sábado, 31 de outubro de 2009

Roberto?

Esperança nas novas congregações
Ao questionar se Rodé vê sinais de esperança, ele quase invariavelmente fala sobre as novas congregações fundadas nas últimas décadas, em vez das ordens estabelecidas como os dominicanos, jesuítas e franciscanos. "Aqui no meu escritório, encontro pessoas todas as semanas que são fundadores, homens e mulheres, que vem aqui com novos projetos, novas ideias", diz Rodé. "Na semana passada, um brasileiro com um rosto angelical esteve aqui. Ele está fundando uma comunidade que é uma nova edição do espírito franciscano. Eles andam por aí com a tonsura, como Santo Antônio, de sandálias, vestidos como os pobres. Eles estão nas favelas, trabalhando com os jovens em risco, os sem teto, e são pregadores itinerantes". "As novas congregações são uma reação contra a tendência [na vida religiosa] para a secularização", disse. "Elas vestem hábitos, sempre. Elas insistem na oração e na adoração eucarística. Elas insistem na vida em comum. E também têm um grande, grande foco na pobreza" (Trecho de reportagem de John L. Allen Jr., publicada no site National Catholic Reporter, em 28/10/2009, traduzida e reproduzida por Notícias - IHU On-Line em 30/10/2009. Título: Cardeal Franc Rodé: o homem no centro das tempestades)

Seria o Roberto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário