quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Alerta vermelho

Como escapar do fim do mundo

Leonardo Boff

Chegamos a um tal acúmulo de crises que, conjugadas, podem pôr fim a este tipo de mundo que nos últimos séculos o Ocidente impôs a todo o globo. Trata-se de uma crise de civilização e de paradigma de relação com o conjunto dos ecossistemas que compõem o planeta Terra, relação de conquista e de dominação. Não temos tempo para acobertamentos, meias-verdades ou simplesmente negação daquilo que está à vista de todos. O fato é que assim como está, a humanidade não pode continuar. Caso contrario, vai ao encontro de um colapso coletivo da espécie. É tempo de balanço face à catástrofe previsível. Inspira-nos uma escola de historiadores bíblicos que vem sob o nome de escola deuteronomista, derivada do livro do Deuteronômio que narra a tomada de Israel e a entronização de chefes tribais (juízes). A escola refletiu sobre 500 anos da história de Israel, a idade do Brasil, fazendo uma espécie de balanço das várias catástrofes políticas havidas, especialmente, a do exílio babilônico...

Leia o texto completo na Adital - dezembro de 2008

Leia Mais:
Meio ambiente - Environment

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Comblin fala das acusações de Clodovis à TdL

As estranhas acusações de Clodovis Boff

José Comblin

Como vários amigos, fiquei estupefato quando li as acusações feitas por Clodovis Boff à teologia que ele chama de teologia de libertação. Não existe nenhuma instituição chamada teologia da libertação de tal modo que muitos podem perguntar-se se são da teologia da libertação ou não. A acusação feita à chamada teologia da libertação é totalmente indefinida. Clodovis não cita nomes e não dá nenhuma referência, nenhuma a obras de alguns autores que seriam incriminados. Não cita as páginas em que estão os erros. A acusação é a seguinte...

Leia o texto completo na Adital - dezembro de 2008

Leia Mais:
Teólogos em debate com Clodovis Boff
Quem é Comblin?

domingo, 28 de dezembro de 2008

A tragédia de Gaza



Leia:
Oriente Médio - Links para várias páginas sobre a crise no Oriente Médio - Ayrton's Biblical Page
Se Gaza cair, Cisjordânia cairá depois - Artigo de Sara Roy, Professora do Harvard's Center for Middle Eastern Studies, publicado na London Review of Books - Carta Maior: 28/12/2008


Atualização: 30/12/2008 - 11h45

Relator da ONU se diz chocado com inação de comunidade internacional sobre Gaza

O relator especial da ONU (Organização das Nações Unidas) para os Direitos Humanos nos Territórios Palestinos, Richard Falk, afirmou à BBC nesta terça-feira estar chocado pelo fato de a comunidade internacional não estar fazendo mais para pressionar Israel a interromper seus ataques à faixa de Gaza (...)

"Israel está cometendo uma série chocante de atrocidades usando armamentos modernos contra uma população indefesa, atacando uma população que já vem enfrentando um bloqueio severo por muitos meses e ignorando a possibilidade do restabelecimento de um cessar-fogo que a liderança do Hamas havia proposto", afirmou Falk.

"Estou chocado pela incapacidade da comunidade internacional em tomar ações mais decisivas em resposta ao que está ocorrendo", disse.

Para Falk, Israel já estava violando a lei internacional antes dos ataques, por conta de seu bloqueio à faixa de Gaza.

"O próprio bloqueio viola as duas obrigações mais fundamentais de um poder de ocupação. Primeiro, de não punir coletivamente a população civil, e, segundo, de garantir que a população do território ocupado tenha suprimentos de alimentos e medicamentos suficientes", afirmou.

Para ele os bombardeios israelenses são "um ato de agressão incondicional contra uma população indefesa pela qual Israel tem responsabilidades especiais de acordo com as Convenções de Genebra e em relação às normas da ONU".

Fonte: Folha Online - BBC Brasil: 30/12/2008 - 10h03

sábado, 27 de dezembro de 2008

Josefo, a sociedade judaica e as origens cristãs

MASON, S. Josephus, Judea, and Christian Origins: Methods and Categories. Peabody, MA: Hendrickson, 2009, 464 p. - ISBN 9781598562545. Publicação prevista para março de 2009.

