conversa mencionada no post anterior, Um blog é uma ferramenta democrática, continua. Veja:

:: Why blog? - NT Blog - by Mark Goodacre: May 26, 2009

:: Why Blog Anonymously? - Missives from Marx: May 27, 2009

:: Why the hell does one blog? - Stalin's Moustache - by Roland Boer: May 27, 2009

:: Should blogging count for academics? - SansBlogue - by Tim Bulkeley: May 28, 2009

:: Why blog? / Does Blogging Matter? - Ancient World Bloggers Group - by Chuck Jones: May 28, 2009

terça-feira, 26 de maio de 2009

Um blog é uma ferramenta democrática

Estava lendo no blog do Jim West sobre a Conferência de Duke - ver post anterior - quando encontro um assunto que já foi antes debatido algumas vezes por nós: Blogging: To What End? ou seja: Por que Blogar? se pergunta Jim.

Mas a questão foi levantada antes no Hypotyposeis por Stephen C. Carlson no post Academic Blogging: Publication or Service? E continuada por Mark Goodacre em seu NT Blog sob o título Academic Blogging: Publication, Service or Teaching? Repercutida também por Opus Imperfectum em Publishing For Dummies: Blogging as Research/Teaching/Service?

A discussão nestas postagens é toda voltada para o valor acadêmico do ato de blogar e de seus resultados: é esta uma forma de publicação que a academia deveria levar a sério na carreira do professor e pesquisador ou é muito mais um serviço, que, apesar de todo o seu rico conteúdo, não tem e nem deveria ter valor acadêmico?

Eu mantenho a mesma posição de três anos atrás, quando, escolhido como o biblioblogueiro do mês de setembro de 2006 e entrevistado por Jim West no Biblioblogs.com, respondi, entre outras coisas, sobre o que me levou a iniciar um blog e se eu considerava o blogar como um importante instrumento acadêmico [veja texto abaixo].

Embora deva acrescentar, desde então, duas coisas: meus alunos de Bíblia no curso de graduação em Teologia, mesmo com suas limitações na leitura do inglês e no acesso à Internet, apreciam o meu blog e sentem orgulho de ter um professor que escreve um blog. Isso eu vejo em suas atitudes e ouço nas conversas de corredor e nos diálogos em sala de aula. Tanto no CEARP quanto na PUC-Campinas [nesta última, até final de 2006, quando "fui saído" de lá].

Por outro lado, um dos meus colegas de Campinas teria dito em uma das muitas reuniões nas quais se tecia, com persistência, a trama que levaria ao meu "desligamento" da Universidade depois de 27 anos de docência, que o meu blog poderia até ser apreciado por pessoas de várias partes do mundo - até mesmo nos Estados Unidos, teria dito! -, mas de que nada acrescentava à academia.

Como deveria entender esta fala? Realista, pragmática, utilitarista, oportunista, invejosa, zelotípica, conspiratória, cínica?

What we do in life echoes in eternity... O que fazemos em vida ecoa na eternidade (Gladiator - O Gladiador).

Ora, considerada verídica tal postura deste colega, será o caso de julgar legítima a discussão dos colegas nas postagens de ontem e de hoje, 25 e 26 de maio de 2009.

Por fim, quero dizer que, apesar das muitas satisfações que o meu blog tem me proporcionado - senão por outra razão, pelo simples fato de que gosto de escrever, seja ou não lido - o que às vezes me deixa "com uma ruga na testa" é que a comunidade biblioblogueira, falando predominantemente a língua inglesa, ignora, em muitos casos, as outras línguas, e, sendo uma criação estadunidense... bem, que espaço ocupam os "outros"?

Cito abaixo os dois trechos da mencionada entrevista de 2006 a Jim West sobre o ato de blogar:


JW (Jim West): As a scholar of the Bible, what drew you to “blogging” about it?

AS (Airton Silva): Quando comecei a ler sistematicamente os biblioblogs de Mark Goodacre, James Davila e o seu, foi que surgiu a idéia de começar o meu próprio blog. Como tenho uma página dedicada a estudos acadêmicos de Bíblia desde 1999, percebi que um biblioblog poderia ser a solução para algumas coisas que estava querendo fazer com mais agilidade. Como, por exemplo, ter um espaço mais flexível para comentar a relação da Bíblia com o mundo atual, acompanhar o debate acadêmico sobre a “História de Israel”, noticiar descobertas arqueológicas importantes e/ou polêmicas, transmitir em português para meus visitantes - que nem sempre lêem inglês ou alemão - os temas mais significativos do debate bíblico atual, estabelecer contato com outros biblioblogueiros, comentar os atuais conflitos do Oriente Médio.

Assim, quando acompanhei, através dos biblioblogs, o debate de 2005 na SBL CARG - The Pleasures, Pains and Prospects for Biblioblogging — vi que era chegada a hora: o Observatório Bíblico foi criado no dia 07/12/2005 e neste dia escrevi: “Este biblioblog é uma ferramenta jornalística associada ao meu site, do qual faz parte. Quer oferecer ao visitante comentários recentes sobre as interpretações arqueológicas, históricas e exegéticas relevantes para o estudo da Bíblia (…) Para ficar sabendo o que está acontecendo no mundo dos estudos bíblicos, venha visitar, com freqüência, o Observatório Bíblico”.

JW: Do you think that blogging will continue to be an important instrument for scholarly work?

AS: Esta não é um pergunta fácil de ser respondida, pois implica em apostar em desconhecido futuro. Mas, em princípio, minha resposta é positiva. E cheia de esperanças. Acredito que este seja um espaço privilegiado para um debate aberto e franco sobre o trabalho acadêmico, desde que não seja um substitutivo do mesmo.

Percebo, contudo, vários riscos no blogar: pode tornar-se uma espécie de vício para quem gosta de escrever, tomando precioso tempo que poderia ser dedicado à leitura de livros e artigos e à pesquisa exegética, já que um computador ligado o tempo todo na Internet é uma séria ameaça a muitas outras atividades, porque é, de fato, muito envolvente; pode substituir as páginas tradicionais na web, coisa que eu não gostaria de fazer com a minha, porque creio que aquele é um espaço que possibilita maior profundidade acadêmica; de repente, todos nós podemos estar muito ocupados escrevendo sobre as mesmas coisas, sem acrescentar muita coisa ao conhecimento humano; podemos ficar envolvidos na leitura de feeds por várias horas diárias… e há mais riscos.

