quarta-feira, 30 de setembro de 2009

O Curso de Grego foi convertido para Unicode

Foram duas semanas de estudo, mas acho que consegui. Meu Curso de Grego, na Ayrton's Biblical Page, criado por volta do ano 2000, usava a fonte SPIonic, muito bonita e competente, mas era uma fonte não Unicode [O que é o Unicode?].

Nunca tive problemas com ela [outros, porém, tiveram em 2001 e em 2005, pelo visto], até a chegada do Internet Explorer 8. A escrita ficou toda desconfigurada, criando espaços após os acentos. E, olhe, grego tem acento que não acaba mais!

O problema não existe em outros navegadores muito utilizados, como o Firefox ou o Chrome. 

Aprendi muitas coisas, entre elas algumas sobre o Modo de Exibição de Compatibilidade do IE8 com a sua versão anterior [o que não resolveu o problema do grego!] e sobre a compatibilidade de um site com vários navegadores, em testes online. Quem quiser ver algo sobre isso, os seguintes links podem ser úteis:
:: Browsershots - Uma das mais interessantes ferramentas de teste online de compatibilidade de navegadores
:: W3C - The World Wide Web Consortium (veja o menu W3C A to Z)

Sobre o uso de fontes Unicode, especialmente com grego e hebraico, li alguns textos. Recomendo os links que estão em:
:: Convertendo hebraico e grego para Unicode - Observatório Bíblico: 27 de setembro de 2009

E os links que eles recomendam. Há aí várias informações sobre o conversor que utilizei, o GreekTranscoder, sobre a fonte Unicode que mais gostei e foi a que usei, a Cardo...

Faça, antes de qualquer escolha, um teste com as fontes gratuitas disponíveis, especialmente as Unicode, no site do TLG - Thesaurus Linguae Graecae - e tenha uma noção de como andam as coisas nesta área.

Mas, sem dúvida, se você quiser aprender como fazer as coisas certas, precisa ler, pelo menos, três fontes na web:
:: Biblical Studies and Technological Tools - Blog de Mark Vitalis Hoffman
:: Tyndale Tech - Blog de David Instone-Brewer
:: SBL Biblical Fonts FAQ - no site da SBL, em Biblical Fonts

Anoto que a maioria dos endereços indicados está em inglês. Mas quem trabalha com estudos bíblicos em nível acadêmico precisa mesmo ler inglês, francês, alemão... E, aproveitando, dê uma olhada como ficou o curso de grego!

Um comentário:

Jorge Moraes disse...

Além do Grego a versatilidade com sistemas e também informática o tornam um professor cibernético e altamente atualizado.

Parabéns.

Postar um comentário