The book comprises eleven chapters in three parts:
  • Part I: Josephus, Interpretation and Historical Method
  • Part II: Josephus and Judaean Society
  • Part III: Josephus and Christian Origins
Da Introdução, que pode ser lida na página da Hendrickson, destaco:
The only reason to produce a new academic book is to contribute something coherent for scholarly reflection. In the past year I began to think that a number of my published and unpublished papers, on Josephus, Judean society, and Christian origins, had such a unifying theme and so could usefully be brought together in one volume. Driving my research for a number of years has been a set of questions related to historical and literary-interpretative methods, and the relationship between these two. What is history? What does it mean to read Josephus (or any other ancient narrative)? What is the relationship between reading the narrative and reconstructing the past —whether the past behind the story or the past represented by the text’s own existence as an artifact itself? (...) On the historical side of the ledger, one of my primary concerns has been with the appropriateness of our standard categories (...) The more that I have worked on the Eastern Mediterranean under Roman rule, the more I have become convinced that some of our most basic analytical categories, such as “religion,” “Judaism,” and even “gospel,” do not map onto ancient conceptions or language. And if they do not, what are the implications of that disparity for our analysis? What categories should we use instead? And so, I seemed to have in hand the promise of a coherent contribution: “methods and categories” in the study of Josephus, Judea, and Christian origins.

Steve Mason is Professor of History and Canada Research Chair in Greco-Roman Cultural Interaction at York University, Toronto. He is the author of Flavius Josephus on the Pharisees: A Composition-Critical Study (2001) and general editor of the twelve-volume series Flavius Josephus: Translation and Commentary.

Agradeço a Michael Helfield, do biblioblog Toshunka, onde vi a indicação do livro no post Latest work from Steve Mason: Josephus, Judea, and Christian Origins.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Entrevista com Finkelstein em Sciences et Avenir

N. T. Wrong, em postagem de hoje em seu blog homônimo, chama a atenção para uma entrevista de Israel Finkelstein publicada na revista Sciences et Avenir, com data de 17 de dezembro de 2008.

Veja a entrevista aqui. Em francês.

Pour Israël Finkelstein, dans Sciences et Avenir de décembre 2008, "les textes sacrés ne sont pas des comptes-rendus historiques". Découvrez l'interview de Finkelstein dans S & A de décembre dans la suite de cette note (...) Propos recueillis à Megiddo par Bernadette Arnaud - Extrait de la revue Sciences et Avenir : 17 décembre 2008

Finkelstein Interview in Sciences et Avenir, December 2008

Tributo a Israel Finkelstein

FANTALKIN, A.; YASUR-LANDAU, A. (eds.) Bene Israel: Studies in the Archaeology of Israel and the Levant during the Bronze and Iron Ages in Honour of Israel Finkelstein. Leiden: Brill, 2008, xx + 247 p. - ISBN 9789004152823

Este livro é uma homenagem - um Festschrift - ao arqueólogo Israel Finkelstein, prestada, simbolicamente, por 12 de seus ex-alunos. Os ensaios abordam vários aspectos da arqueologia de Israel e do Levante durante as Idades do Bronze e do Ferro.

This collection of twelve papers, dedicated to Professor Israel Finkelstein, deals with various aspects concerning the archaeology of Israel and the Levant during the Bronze and Iron Ages. Although the area under discussion runs from southeastern Turkey (Alalakh) down to the arid zones of the Negev Desert, the main emphasis is on the Land of Israel. This collection provides the most recent evaluation of a number of thorny issues in Israeli archaeology during the Bronze and Iron Ages and specifically addresses chronology, state formation, identity, and agency. It offers, inter alia, a fresh look at the burial practices and iconography of the periods disscussed, as well as a re-evaluation of the subsistence economy and settlement patterns. This book is finely illustrated with more than sixty original drawings.

“…The twelve authors included here, a symbolic metaphor, represent in fact only a fraction of Israel’s many students. Professor Finklestein’s ongoing commitment to the training and guiding of students will no doubt continue to produce a steady flow of new archaeologists. More “Bene” and “Benot” Israel indeed.”

Os editores: Alexander Fantalkin, Universidade de Tel-Aviv, Israel, e Assaf Yasur-Landau, Universidade da Califórnia, Santa Cruz, USA.