Mesmo assim, acredito que, sendo criteriosos, temos uma formidável ferramenta ao nosso alcance, coisa jamais sonhada quando eu era um estudante em Roma e lutava com uma máquina de escrever manual para fazer meus trabalhos que só eram acessíveis a dois ou três amigos. Um blog é uma ferramenta democrática.

Leia Mais:
Biblioblogs: problemas e soluções
Biblioblogs: mais problemas do que soluções?
Sobre o enfraquecimento da comunidade biblioblogueira
Quantos idiomas deveria um biblista dominar?
Biblical Studies Carnival: considere 10 linguas!
O show do eu: só existe quem é visto?

Arqueologia, Política e Mídia: o Simpósio em Duke

Duke University Conference on Archaeology, Politics and the Media: Re-Visioning the Middle East: April 23-24, 2009.

Leia e ouça:
:: Duke Conference on Archaeology, Politics, and the Media: DAY 1 - Robert Cargill's Blog: April 27, 2009

:: Duke Conference on Archaeology, Politics, and the Media: DAY 2 - Robert Cargill's Blog: April 29, 2009

:: Audio of Duke Conference on Archaeology, Politics, and the Media - The ASOR Blog: May 13, 2009
The following post contains mp3 files of papers presented at Duke University on April 23th and 24th, 2009

:: Archaeology and National Parks in Jerusalem: Who owns the past? - Article by By Eric M. Meyers, Duke University, Durham, NC, USA - The Bible and Interpretation: May 2009
One of the most sensitive areas on the political landscape of Jerusalem, which was the focus of my paper and many discussions at the recent conference at Duke University on “Archaeology, Politics, and the Media,” is the issue of national parks in the historic basin, especially in the City of David, and how they tell the story of Jerusalem’s rich and diverse history. In addition, the green spaces being developed in these areas around the walls of the Old City makes Israel’s long-range goals abundantly clear. As Ethan Bronner expressed it so well in a lead story in the New York Times recently (The New York Times, May 12, 2009) the political implications of Israel’s $100 million, multiyear development plan “in some of the most significant religious and national heritage sites just outside the walled Old City” are staggering and are part of a larger strategy to strengthen Israel’s claim to the holy city. Who owns the past and who has the right to narrate it in one of the most sensitive areas on the planet is what is at stake there. The fact that the government of Israel has joined with the settler movement to put archaeology at the heart of the political dispute over Jerusalem is “unsettling” to say the least and fraught with great danger. One Israeli archaeologist recently described the new digs in Jerusalem as “a weapon of dispossession.”

:: Seeking the Sacred Past - Article by Paul V. M. Flesher, Director, Religious Studies Program University of Wyoming - The Bible and Interpretation: May 2009
On April 23-24, 2009, Duke University held a symposium titled, “Archaeology, Politics and the Media: Re-Visioning the Middle East.” Hosted by Eric and Carol Meyers, this meeting brought together professional archaeologists and media personnel from three continents for a general conversation about archaeology, its interaction with media, and the effect on it of political decisions. This was a cooperative and productive conference, with both sides identifying problems and suggesting solutions—ending with clear ideas about how to work together more effectively in the future. The papers will be published in a collected volume by Eric Meyers. Robert Cargill blogged the sessions live; his notes and comments remain online. The lectures also appear in mp3 files at the ASOR Blog. Given this dissemination, the following opinion piece aims not to provide a blow-by-blow account of the papers and their discussion, but to use several of the conference’s papers to elucidate a phenomenon that underlies and drives the problems that were the conference’s main focus.

Agradeço a Jim West pela indicação do último artigo em seu post The Bible and Interpretation: The Duke Archaeology Conference: May 26, 2009.

Resenhas na RBL - 23.05.2009

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Ismo O. Dunderberg
Beyond Gnosticism: Myth, Lifestyle, and Society in the School of Valentinus
Reviewed by Marvin Meyer

Elisabeth Esch-Wermeling
Thekla-Paulusschülerin wider Willen? Strategien der Leserlenkung in den Theklaakten
Reviewed by Richard I. Pervo

Israel Finkelstein and Amihai Mazar; edited by Brian B. Schmidt
The Quest for the Historical Israel: Debating Archaeology and the History of Early Israel
Reviewed by Ralph K. Hawkins

Richard A. Horsley, ed.
In the Shadow of Empire: Reclaiming the Bible as a History of Faithful Resistance
Reviewed by Roland Boer

Tal Ilan, Tamara Or, Dorothea Salzer, Christiane Steuer, and Irina Wandrey, eds.
A Feminist Commentary on the Babylonian Talmud: Introduction and Studies
Reviewed by Joshua Schwartz

Walter C. Kaiser, Darrell L. Bock, and Peter Enns; edited by Kenneth Berding and Jonathan Lunde
Three Views on the New Testament Use of the Old Testament
Reviewed by Stephen Moyise

David Marcus, ed.
Biblia Hebraica Quinta: Ezra and Nehemiah
Reviewed by Andrew Steinmann

Russell Pregeant
Knowing Truth, Doing Good: Engaging New Testament Ethics
Reviewed by M. Eugene Boring

Leo G. Perdue, ed.
Scribes, Sages, and Seers: The Sage in the Eastern Mediterranean World
Reviewed by James L. Crenshaw

Tammi J. Schneider
Mothers of Promise: Women in the Book of Genesis
Reviewed by Ellen White

David Valeta
Lions and Ovens and Visions: A Satirical Reading of Daniel 1-6
Reviewed by Jordan M. Scheetz

H. G. M. Williamson, ed.
Understanding the History of Ancient Israel
Reviewed by Walter Dietrich

Robert W. Yarbrough
1, 2, and 3 John
Reviewed by Tobias Nicklas

>> Visite: Review of Biblical Literature Blog

História de Israel: bibliografia está sendo atualizada

A bibliografia da "História de Israel" de minha página está sendo atualizada. Pelo menos as leituras recomendadas no final de cada item, como se pode ver aqui e aqui.

O texto pode ficar meio "esquisito", pois as notas de rodapé permanecem em sua forma e edições antigas, enquanto as leituras recomendadas estão atualizadas com a inclusão de imprescindíveis publicações mais recentes e novas edições das obras mais antigas.

