quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Teocracias

Intelectuais criticam desobediência de Israel às leis internacionais
Documento conjunto assinado pela Comissão Teotônio Vilela de Direitos Humanos defende a "retirada completa das tropas de Israel, a reabertura dos pontos de acesso para a entrada da ajuda humanitária e a pronta retomada do diálogo pacífico". Para o jurista Fábio Konder Comparato, Israel comete crimes contra a humanidade em Gaza. "Nosso programa mínimo tem que ser a constituição de dois estados na Palestina", defende Marilena Chauí.

Destaco, quase no final do texto:
A filósofa Marilena Chauí analisa que o mundo assiste no Oriente Médio à perda do referencial republicano, laico e democrático na política. “Existe uma forte concepção teológica em ambas as partes envolvidas na questão palestina.” Segundo a professora da USP, quando a política é vista como extensão de uma divindade, não há nada que os homens possam fazer senão matar e morrer em seu nome. “A disputa para saber quem é o verdadeiro eleito por Deus para ocupar a Palestina é uma ideia que justifica razões militares, econômicas e sociais”, analisa.

Fonte: Tadeu Breda, em Carta Maior - 13/01/2009

Leia o texto.

Leia Mais:
O conceito de Terra Prometida e os conflitos atuais
"Promised Land" conference brings about "constructive confrontation", new views on Israel-Palestine conflict

Nenhum comentário:

Postar um comentário