Leia mais no blog de Jim West, no post Israel Finkelstein’s Festschrift - 23 de dezembro de 2008.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Natal: mito de fundação ou manifesto político?

Natal: uma mitologia?
A revista Riforma, n° 49, 19-12-2008, publicação semanal dos evangélicos batistas, metodistas e valdenses italianos, publicou em sua última edição uma carta de um de seus leitores questionando a credibilidade do Natal, que mais parece, segundo sua opinião, uma lenda, um "mito de fundação". Questionado pelo leitor, Paolo Ricca, colaborador da revista, mais adiante, responde à carta.


Leia o texto em Notícias - IHU On-Line: 23/12/2008


Por outro lado, acaba de sair em português o livro de BORG, M. J.; CROSSAN, J. D. O primeiro Natal: O que podemos aprender com o nascimento de Jesus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008, 304 p. - ISBN 9788520921470.

Original inglês: The First Christmas: What the Gospels Really Teach About Jesus's Birth. New York: HarperOne, 2007, 272 p. - ISBN 9780061430701.

Para os autores, "o tema comum por trás das narrativas [do nascimento e infância de Jesus] é a rejeição do projeto imperial de Roma, que dominava um quarto da população do planeta na época, em favor de um projeto alternativo para a humanidade, representado por Jesus e seu evangelho. 'As histórias do primeiro Natal são, em geral, anti-imperiais. Em nosso contexto, isso significa afirmar, seguindo as histórias da natividade, que Jesus é o Filho de Deus (e o imperador não é), que Jesus é o Salvador do mundo (e o imperador não é), que Jesus é o Senhor (e o imperador não é), que Jesus é o caminho para a paz (e o imperador não é)', escrevem os autores", explica Reinaldo José Lopes na reportagem Histórias bíblicas de Natal têm viés político, diz pesquisa, publicada no G1 em 22/12/2008 - 09h32.

Leia o texto completo.

Paulo de Tarso: tema de capa da IHU On-Line

Paulo de Tarso: a sua relevância atual

Este é o tema de capa da edição 286 da IHU On-Line, publicada ontem, 22/12/2008.

As entrevistas:
  • Hermann Häring: Paulo, o universalismo e a Ética Mundial
  • Alain Gignac: A redescoberta de Paulo pela pós-modernidade
  • Rémi Brague: Antecipando os slogans da modernidade
  • Jean-Claude Eslin: O universalismo paulino
  • Jerome Murphy O’Connor: Paulo: um novo sentido para a igreja de hoje
  • Maria Clara Bingemer: Paulo e a Carta aos Romanos: a Igreja e a Sinagoga
  • Diane Kuperman: Fraternidade judaico-cristã: a busca pelo diálogo
  • Eduardo Pedreira: Um plantador de igrejas
Veja todas as edições da IHU On-Line.

II Simpósio de Teologia da PUC-Rio aborda Paulo

O II Simpósio Internacional de Teologia da PUC-Rio acontecerá de 31/3/2009 a 02/4/2009 e terá como tema Paulo Apóstolo, diante do Judaísmo e do Helenismo.

Fazem palestras ou participam de debates especialistas como: Florentino García Martínez (Lovaina), Edgard Leite Ferreira Neto (UERJ), Milton Schwantes (UMESP), Jesus Hortal Sanchez (PUC-Rio), Romano Penna (Roma), Johan Konings (FAJE-BH), Cláudia Andréa Prata Ferreira (UFRJ), Henrique Fortuna Cairus (UFRJ), Dom José Antônio Peruzzo (Bispo de Palmas - PR), André Leonardo Chevitarese (UFRJ), Marta Braga (UCP) e Ricardo Lengruber (BENNETT).

Veja todos os detalhes do evento clicando aqui.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Paulo de Tarso: um mestre que faz pensar?

A redescoberta de Paulo pela pós-modernidade. Entrevista especial com Alain Gignac

Alain Gignac é enfático ao dizer que a redescoberta de Paulo de Tarso pela pós-modernidade se dá em dois sentidos. “Paulo alimenta a (pós)modernidade, e esta permite redescobrir Paulo”. Um mestre que faz os filósofos ocidentais pensarem, mesmo os ateus. “Para todos esses filósofos, a leitura das cartas foi determinante como catalisador de seu próprio pensamento – que não se situava necessariamente na linha de Paulo e, mesmo seguidamente se opunha a ele”. E Paulo nos confronta na época de individualismo e consumismo exacerbados em que vivemos, provoca Gignac: “Na história da literatura, trata-se do primeiro escritor a se expressar em ‘eu’ com tal força. Mas o ‘eu’ de Paulo é livre e inscrito em uma comunidade, não é individualista e isolado, nem escravo e alienado”.