Mas é fundamental, hoje, em História de Israel, que sejam lidas as obras publicadas nos últimos 10 anos ou um pouco mais. Do contrário, o interessado não entenderá o que está acontecendo na área.

Recomendo a visita à bibliografia atualizada.

Que está presente também em outros pontos da página, como aqui, aqui e aqui.

O humor na cultura judaica

Comunicado recebido, por e-mail, da Profa. Lyslei Nascimento, do Núcleo de Estudos Judaicos (NEJ) da Faculdade de Letras da UFMG:

Estimados pesquisadores, colaboradores e amigos do NEJ, Shalom!

Com grande satisfação, comunicamos o lançamento, on-line, do quarto número da Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG (ISSN 1982-3053) no site da UFMG.

Nesse número, dedicado à professora, tradutora e ensaísta Nancy Rozenchan, publicamos o dossiê: Humor: o riso, a ironia e a controversia no arquivo da cultura judaica.

Além da entrevista de Nancy Rozenchan, um exemplo de seu brilhantismo e sensibilidade crítica na área de Estudos Judaicos, recebemos de todo Brasil, da Argentina e dos Estados Unidos, contribuições excelentes. Confiram o sumário.
(...)

Aguardamos sua visita e solicitamos a divulgação dessa edição. Convidamos, ainda, pesquisadores, escritores e artistas a colaborarem no próximo número que terá o instigante tema: "Crimes, pecados e monstruosidades no arquivo da tradição judaica". A data-limite para envio de trabalhos é 10 de setembro de 2009. A ementa e as normas editoriais estão disponíveis em: http://www.ufmg.br/nej/modules/content/index.php?id=58.

Este número contou com a ajuda e o apoio, indispensáveis, dos pesquisadores do NEJ, dos colaboradores, dos pareceristas e da equipe do CEDECOM da UFMG.

Cordialmente,

Lyslei Nascimento
UFMG, Brasil

Do sumário, cito aqui somente os artigos:
. Um bestiário universal: o fantástico e a ironia na ficção de Primo Levi -
Alcebíades Diniz Miguel
. Introdução a Zacarias: controvérsias e dificuldades interpretativas - Fábio Py Murta de Almeida
. Ironia e genealogia em A estranha nação de Rafael Mendes, de Moacyr Scliar - Glauber Pereira Quintão
. Ressonância e dissonância judaicas: a diáspora e o exílio como objetos do literário - Helena Lewin
. Alguns aspectos do humor judaico - Jacó Guinsburg
. "O velho Marx": do humor, da ironia e da crítica em Moacyr Scliar - Juliana de Paula Sales Silva
. Morte e ironia em "A exposição de rosas", de István Örkény - Leonardo Francisco Soares
. Humor e Shoah: O trem da vida - Lyslei Nascimento
. Os pais comem frutos verdes e os dentes dos filhos ficam embotados? Considerações sobre o pecado em Romance de família, de Edna Mazya - Nancy Rozenchan
. D. Pedro II visita uma loja de antiguidades em Jerusalém: uma controvérsia sobre antiguidades moabitas e o Affair Shapira - Reuven Faingold

Biblistas: especialistas e divulgadores?

É recomendável a leitura do texto de Michael F. Bird, Highland Theological College in Dingwall, Escócia, escrito com Craig Keener, Palmer Seminary, Wynnewood, Pennsylvania, USA, e publicado no Fórum SBL deste maio:

Jack of All Trades [= pau-para-toda-obra] and Master of None: The Case for “Generalist” Scholars in Biblical Scholarship

sábado, 23 de maio de 2009

John Van Seters e a saga bíblica do rei Davi

Será publicado em junho mais um livro de John Van Seters: The Biblical Saga of King David [A saga bíblica do rei Davi].

Van Seters argumenta que a estória bíblica de Davi é uma saga [do alemão, gesagt = “dita”, gênero que caracteriza uma narrativa que foi repetida oralmente durante muito tempo] composta na época persa por um autor que utilizou uma versão já profundamente idealizada deste rei presente na Obra Histórica Deuteronomista, reformulando-a, contudo, a partir dos padrões de sua época.


VAN SETERS, J. The Biblical Saga of King David. Winona Lake, IN: Eisenbrauns, 2009, x + 390 p. - ISBN 9781575061702.

Diz a editora Eisenbrauns:
"The biblical story of King David has been interpreted in many different ways, arising from the variety of methods used in and the intended objectives of the studies: Does the narrative contain insight into and information about the early history of the Judean monarchy, or is it merely a legendary tale about a distant past? Can we identify the story’s literary genre, it sociohistorical setting, and the intention of its author(s)? Is an appreciation for the wonderful literary qualities of the story compatible with a literary-critical investigation of the narrative’s compositional and text-critical history? Van Seters reviews past scholarship on the David story and in the course of doing so unravels the history of these questions and then presents an extended appraisal of the debate about the social and historical context of the biblical story. From this critical foundation, Van Seters proceeds to offering a detailed literary analysis of the story of David from his rise to power under Saul to his ultimate succession by Solomon".

"As can be expected from someone known for his original thinking on a variety of topics, Van Seters articulately argues that the biblical story of David is a saga composed in the late Persian period, a beautifully crafted and highly realistic portrayal of a typical Near Eastern monarch of that time. Its author took up, as his basic source, an earlier version of the David story in which the Deuteronomistic Historian presents a completely idealized David as the king and founder of a unified state of the people of Israel. By expanding this version with his own invented episodes, the saga writer radically undercuts Dtr’s ideology by revealing David and all his offspring, including Solomon, to be quite unfit for rule and the cause of the state’s ultimate demise. The David Saga is antimessianic in its understanding of the future destiny of the state of Israel and opposed to the popular notion in his time, namely, that of a single, unified and racially pure people of Israel to the exclusion of all the other people of the land of Palestine".

Sumário:
1. Introduction
2. The David Saga within its Social and Historical Setting: Part I
3: The David Saga within its Social and Historical Setting: Part II
4. David and Saul: the Problem of Multiple Accounts
5. David’s Life in Saul’s Court and David as an Outlaw
6. David Becomes King of Israel: the Dtr View
7. Life in the Court of David
Conclusion
Appendix I

Veja o sumário com mais detalhes na página da Eisenbrauns.

