terça-feira, 28 de julho de 2009

A ignorância é atrevida e polifacética

Quem gostava de dizer esta frase era o valadarense romanizado, Juarez Dutra, meu amigo, que já era bibliotecário do Colégio Pio Brasileiro nos meus tempos de estudante em Roma.

E ele dizia que a frase era de Zaratustra, quando, na verdade, era uma boa invenção dele mesmo, para ser dita diante de um absurdo desmedido. Daqueles que a gente é obrigado a ouvir com certa frequência...

Pois veja as pérolas de cultura bíblica que você encontra em Will you read the original DEAD SEA SCROLLS when they come to the Internet?

O precioso tesouro foi recolhido por Mike Aubrey e reproduzido hoje em seu biblioblog En Epheso no post Gems in the Biblical Scholarship, que, com o queixo caído, acabei de ler.

É isso mesmo. São as "fantásticas" idéias que as pessoas continuam a ter sobre os Manuscritos do Mar Morto... É urgente que o Emanuel Tov ou o García Martínez tomem conhecimento dessa novidade, já que eles não foram capazes de descobri-la por si mesmos! O R. De Vaux deve estar rolando no túmulo!

2 comentários:

Mike Aubrey disse...

"O R. De Vaux deve estar rolando no túmulo!"

I almost fell out of my chair, myself!

Rodrigo disse...

Os manuscritos do Mar Morto foram deixados lá por sobreviventes de Atlântida, via transoceânica.

Hahahahaha!

Postar um comentário