Enquanto forem lidas, suas cartas continuarão nos forçando a refletir. Por isso, “não há momento propício para ler Paulo, mas ao contrário, a leitura de Paulo pode criar um momento propício, o momento capaz de criar o novo”. Analisando as críticas de Nietzsche a Paulo, Gignac aponta que o filósofo alemão “dissocia Jesus e Paulo para opô-los e para atacar o apóstolo se servindo de um Jesus que lhe convém”. E completa: “O cristianismo não está fundado em Jesus, mas no Cristo – ou seja, uma interpretação pascal da vida e da morte de Jesus”. A respeito da morte na cruz, o teólogo destaca que Paulo sabe que esta é uma “morte vergonhosa, mas ele está longe de dizer que se trata de uma morte gloriosa. Paulo não exclui o sofrimento nem o escândalo da morte. Sua retórica não visa à sublimação, mas marca fortemente o paradoxo”.

Gignac é professor assistente na Faculdade de Teologia e Ciências da Religião da Universidade de Montreal, Canadá, desde 1999, onde leciona Novo Testamento. Especializado no corpus paulino, ele se interessa pelos métodos de análise sincrônica (retórica, estrutural, narratológica e intertextual) e os seus impactos hermenêuticos. A sua investigação Ler a Carta aos Romanos hoje, subvencionada pelo governo canadense, propõe-se reler Romanos com estes métodos, mas também aborda o horizonte do questionamento moderno/pós-moderno: como o escrito paulino propõe uma identidade e um agir no seu leitor? De sua produção acadêmica, citamos Juifs et chrétiens à l'école de Paul de Tarse. Enjeux identitaires et éthiques d'une lecture de Rm 9-11. Montréal: Médiaspaul, 1999; [Commentaire de la Lettre aux Romains. Paris: Cerf, en préparation].

A entrevista foi concedida por e-mail, com exclusividade à IHU On-Line.

Confira a entrevista em Notícias - IHU On-Line: 21/12/2008

Alain Gignac
Sommaire des intérêts de recherche
Rédaction d’un commentaire scientifique synchronique sur la Lettre aux Romain; lecture du corpus paulinien en contexte postmoderne (Lyotard, "déconstruction" de Rm 1); réception de Romains par des philosophes contemporains (Alain Badiou, Jacob Taubes, Giorgio Agamben); analyse narratologique de la Lettre aux Galates.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Faustino Teixeira comenta livro de Martini

Uma fé que transborda fronteiras: diálogos com o Cardeal Martini

"Em tempos de “inverno eclesial”, Martini aponta o sonho de uma Igreja corajosa e ousada. Tem no horizonte o impulso profético que sinaliza o desafio de transmitir aos outros não as decepções da vida, mas os sonhos mais decisivos. E esses sonhos “nunca envelhecem”, escreve Faustino Teixeira, professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora (PPCIR-UFJF).

Leia o texto completo. Fonte: Notícias - IHU On-Line: 20/12/2008

O artigo também é publicado pelo sítio amai-vos.

Num tempo carente de vozes proféticas, o livro do Cardeal Martini revela-se auspicioso. Acende a chama de esperança nos cristãos que acreditam num novo modo de ser Igreja [conclui Faustino].