Leia mais sobre John Van Seters aqui e aqui.

Tomei conhecimento do livro através do Bibbiablog, no post The Biblical Saga of King David, de 15 de maio de 2009.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Biblioblogueira de maio 2009: Cynthia Nielsen

John Hobbins, em Biblioblogs.com, entrevista Cynthia Nielsen, do blog Per Caritatem, escolhida como a biblioblogueira do mês de maio de 2009.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Resenhas na RBL - 14.05.2009

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Noam Adler
A Comprehensive Collection of Oil Lamps of the Holy Land from the Adler Collection
Reviewed by Jodi Magness

Janice Capel Anderson and Stephen D. Moore, eds.
Mark and Method: New Approaches in Biblical Studies
Reviewed by Renate Viveen Hood

Roger S. Bagnall, ed.
Egypt in the Byzantine World 300-700
Reviewed by David Frankfurter

Johanna Brankaer and Hans-Gebhard Bethge, eds.
Codex Tchacos: Texte und Analysen
Reviewed by Michael Kaler

David B. Burrell
Deconstructing Theodicy: Why Job Has Nothing to Say to the Puzzle of Suffering
Reviewed by F. Rachel Magdalene

Warren Carter
John and Empire: Initial Explorations
Reviewed by Stephan Witetschek

Raymond F. Collins
The Power of Images in Paul
Reviewed by Nils Neumann

Craig A. Evans, ed.
Encyclopedia of the Historical Jesus
Reviewed by Christoph Stenschke

Susan Haber; edited by Adele Reinhartz
"They Shall Purify Themselves": Essays on Purity in Early Judaism
Reviewed by Jonathan D. Lawrence

Mika Hietanen
Paul's Argumentation in Galatians: A Pragma-Dialectical Analysis
Reviewed by Johan S. Vos

Jerome Murphy-O'Connor
St. Paul's Ephesus: Texts and Archaeology
Reviewed by Jan Van Der Watt

Marvin Sweeney
Reading the Hebrew Bible after the Shoah: Engaging Holocaust Theology
Reviewed by Jon D. Levenson

Benedict T. Viviano
Matthew and His World: The Gospel of the Open Jewish Christians Studies in Biblical Theology
Reviewed by Boris Repschinski


>>Visite: Review of Biblical Literature Blog

O PSDB não gosta da Petrobras. Nem do Brasil

:: "O PSDB não gosta da Petrobras. Nem do Brasil" - Carta Maior: 16/05/2009
"Em entrevista concedida ao Correio da Cidadania, em janeiro deste ano, o presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras, Fernando Siqueira, alertava para uma nova campanha de desmoralização da empresa diante do público. Entre outras coisas, ele recorda que a gestão do PSDB governando o país foi responsável pela quebra do monopólio do petróleo, pela venda de 36% das ações da Petrobras na Bolsa de Nova York por menos de 10% do seu valor real. Para Siqueira, o governo depende da participação popular para defender o nosso petróleo". Escrito por Gabriel Brito e Valéria Nader em 20/01/2009: Para manter Lei do Petróleo e controlar o Pré-Sal, lobbies buscam desmoralizar a Petrobras.

:: A CPI da Petrobrax e a tucanalhada - Blog do Emir: Emir Sader, em 16/05/2009
"Os tucanos queriam privatizar a Petrobras. Não conseguiram. Seu ímpeto entreguista durou menos de 24 horas diante do clamor nacional. Agora, na calada da noite, organizaram uma CPI sobre a Petrobras para tentar impor os danos que consigam à maior empresa brasileira".

:: A CPI da Petrobras e o tiro no pé dos tucanos - O Biscoito Fino e a Massa: Idelber Avelar, em 18/05/2009
..."Não gosto de fazer previsões em política, mas acho que o PSDB acaba de dar o maior tiro no pé da sua curta história. A Petrobras ocupa, no imaginário do povo brasileiro, um lugar incomparável ao de qualquer outra estatal, mesmo o Banco do Brasil. Temos orgulho dela. Fizemos, faz muito pouco tempo -- 50 anos, em história, não é nada --, uma campanha gigantesca para defender nosso petróleo. O PSDB, de olho nas eleições – e o papel de um partido político é ficar de olho nas eleições, não há nada de errado nisso –, acaba de criar as condições para ser definitivamente associado ao entreguismo".

:: A udenização do PSDB - Notícias: IHU On-Line: 19/05/2009
"''Se há um sentimento que tem animado o espírito político conservador hoje no Brasil, este é o do antipetismo (e uma variante sua, o antilulismo). E nenhuma outra agremiação tem incorporado melhor este papel de anti-PT e anti-Lula do que o PSDB (com a sugestiva exceção mineira). Ao tornar-se estuário deste conservadorismo social e político, os tucanos têm adotado - sobretudo na cena nacional - um discurso e uma postura cada vez mais conservadores e elitistas'", escreve Cláudio Gonçalves Couto, cientista político, professor da PUC-SP e da FGV-SP, em artigo publicado no jornal Valor, 19/05/2009.

Leia Mais:
Luis Nassif Online: Petrobras

sábado, 16 de maio de 2009

Simpósio Internacional sobre Paulo

Paul in His Jewish Matrix - Paolo nella sua matrice giudaica

International Symposium organized by the Cardinal Bea Centre in collaboration with the Pontifical Biblical Institute, the Hebrew University of Jerusalem, the Catholic University of Leuven and the Basilica of St. Paul Outside the Walls from May 20 to 22, 2009.

Roma, 20-22 maggio 2009: Convegno Internazionale con la partecipazione dei maggiori studiosi del settore, ebrei e cristiani. La tematica riguarda le origini dei rapporti tra il nascente Cristianesimo e l’Ebraismo e va al cuore della complessa relazione tra la Chiesa e il mondo ebraico. Organizzato dal Centro Cardinal Bea per gli Studi Giudaici della Pontificia Università Gregoriana, il convegno si svolge in tre sedi: Pontificio Istituto Biblico, Pontificia Università Gregoriana e Basilica Papale di San Paolo fuori le Mura.

Entre os palestrantes, que abordarão vários temas paulinos, anoto:
. Joseph Sievers, Pontifício Instituto Bíblico e Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma, Itália - The Pontifical Biblical Institute & The Pontifical Gregorian University
. Serge Ruzer, Universidade Hebraica de Jerusalém, Israel - The Hebrew University of Jerusalem
. Antonio Pitta, Pontifícia Universidade Lateranense, Roma, Itália - The Pontifical Lateran University
. E. P. Sanders, Universidade Duke, Carolina do Norte, USA - Duke University, North Carolina, USA
. Pasquale Basta, Pontifício Instituto Bíblico, Roma, Itália- The Pontifical Biblical Institute
. Adriana Destro & Mauro Pesce, Universidade de Bolonha, Itália - University of Bologna
. Reimund Bieringer & Emmanuel Nathan, Universidade Católica de Leuven, Bélgica - The Catholic University of Leuven
. Didier Pollefeyt & David Bolton, Universidade Católica de Leuven, Bélgica - The Catholic University of Leuven
. Shaye J. D. Cohen, Universidade de Harvard, USA - Harvard University
. Daniel R. Schwartz, Universidade Hebraica de Jerusalém, Israel - The Hebrew University of Jerusalem
. Emanuel Tov, Universidade Hebraica de Jerusalém e Pontifícia Universidade Gregoriana, Israel e Itália - The Hebrew University of Jerusalem & the Pontifical Gregorian University
. Paula Fredriksen, Universidade de Boston e Universidade Hebraica de Jerusalém, USA e Israel - Boston University & The Hebrew University of Jerusalem
. Justin Taylor, Escola Bíblica e Arqueológica Francesa de Jerusalém, Israel - École Biblique et Archéologique Française, Jerusalem

Veja também a descrição do simpósio e o programa completo em pdf.

terça-feira, 12 de maio de 2009

A mídia conservadora e a luta pelo poder

Veja criminaliza a política brasileira
“Entre o campo jurídico e o campo midiático há uma cumplicidade estrutural que, em última e principal instância, termina servindo ao disciplinamento das classes subalternas”, constata Roberto Efrem Filho, ao avaliar a revista Veja, tema de sua dissertação de mestrado, concluída neste ano. O pesquisador analisou 578 edições da publicação, entre o período de 1997 a 2008, correspondente aos governos de Fernando Henrique Cardoso e Luís Inácio Lula da Silva. Na entrevista que se segue, concedida com exclusividade, por e-mail, à IHU On-Line, Efrem Filho diz que “o campo midiático encontra na ‘corrupção midiatizada’ um significativo modus operandi de empreender a luta política”. Assim, “a melodramatização jornalística”, continua, prefere “o combate ao debate, a polêmica à dialética, o enfrentamento entre as pessoas em detrimento do confronto entre seus argumentos”. Roberto Efrem Filho é mestre em Direito pela UFPE, professor substituto da mesma instituição de ensino e assessor jurídico popular.

Leia a entrevista.

Fonte: Notícias - IHU On-Line: 09/05/2009

Anoto que esta entrevista foi publicada também na Revista IHU On-Line, edição 292, de 11.05.2009, na seção Entrevista da Semana. Desta semana.

Recomendo a leitura. Fiquei impressionado. Talvez seja o típico limite imposto por minha ignorância na área, mas nunca tinha visto uma análise tão consistente do papel político da mídia conservadora brasileira.

Teologia e Literatura: Bem e Mal em G. Rosa

Na Revista IHU On-Line, edição 292, de 11.05.2009, nos Destaques da Semana, chamou minha atenção:

. Roberto Efrem Filho: Veja criminaliza a política brasileira

e

. Eliana Yunes: A fundição do bem e do mal em Guimarães Rosa. Na revista, este é o Livro da Semana.


YUNES, E.; BINGEMER, M. C. L. (org.) Bem e Mal em Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: PUC-Rio/Uapê, 2009, 146 p.

Diz a editora:
"O livro, organizado por Maria Clara Lucchetti Bingemer [Teologia - PUC-Rio] e Eliana Yunes [Letras - PUC-Rio], promove o encontro da literatura com a teologia em artigos de grandes especialistas dessas duas áreas do conhecimento humano. No livro, produzido em uma perspectiva interdisciplinar, encontram-se uma leitura teológica de textos de Guimarães Rosa e uma leitura da Teologia a partir da obra do escritor, cujo centenário de nascimento foi comemorado em 2008. Através de diferentes análises sobre o discurso rosiano, os autores convidam o leitor a refletir sobre a angústia humana, gerada pela necessidade de tomar decisões éticas. Diante de personagens e situações criados por Guimarães Rosa, tentam desvendar os mistérios da eterna luta entre o bem e o mal, apresentada tanto no sertão transformado em campo de batalha quanto dentro do coração humano. Passam, também, pelos pactos de que vive o homem: Deus e o diabo, eu e o outro, iguais e diferentes. No prefácio, Vilma Guimarães Rosa, filha de João, apresenta uma curta biografia do pai, revelando peculiaridades presentes no cotidiano de um escritor que, em sua travessia entre o particular e o público, criou uma linguagem que marcou para sempre a Literatura Brasileira. Novas e instigantes imagens de Grande Sertão: Veredas são reveladas a partir das leituras do grande clássico presentes nos textos de Cleide Maria de Oliveira, Delambre Ramos de Oliveira, Josias da Costa Junior, Leonardo Vieira de Almeida, Marco Antonio G. Bonelli e Maria Clara Lucchetti Bingemer. Os artigos de Eliana Yunes e Stella Caymmi trazem análises sobre dois contos de Guimarães Rosa: A hora e a vez de Augusto Matraga, publicado em Sagarana, e A terceira margem do rio, publicado em Primeiras Estórias".