Leia Mais:
Diálogos Noturnos, de Carlo Martini, em português

Ecos de Darwin

IX Simpósio Internacional IHU Ecos de Darwin

:: Apresentação
Com o objetivo de debater a importância e as repercussões da obra de Charles Darwin por ocasião dos 200 anos de seu nascimento e dos 150 anos da publicação da primeira edição da Origem das Espécies, o Instituto Humanitas Unisinos - IHU - conjuntamente com o PPG em Filosofia da Unisinos e com o apoio do Colégio Anchieta de Porto Alegre, promove o IX Simpósio Internacional IHU Ecos de Darwin a ser realizado na Unisinos, de 9 a 12 de setembro de 2009

:: Realização
Início: 09 de setembro de 2009
Término: 12 de setembro de 2009
Horário: conforme o programa
Duração total: 40 horas
Local: Anfiteatro Pe. Werner – Av. Unisinos, 950 – São Leopoldo – RS

:: Objetivo
. Expor as raízes históricas da teoria darwiniana na Origem das Espécies
. Discutir as implicações da revolução científica, metodológica e epistemológica do evolucionismo darwiniano
. Explorar as novas perspectivas epistemológicas, éticas, sociais e religiosas suscitadas pela discussão do pensamento darwiniano

:: Público-alvo
Professores (as), pesquisadores (as), estudantes universitários(as) e comunidade em geral

:: Programa
Cf. a página de Eventos do IHU

Leia Mais:
Darwin, discutido 200 anos depois - Notícias - IHU On-Line: 20/12/2008
Criacionismo
Criacionismo, design inteligente e teoria da evolução
The Complete Work of Charles Darwin Online
Intelligent design, criacionismo e evolucionismo

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Mesters assessora Curso de Verão em Goiânia

Nos 20 anos do Curso de Verão em Goiânia, Mesters é o assessor
O Curso de Verão de Teologia e Educação Popular de Goiânia completa 20 anos e terá como seu assessor principal o frei Carlos Mesters. O curso se realiza de 5 a 10 de janeiro de 2009, na IFITEG 7ª. Criado em 1990, o Curso de Verão tem como meta a formação popular na esfera bíblica, teológica, pastoral e de compromisso ecumênico transformador em relação às Igrejas e à sociedade. Naquele ano, foi assumido pela Arquidiocese de Goiânia, como desdobramento do Curso de Verão do CESEP, São Paulo, que há dois anos vinha acontecendo no Auditório do Tuca-PUC e tinha como objetivo desafogar a grande demanda de São Paulo, acolhendo os interessados da região Norte e Centro-Oeste. No curso de 2009, frei Carlos Mesters, um dos mais conhecidos biblistas do Brasil, vai ajudar a refletir sobre Paulo e as comunidades [sublinhado meu], tema que se relaciona ao ano Paulino da Igreja Católica Romana, instituído para comemorar os 2000 anos do nascimento do apóstolo Paulo...

Leia a notícia completa no site do CEBI - Notícia publicada no dia 16 de dezembro de 2008 - 9h03min

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

OpenOffice Portable 3.0 foi liberado para download

Foi liberada hoje a versão 3.0.0 da suíte OpenOffice.org Portable. Para quem usa pen drive...

OpenOffice.org Portable 3.0 Released - Submitted by John T. Haller on December 18, 2008 - 5:08am

O download pode ser feito aqui.

Confira, em português, o BrOffice (OpenOffice.org) e verifique esta lista, com links, de aplicativos portáteis.

Se, eventualmente, ainda não estiver familiarizado com o assunto, vá para o "Leia Mais".


Leia Mais:
Portable Applications - Aplicativos Portáteis
Usando Aplicativos Portateis - Portable Apps
Aplicativos portateis: fazendo e aprendendo

Ferramentas online para a pesquisa bíblica

Leia no Tyndale Tech: New Essencial Research Tools

David Instone-Brewer explica como funcionam algumas ferramentas interessantes para a pesquisa. Em nosso caso, para a pesquisa bíblica, como: Zotero, Google Docs, Evernote e FLV Converter...

Leia Mais:
Recursos online para o estudo da Bíblia

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Caros Amigos entrevista Protógenes Queiroz

De não se perder...

Para que não desapareça nos meandros do esquecimento o momento atual...

Na Caros Amigos, ano XII, n. 141, dezembro de 2008.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

De Asherah a asherah

Um artigo de Judith M. Hadley em The Bible and Interpretation, publicado agora, em dezembro de 2008, que pode interessar a estudiosos da área:

Evidence for Asherah

Asherah has appeared paired with Yahweh in positive ways. Furthermore, the early eighth century BCE prophets do not condemn Asherah worship. The worship of Asherah was evidently acceptable before the Deuteronomistic reform movement gained momentum in the seventh century BCE, but since the text of the Bible was significantly composed or edited by the Deuteronomistic school or even later, this fact is not immediately apparent.

E uma observação: Much of this article is an abridgement of Hadley 2000. Esta é uma referência a seu mais conhecido estudo sobre o assunto:

The Cult of Asherah in Ancient Israel and Judah: Evidence for a Hebrew Goddess. Cambridge: Cambridge University Press, 2000, xv + 262 p. - ISBN 9780521662352.

Que por sua vez é resultado de sua dissertação produzida em Cambridge em 1989.

Em uma resenha publicada na CBQ 63, n. 3, July 2001, p. 520-521, William J. Fulco, da Loyola Marymount University, Los Angeles, CA, elogia muito o estudo de Judith M. Hadley e o considera indispensável para toda e qualquer pesquisa posterior sobre a religião de Israel no contexto do Antigo Oriente Médio.

Agradeço a Jim West, em cujo blog vi a dica.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Free Books in Biblical Studies and Related Fields

Uma lista de livros gratuitos online sobre Estudos Bíblicos e áreas afins. Alguns clássicos da história da exegese podem ser encontrados nesta lista, e só por isto ela já vale a pena.

A lista é baseada em Google Books ou Pesquisa de Livros do Google, Archive.org e outros sites. São livros disponíveis para leitura online, mas os que têm o nome do autor em vermelho permitem o download em formato pdf.

Lista compilada por Bob Buller, Danny Zacharias, Mark Vitalis Hoffman.

A list of Online Free Books in Biblical Studies and Related Fields. Google Books, Archive.org, & web-based content. By Bob Buller, Danny Zacharias, Mark Vitalis Hoffman.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Diálogos Noturnos, de Carlo Martini, em português

Paulus anuncia a publicação do mais debatido livro do biblista e cardeal Carlo Martini, Jerusalemer Nachtgespräche: Über das Risiko des Glaubens.


MARTINI, C. M.; SPORSCHILL, G. Diálogos noturnos em Jerusalém: Sobre o risco da fé. São Paulo: Paulus, 2008, 160 p. - ISBN 9788534929660

Leia Mais:
Conversazioni notturne a Gerusalemme
A travessia de Carlo Martini, biblista
Martini pide la reforma de la Iglesia
O testamento de Martini

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Mario Liverani: História antiga de Israel

LIVERANI, M. Para além da Bíblia: História antiga de Israel. São Paulo: Loyola/Paulus, 2008, 544 p. - ISBN 9788515035557.


As historias do antigo Israel sempre foram concebidas como uma espécie de paráfrase da narrativa bíblica. Esta obra de Mario Liverani, porém, é uma tentativa de reescrita da história de Israel que leva em consideração os resultados da crítica textual e literária, as contribuições da arqueologia e da epigrafia e que foi desenvolvida segundo os critérios da moderna metodologia historiográfica. Desta perspectiva resultam duas histórias: uma história normal dos dois pequenos reinos de Israel e Judá, semelhante àquelas de tantos outros pequenos reinos da região. E uma história inventada, construída pelos judaítas durante e após o exílio babilônico, que projetam no seu passado os problemas e as esperanças de sua época.

Leia Mais:
. História de Israel de Liverani em português
. LIVERANI, M. Oltre la Bibbia: Storia Antica di Israele. 6a. ed. Roma-Bari: Laterza, [2003] 2007, 526 p. - ISBN 9788842070603 [apresentação do livro]
. Pode uma 'História de Israel' ser escrita? Observando o debate atual sobre a História de Israel: Mario Liverani

sábado, 6 de dezembro de 2008

Max Weber e o judaísmo antigo segundo Chalcraft

CHALCRAFT, D. Max Weber and the Sociology of Biblical Social Worlds. London: T & T Clark, 2009, 224 p. - ISBN 9780567027580. Publicação prevista para setembro de 2009.

Description
The volume provides new Weberian readings and reconstructions of social and cultural processes in ancient Israel and formative Judaism as evidenced in the literary and material remains of the society. It places Weber's Ancient Judaism into the context of Weber's considered as a whole, and establishes that there is more to the legacy of Weber in biblical studies than reliance on the Ancient Judaism text suggests. Readers are introduced to the central themes in Weber's sociology, including his distinctive methodological positions, and are taken through a series of studies that utilize Weber's concepts and theories relating to law, charisma, stratification, work ethics, disenchantment and rationalization in relation to Biblical social worlds. These applications are considered critically, and the overall aim is to establish what a Weberian approach to ancient Biblical would be constituted by at the same time as integrating Weber's approach with the best in contemporary social science criticism and, when necessary, to develop a neo- and post - Weberian stance in relation to certain social variables and social processes.