IHU On-Line fala da América Latina hoje

A Revista IHU On-Line, edição 292, de 11.05.2009, tem como tema de capa: América Latina, hoje

Leia:
. Silvio Caccia Bava: As mudanças estão acontecendo na América Latina
. Adrián Padilla: Venezuela e o bolivarianismo. A busca de um modelo socialista
. Héctor-León Moncayo: América Latina: em busca de uma nova integração?
. Raúl Zibechi: Um giro à esquerda na América Latina? Se há, só na Bolívia
. Alfredo Molano: Movimento indígena: “mais organizado e combativo”
. José Maria Blanch: O desafio de reconstruir o país
. René Cardozo: Bolívia: um governo apoiado nos movimentos sociais

sábado, 9 de maio de 2009

Resenhas na RBL - 09.05.2009

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

John Ashton
Understanding the Fourth Gospel
Reviewed by Craig R. Koester

Yitzhak Berger
The Commentary of Rabbi David Kimhi to Chronicles: A Translation with Introduction and Supercommentary

Reviewed by Amos Frisch

Reimund Bieringer, Emmanuel Nathan, and Dominika Kurek-Chomycz
2 Corinthians: A Bibliography
Reviewed by Victor Paul Furnish

Michael F. Bird
Jesus and the Origins of the Gentile Mission
Reviewed by Andreas J. Kostenberger

James K. Bruckner
Exodus
Reviewed by Brian D. Russell

Billie Jean Collins
The Hittites and Their World
Reviewed by Willemijn Waal

Cornelia B. Horn and Robert R. Phenix Jr., eds. and trans.
John Rufus: The Lives of Peter the Iberian, Theodosius of Jerusalem, and the Monk Romanus
Reviewed by Ilaria L. E. Ramelli

Dirk J. Human, ed.
Psalms and Mythology
Reviewed by Jeffery M. Leonard

Patricia A. Kirkpatrick and Timothy Goltz, eds.
The Function of Ancient Historiography in Biblical and Cognate Studies
Reviewed by Ernst Axel Knauf

Ilana Pardes
Melville's Bibles
Reviewed by Michael Kaler

Stanley E. Porter, ed.
Dictionary of Biblical Criticism and Interpretation
Reviewed by Christoph Stenschke

Blazej Strba
Take Off Your Sandals from Your Feet! An Exegetical Study of Josh 5, 13-15
Reviewed by Ovidiu Creangă

Daniel J. Treier
Introducing Theological Interpretation of Scripture: Recovering a Christian Practice
Reviewed by Edward W. Klink III

Robert L. Webb and Betsy Bauman-Martin, eds.
Reading First Peter with New Eyes: Methodological Reassessments of the Letter of First Peter
Reviewed by Bonnie Howe


>>Visite: Review of Biblical Literature Blog

Resenhas na RBL - 30.04.2009

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

William S. Campbell, Peter S. Hawkins, and Brenda Deen Schildgen, eds.
Medieval Readings of Romans
Reviewed by Francis Dalrymple-Hamilton

Adrian Curtis
Oxford Bible Atlas
Reviewed by George Athas

Lois M. Farag
St. Cyril of Alexandria, a New Testament Exegete: His Commentary on the Gospel of John
Reviewed by Hennie Stander

Terence E. Fretheim
Abraham: Trials of Family and Faith
Reviewed by Hallvard Hagelia

Susan Haber; edited by Adele Reinhartz
"They Shall Purify Themselves": Essays on Purity in Early Judaism
Reviewed by Joshua Schwartz

Justin K. Hardin
Galatians and the Imperial Cult: A Critical Analysis of the First-Century Social Context of Paul's Letter
Reviewed by Mark D. Nanos

Susan R. Holman, ed.
Wealth and Poverty in Early Church and Society
Reviewed by Preston M. Sprinkle

Cornelia B. Horn and Robert R. Phenix Jr., eds. and trans.
John Rufus: The Lives of Peter the Iberian, Theodosius of Jerusalem, and the Monk Romanus
Reviewed by Pauline Allen

Henry Ansgar Kelly
Satan: A Biography
Reviewed by James A. Metzger

Dale B. Martin
Pedagogy of the Bible: An Analysis and Proposal
Reviewed by Renate Viveen Hood

R. J. R. Plant
Good Figs, Bad Figs: Judicial Differentiation in the Book of Jeremiah
Reviewed by C.A. Strine

RRENAB

Regards croisés sur la Bible: Études sur le point de vue (Actes du IIIe colloque international du Réseau de recherche en narrativité biblique Paris, 8-10 juin 2006)
Reviewed by Jean-François Racine

Kenneth Schenck
Cosmology and Eschatology in Hebrews: The Settings of the Sacrifice
Reviewed by Jason A. Whitlark

F. Scott Spencer
The Gospel of Luke and Acts of the Apostles
Reviewed by Gregory E. Sterling

Ivar Vegge
2 Corinthians-A Letter about Reconciliation: A Psychagogical, Epistolographical and Rhetorical Analysis
Reviewed by Laurence Welborn


>>Visite: Review of Biblical Literature Blog

BrOffice 3.1.0 já está disponível para download

Já está disponível para download a versão 3.1.0 do BrOffice.org, opção em português do Brasil do pacote de aplicativos de código aberto (open source) OpenOffice.org.

Clique em minha página de utilitários para uma descrição em português e inglês da suíte e, a partir do link aí presente, vá para a página de download do BrOffice.org. Se preferir usar a versão em inglês, vá para a página do OpenOffice.org. Para outras línguas, veja Native Language Confederation Projects of OpenOffice.org ou OpenOffice.org download.

Leia Mais:
OpenOffice Portátil agora também em português
OpenOffice Portable 3.0 foi liberado para download
Como evitar vírus em pen drives?

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Gripe suína chega ao Brasil

Epidemia de despreparo

Por Rogerio Tuma - médico

"A falta de preparo, o desconhecimento e a influência econômica interferem no discurso de autoridades sanitárias no mundo todo. Em vez de alertar a população, acabam por alarmá-la, provocando mais estragos que o próprio surto virótico.

A gripe suína é provocada por um tipo de vírus influenza, da mesma família que pode provocar a gripe comum e a aviária. Esta espécie é o mais frequente motivo de infecção de vias aéreas por vírus em humanos, porcos e aves, podendo causar desde um simples resfriado até uma grave pneumonia.

É provocada mais frequentemente pelo vírus influenza tipo A, subtipo H1N1. A infecção passa de um porco doente para outro por contato com secreções de espirros, gotículas de saliva e contato físico íntimo. Vez ou outra um desses vírus sofre mutação genética, o que permite a contaminação das vias aéreas de outros animais, principalmente humanos. Além de criá-los em cativeiro com pouco espaço, o que facilita a contaminação, somos muito parecidos geneticamente com os porcos.

Muitos tecidos vivos utilizados na medicina para substituir os nossos provêm de porcos. Por conta dessa semelhança e proximidade, não é raro uma epidemia de gripe suína atingir humanos e vice-versa. Outro vírus que também pode provocar a gripe suína, o influenza A H3N2, é originário de gripes humanas.