David J. Chalcraft é Professor de Sociologia Clássica na Universidade de Derby, Reino Unido. Seus estudos de Bíblia foram feitos na Universidade de Sheffield e de Sociologia na Universidade de Oxford.

Chalcraft has long been associated with the interpretation of the life and work of Max Weber, being a co-founder of the international journal 'Max Weber Studies' co-editor of 'The Protestant Ethic Debate: Max Weber’s Replies to His Critics 1907-1910' (Liverpool University Press, 2001) and of 'Max Weber Matters: Interweaving Past and Present' (Ashgate, 2008). He has also contributed to the growing field of social scientific biblical criticism.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Resenhas na RBL: 04.12.2008

As seguintes resenhas foram recentemente publicadas pela Review of Biblical Literature:

Ignacio Carbajosa and Luis Sánchez Navarro, eds.
Entrar en lo antiguo: Acerca de la relación entre Antiguo y Nuevo Testamento
Reviewed by David Creech

Lutz Edzard and Jan Retsö, eds.
Current Issues in the Analysis of Semitic Grammar and Lexicon I: Oslo-Göteborg Cooperation 3rd-5th June 2004; II: Oslo-Göteborg Cooperation 4th-5th November 2005
Reviewed by Frederick E. Greenspahn

Paul Foster, ed.
The Writings of the Apostolic Fathers
Reviewed by Taras Khomych

Robert P. Gordon
The God of Israel
Reviewed by Ben C. Ollenburger

Christiana de Groot and Marion Ann Taylor, eds.
Recovering Nineteenth-Century Women Interpreters of the Bible
Reviewed by Caryn A. Reeder

Hans-Josef Klauck
Ancient Letters and the New Testament: A Guide to Context and Exegesis
Reviewed by Matthew D. Montonini

Nikolaos Lazaridis
Wisdom in Loose Form: The Language of Egyptian and Greek Proverbs in Collections of the Hellenistic and Roman Periods
Reviewed by John S. Kloppenborg

Mary E. Mills
Alterity, Pain, and Suffering in Isaiah, Jeremiah, and Ezekiel
Reviewed by Hallvard Hagelia

Ilana Pardes
Melville's Bibles
Reviewed by Mark Elliott

Peter M. Phillips
The Prologue to the Fourth Gospel: A Sequential Reading
Reviewed by John Painter

Thomas Römer and Konrad Schmid, eds.
Les Dernières Rédactions du Pentateuque, de L'Hexateuque et de L'Ennéateuque
Reviewed by John Engle

Andreas Schüle
Der Prolog der hebräischen Bibel: Der literar- und theologiegeschichtliche Diskurs der Urgeschichte (Genesis 1-11)
Reviewed by Karl Möller

Christopher R. Seitz
Prophecy and Hermeneutics: Toward a New Introduction to the Prophets
Reviewed by Julia M. O'Brien

Hagith Sivan
Between Woman, Man and God: A New Interpretation of the Ten Commandments
Reviewed by William Marderness

J. Samuel Subramanian
The Synoptic Gospels and the Psalms as Prophecy
Reviewed by Thomas J. Kraus
Reviewed by Edward J. Mills III

Sigve K. Tonstad
Saving God's Reputation: The Theological Function of Pistis Iesou in the Cosmic Narratives of Revelation
Reviewed by Tobias Nicklas

Ben Witherington III
The Letters to Philemon, the Colossians, and the Ephesians: A Socio-Rhetorical Commentary on the Captivity Epistles
Reviewed by Timothy Gombis

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Livro sobre Deuteronomista em português

Vi hoje na Editora Vozes que o livro de Thomas RÖMER, The So-Called Deuteronomistic History: A Sociological, Historical and Literary Introduction. New Edition. London: T & T Clark, 2007, x + 202 p. ISBN 9780567032126, que comentei no ano passado, foi traduzido para o português:


RÖMER, T. A chamada história deuteronomista: Introdução sociológica, histórica e literária. Petrópolis: Vozes, 2008, 208 p. - ISBN 9788532637550


Thomas Römer tem pesquisado as questões mais relevantes da OHDtr por mais de duas décadas e esta introdução é bem-vinda. Após uma introdução à temática e à história da pesquisa, o autor enfrenta o desafio de questões bastante complexas, como: Por que e como o deuteronomismo surgiu como uma “escola” na época da hegemonia assíria na Palestina? Os livros que compõem a OHDtr querem difundir idéias que interessam a alguém ou a alguma instituição no momento em que a obra foi elaborada? Do ponto de vista sociológico e ideológico o que acontece com esta obra durante o exílio babilônico e a época persa? A OHDtr é uma literatura de crise? Qual a influência que ela exerce sobre a identidade do período pós-exílico? 

Thomas Römer tenta responder a tais questões com uma solução de compromisso entre as mais difundidas hipóteses sobre a origem da OHDtr, notadamente as soluções de Harvard e de Göttingen. 

Ele defende uma desenvolvimento da obra em três estágios, com uma primeira edição anterior ao exílio (Harvard – F. M. Cross), uma segunda edição durante o exílio (a tese de M. Noth) e uma edição final no pós-exílio (a edição DtrN de Göttingen – R. Smend).


Leia Mais:
A OHDtr em Estudos Bíblicos
A Obra Histórica Deuteronomista na revista Estudos Bíblicos
Bibliografia comentada sobre a OHDtr
RIBLA: Profetas Anteriores ou OHDtr

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Lista de Biblioblogs

Mais uma? Não. Esta já existia. Apenas fiz uma reforma em uma lista de Biblioblogs que mantenho na Ayrton's Biblical Page.

A lista era pequena e minha pretensão foi, além de colocar os títulos e titulares dos biblioblogs, também o país de origem dos respectivos... Mas, desisti deste último ponto, pois não consegui a identificação de todos. Como o Jim West observou hoje, no Biblical Studies Carnival, alguns biblioblogueiros - raros, na verdade - nem o sobrenome usam colocar...

Em 14 de abril de 2007 eu havia criado uma lista chamada Best Blogs about Biblical Studies, a partir de um sistema de listas da livraria Amazon.com chamado UnSpun by Amazon.com. Eu comecei e os colegas biblioblogueiros foram preenchendo a lista.

Nem sei bem em que data, mas agora, em 2008, este sistema de listas foi desativado pela Amazon.com e tudo foi para o "espaço" [UnSpun has been shut down]. É o que se lê, ao clicar no antigo link:

Thank you for your interest in UnSpun by Amazon. UnSpun has been shut down. If you are interested in lists, you can create an Amazon Listmania List at www.amazon.com/listmania.

Mesmo assim, valeu a pena enquanto durou, pois ficamos muito bem colocados, apesar de algumas controvérsias geradas pela lista. Quem estiver interessado, pode ler sobre este "caso" em:
Pois bem: além de usar a "falecida" UnSpun para fazer a atualização da presente lista de Biblioblogs, percorri também outras renomadas listas como as de Aantekeningen bij de Bijbel - Ancient Hebrew Poetry - Biblioblogs.com - N. T. Wrong.


O resultado pode ser visto aqui. Quase duas centenas de biblioblogs. Talvez sirva a alguém.

Biblioblog Top 50 - Novembro de 2008

Como fez no mês passado, N. T. Wrong, em seu biblioblog homônimo, lista os 50 biblioblogs mais frequentados no mês de novembro de 2008.

Até que não estou mal na "foto": no mês passado o Observatório Bíblico era o quinto colocado. Agora é o quarto. Subi um ponto. Viva.

Veja a lista em: Biblioblog Top 50 - November 2008

Biblioblogueiro de dezembro 2008: Mark V. Hoffman

Brandon Wason, em Biblioblogs.com, entrevista Mark Vitalis Hoffman, do biblioblog Biblical Studies and Technological Tools, escolhido como o biblioblogueiro do mês de dezembro de 2008.

Biblical Studies Carnival XXXVI

Seleção das melhores postagens de novembro de 2008.

Competente trabalho, como sempre, feito por Jim West, em seu biblioblog Dr Jim West.