No caso da influenza suína, a morbidade é muito alta. Traduzindo: depois de passar do porco para o humano, é muito fácil a transmissão de um homem para outro, mas a sua mortalidade é baixa, isto é, o risco de uma gripe se transformar em pneumonia letal é de 1% a 4 %. Esta característica é a que melhor difere a atual epidemia da gripe aviária, em que o vírus é muito mais estranho aos humanos e atingiu mortalidade de 20%.

O mundo todo, todo ano e o ano todo tem gripe. Algumas são mais graves, pois toda infecção viral provoca uma resposta do organismo infectado com a produção de anticorpos e inflamação. Algumas vezes, a reação é tão intensa que passa a ser perigosa por si só.

Isto é mais comum quando o vírus é muito mais estranho ao organismo que infecta e, portanto, muito mais antigênico. A cepa específica que provoca a epidemia no México tem pedaços de genes da influenza aviária, humana e suína. É a primeira vez que uma mutação tão complexa é identificada. Se o fenômeno se traduz em reação inflamatória mais intensa e maior risco de morte, ainda está por ser definido.

Quando estamos diante de uma epidemia, a melhor conduta é evitar o lugar onde ela começou e onde existem mais casos clínicos. É medida errada do governo não sugerir às pessoas deixarem de viajar para os lugares por turismo até que a situação esteja controlada. Todo o prejuízo das companhias de turismo e da economia local compensa ao se poupar uma vida que seja. Além disso, como as mudanças virais são muito rápidas, ninguém colocaria um familiar na região onde um vírus com alto poder de infecção está se espalhando. Mesmo que a chance de morrer em decorrência seja muito baixa, ela não é nula.

As epidemias ocorrem por erro dos países que não vacinam seus animais e não têm programa educativo ou de orientação para os criadores de porcos e aves. Em alguns lugares o porco doente é abatido e servido na mesa do criador.

É alarmante o desserviço prestado pelos governantes e autoridades ao comentar fatos com desconhecimento e falta de bom senso (...) O risco de ocorrer uma epidemia no Brasil não é baixo, por causa da intimidade que temos com o México. Precisamos estar alerta (...) não precisamos nos alarmar. O que devemos fazer agora é ter bom senso e educação. Por exemplo, lavar as mãos e cobrir a boca ao tossir ou espirrar".

Fonte: CartaCapital 30/04/2009 15:23:26


Leia Mais:
Gripe suína - Swine Virus - Gripe Porcina - Observatório Bíblico: 27/04/2009 - 14h21
A gripe suína e a Internet - Luis Nassif Online: 01/05/2009 - 09:20 [Obs.: é importante ler os comentários - alguns malucos, outros interessantes]
Governo confirma quatro casos de gripe suína no Brasil - Folha Online: 07/05/2009 - 19h00
Santa Catarina confirma mais um caso de gripe suína no Brasil - Folha Online: 08/05/2009 - 19h38
Brasil tem 1ª transmissão de gripe suína dentro do país; total chega a 6 - Folha Online: 08/05/2009 - 20h17

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Recuperado em Israel papiro de quase dois mil anos

Leia sobre esta descoberta no BiblePlaces Blog, de Todd Bolen: 2,000-Year-Old Hebrew Scroll Fragment Found

Fotos do Egito por Jim West

Jim West, "dado como desaparecido" no Egito e afastado desde o dia 25 de abril, por falta de comunicação adequada, da blogosfera, manda, finalmente, notícias.

E postou, no dia 6 de maio, ontem, um série de fotos do Egito, onde ainda continua...

Visite Around Egypt.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Biblioblog do Dr. Claude Mariottini "is not spam"

O Biblioblog do Dr. Claude Mariottini está sendo absurdamente considerado pelo Blogger como spam e está sob a inexorável ameaça de ser totalmente apagado. E se nada for feito, será mesmo.

Leia o seu post de hoje: My Blog Is Not Spam.

Fui atrás de uma explicação e descobri que o problema não é incomum no Blogger, especialmente de um ano e pouco para cá, quando o Blogger começou a tomar atitudes mais rigorosas contra pirataria, spam, pornografia etc.

Deixei um comentário na postagem do blog do Claude, com algumas indicações das possíveis causas e onde encontrar uma solução. Claude Mariottini é brasileiro radicado nos Estados Unidos, onde é Professor de Bíblia Hebraica/Antigo Testamento.

Claro que todo mundo recomenda: vá para o WordPress o mais rápido possível. É razoável. É bem provável que esta seja a melhor solução, sem dúvida, dado a aparente superioridade do WordPress sobre o Blogger. A migração tem sido constante e intensa.

Mas eu não gosto de sair de uma "encrenca" deste tipo sem antes entender o que está acontecendo. Mesmo que, depois, tenha que sair... Sou mineiro. E na minha terra ainda vale aquele caso da briga, do boi e da boiada: "Dou um boi para não entrar numa briga, mas uma boiada para não sair"... Embora alguns tenham suavizado a estória: "Dou um boi pra não entrar numa briga, mas se eu entrar, quero meu boi de volta". Estórias...

Andei lendo um pouco sobre o assunto, e:

. Talvez Claude esteja sendo vítima de um splog (spam blog), ou seja um spammer que roubou parte do conteúdo de seu blog para legitimar sua prática ilegal. Esses blogs são "falsos blogs", fingem ser blogs, apenas para vender produtos ilegais e possuem links que podem levar a páginas perigosas [Obs.: Claude diz, em resposta ao meu comentário, que dois posts dele foram roubados por alguém da China...]

. Talvez ele seja simplesmente vítima de uma "fuzzy logic" do robô do Blogger [minha máquina de lavar roupas também usa isso!]. É como diz, numa discussão no Blogger Help Group, alguém do Blogger Team: "We find spam by using an automated classifier. Automatic spam detection is inherently fuzzy, and occasionally a blog like yours is flagged incorrectly. We sincerely apologize for this error. By using this kind of system, however..." Isso dá um "falso positivo" (false positive detection) de spam em blogs que nunca tiveram spam.


Transcrevo, a seguir, o comentário que fiz no blog do Claude, porque acho que pode servir para outras pessoas que venham a enfrentar a mesma situação.

Em The Real Blogger Status, encontrei algum material que talvez possa servir para você enfrentar esta situação absurda. Li dois posts e, se entendi bem, o seu caso de "False Positive Detection", pode ser resultado de um "splog". Tome todas as precauções de Backup, talvez deva ir mesmo para o WordPress, mas, antes, veja:

Bloggs Are Being Removed For Just Cause - February 13, 2008
... Detection of such illegal blogs, like detection of malware in general, has to be done by heuristic analysis and signature comparison. Unfortunately, detection of illegal blogs, like detection of malware, using both methods, are subject to two major problems:
.
False Negative Detection - Many illegal blogs are not detected, because the authors of such blogs are very skilled at making their blogs like normal blogs.
.
False Positive Detection - Many legitimate blogs are falsely detected, again because the authors of the illegal blogs are very skilled at making their blogs look like normal blogs.
As Blogger tries harder to reduce the population of illegal blogs, and based upon the massive size and deviousness of that population, more legitimate blogs are going to be falsely flagged as illegal
(cont.)

Blame It On The Fuzz - January 24, 2009
Every day in Google Blogger Help, we see the confusion. Having read the definition of a spam blog, I fail quite to see how my blog can fall into this category. And "My blog is not spam! It is nowhere near spam!!" all reports, such as these, are coming from people who don't know about fuzzy logic. You spend a lot of time publishing, and publicising, your blog. You want a blog that's interesting, innovative, up to date, and / or useful, and you want readers who appreciate your effort. Spammers are very innovative, and they constantly adapt their product. The typical spammer doesn't worry about content that's interesting, innovative, up to date, and / or useful, he just wants content that looks like it's legitimate. All that the spammer has to do is find your blog, scrape the content and put it into his blog, and then add the spam to his blog. Voila! A splog that looks legit!! (cont.)

Outro bom local é o Blogger Help Group. Na seção "Something Is Broken", digite na caixa de pesquisa (Search) o seguinte: "your blog is spam". Há uma grande discussão sobre estas ocorrências. E possíveis soluções.

sábado, 2 de maio de 2009

Mesters: Uma entrevista com o Apóstolo Paulo

A Adital - Agência de Informação Frei Tito para a América Latina - publicou em três partes, nos dias 22, 23 e 24 de abril de 2009, um estudo de Carlos Mesters sobre Paulo, estruturado em forma de entrevista, com 40 perguntas.

Este texto está disponível também em um livro de Mesters, publicado pelo CEBI em 2002: Uma entrevista com o Apóstolo Paulo

Diz Mesters no início do texto:
"O objetivo deste subsídio é abrir uma porta de entrada para a vida do apóstolo Paulo e, assim, oferecer uma chave de leitura para as cartas que ele escreveu. É uma porta em forma de entrevista que procura fornecer a ficha completa do apóstolo. Serve como exercício. Formulamos uma série de 40 perguntas e procuramos as respostas na própria Bíblia e nas informações que temos do contexto daquele tempo, tanto judaico como helenista-romano. As perguntas que fizemos revelam apenas alguns aspectos da vida de Paulo. Outras perguntas poderão revelar outros aspectos da sua vida e da vida das comunidades daquele tempo. As respostas são dadas na terceira pessoa e não na primeira pessoa de 'Eu, Paulo', como se esperaria numa entrevista. É por dois motivos: 1. Não tive coragem; 2. Respondendo na primeira pessoa, fica mais difícil relativizar as conclusões ainda incertas da pesquisa histórica em torno da vida de Paulo. Pois nem tudo é certo e claro. Há vários pontos obscuros que não passam de hipóteses. Existe uma discussão entre os exegetas sobre a autenticidade de várias cartas que a Bíblia atribui ao apóstolo Paulo. Elas não seriam de Paulo, mas de um discípulo de Paulo. Para a finalidade desta breve entrevista achamos não ser necessário discutir esta questão difícil. Tomamos as cartas da maneira como aparecem na Bíblia. Um estudo mais aprofundado, porém, não poderá ignorar a questão da autenticidade. A dúvida se alguma carta é ou não é de Paulo não diminui em nada o seu valor como palavra inspirada de Deus. A entrevista imaginária é feita depois da primeira prisão de Paulo em Roma, pouco antes da sua morte, quando ele estava com mais ou menos 63 anos de idade".

Leia, de Carlos Mesters:

Uma entrevista com o Apóstolo Paulo: Partes I e II - Parte III - Parte III, continuação


Leia Mais:
Homenagem a Carlos Mesters
Leitura popular da Biblia no Brasil
Livros de Carlos Mesters
Qual é o melhor livro de Carlos Mesters que você já leu?

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Ayrton Senna: 15 anos

Exposição faz homenagem a Ayrton Senna após 15 anos de sua morte
O ex-piloto de F-1 Ayrton Senna (1960-1994), eternizado por sua carreira brilhante no automobilismo, é homenageado na exposição "Arte para um Mito", que está em cartaz no Conjunto Nacional, na avenida Paulista (região central de São Paulo). A mostra fica no local até 30 de maio, com visitação gratuita. A exposição comemora os 15 anos do Instituto Ayrton Senna, criado no mesmo ano da trágica morte do piloto em Imola, durante uma corrida, em 1º de maio de 1994. A exposição traz 60 obras entre esculturas e pinturas feitas por artistas plásticos e alunos de cinco entidades assistenciais. Boa parte delas reproduz momentos da vida do ídolo das pistas (...) Conjunto Nacional - piso térreo - av. Paulista, 2.073, Cerqueira César, região central, São Paulo, SP. Tel.: 0/xx/11/3179-0656. Até 30/5. Seg. a dom.: 10h às 21h. Grátis. Classificação etária: livre.

Fonte: Folha Online: 01/05/2009 - 11h30
Leia Mais:
O maior piloto de F1 de todos os tempos? Senna

Tributo a Senna, Ayrton
Onde você estava no dia da morte de Ayrton Senna?

Biblical Studies Carnival XLI

Seleção das melhores postagens de abril de 2009.

Trabalho feito por James F. McGrath, em seu Exploring Our Matrix.

Biblioblog Top 50 - Abril de 2009

Veja a lista dos 50 biblioblogs mais frequentados no mês de abril em Biblioblog Top 50 - April 2009.

Em março o Observatório Bíblico foi o quinto colocado. Permanece estável, sendo o quinto novamente em abril.