sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O conceito de Terra Prometida e os conflitos atuais

CMI apresenta novas perspectivas sobre o conflito entre Palestina e Israel

A Bíblia "não deve ser utilizada para justificar a opressão ou proporcionar comentários simplistas sobre acontecimentos contemporâneos", concluíram participantes da conferência sobre o conceito de "terra prometida", reunida pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI), em Genebra, de 10 a 14 de setembro.


O conceito de "terra prometida" é central no conflito entre israelenses e palestinos. Ele trouxe novas perspectivas a líderes eclesiásticos e teólogos, que, disseram, mudaram de opinião sobre o conflito após as reflexões realizadas durante essa "confrontação construtiva" organizada pelo CMI. Um dos resultados da conferência é o maior entendimento sobre a questão da terra na Bíblia. Os participantes entenderam que os anos de violência em Israel e na Palestina constituem uma interpelação aos teólogos cristãos para que concebam formas que "afirmem a vida" como resposta ao conflito. O evento foi patrocinado pela Federação Protestante da Suíça e das Igrejas Reformadas Berna-Jura-Soleura e integrou as atividades do Fórum Ecumênico Palestina/Israel, uma iniciativa intereclesial de sensibilização. As 85 pessoas presentes ao encontro eram procedentes da Europa, Oriente Médio, das Américas, África e Ásia. "As contribuições concretas dos cristãos palestinos aos debates ajudaram a transformar de forma significativa a maneira de ver os problemas", disseram as igrejas anfitriãs em comunicado. "No marco de debates controvertidos, e às vezes apaixonados, foi sendo criada uma sensibilidade construtiva em relação aos temas centrais", anotaram. Professores da Europa e da América do Norte expuseram os progressos realizados durante anos de diálogos. Ao reconhecer essa ação reparadora entre cristãos e judeus, a Conferência expressou a esperança de que os cristãos da Palestina e de Israel sejam convidados a participar desses diálogos no futuro, bem como de diálogos similares com os muçulmanos. "Continuamos examinando de forma crítica e criativa as noções de terra prometida", descobrindo as metáforas que sustentam a vida na Bíblia e em nossas tradições, com o objetivo de promover a justiça, a paz, a reconciliação e o perdão, visando a plenitude da vida da terra e de todos seus habitantes", enfatiza o documento final intitulado "Perspectiva de Berna". É particularmente importante fazer uma diferenciação entre a história bíblica e as histórias (narrações) bíblicas, e saber distinguir entre o Israel da Bíblia e o moderno Estado de Israel, afirma o documento. Ao longo de nove debates de especialistas a conferência apresentou diferentes perspectivas em relação ao conceito de "terra prometida" e questões relacionadas.

Leia o texto completo.

Fonte: ALC/CMI - Genebra, sexta-feira, 19 de setembro de 2008


Nuevas perspectivas sobre el conflicto entre Palestina e Israel, luego de conferencia del CMI

Cmi/Alc - Ginebra, viernes, 19 de septiembre de 2008

Una conferencia sobre el concepto de "Tierra Prometida" en la que se presentaron diferentes perspectivas teológicas de esta cuestión clave en el conflicto entre israelíes y palestinos ha aportado a los dirigentes eclesiásticos y teólogos nuevas perspectivas que podrán compartir con sus iglesias al regresar a sus respectivos países. Algunos participantes dijeron que habían cambiado de opinión tras esa "confrontación constructiva" en la reunión organizada por el Consejo Mundial de Iglesias (CMI).


"Promised Land" conference brings about "constructive confrontation", new views on Israel-Palestine conflict

WCC - 15.09.2008 17:34

A conference on "Promised Land" that aired different theological approaches to this key issue in the Israeli-Palestinian conflict has given church leaders and theologians new views to take home to their churches. Some participants said their outlook had been changed by the "constructive confrontation" at the World Council of Churches (WCC) event.


A key result of the conference is a better understanding of the question of land in the Bible, in theology and in the conflict. The conferees said decades of violence in Israel-Palestine challenge Christian theologians to work out "life-affirming" responses to the conflict. The Bible "must not be utilized to justify oppression or supply simplistic commentary on contemporary events", the final document said. The 10-14 September 2008 conference was hosted by the Swiss Protestant Federation and the Reformed Churches in Bern-Jura-Solothurn. The encounter took place as part of the WCC Palestine Israel Ecumenical Forum, an inter-church advocacy initiative. The 85 participants came from Europe, the Middle East, the Americas, Africa and Asia. "Concrete contributions to the discussions from Palestinian Christians helped to significantly change approaches to the issues," the host churches said in a communiqué. "In the controversial and at times passionate debates a constructive sensitivity to the central themes developed." Scholars from Europe and North America outlined progress made in years of dialogues between Christians and Jews. Recognizing this "Jewish-Christian healing" the conference expressed hope that Christians in Palestine-Israel would be welcomed into such dialogues in future and invited similar dialogues with Muslims as well. "Let us continue to critically and creatively examine notions of the 'Promised Land', rediscovering in the Bible and in our traditions life-giving metaphors for promoting justice, peace, reconciliation and forgiveness for the fullness of the earth and all its inhabitants", said the final document, the "Bern Perspective". It is particularly important to differentiate between biblical history and biblical stories, the "Bern Perspective" says, and as well to distinguish between the Israel of the Bible and the modern State of Israel...

Veja: Full text of the Bern Perspective

Um comentário:

Anônimo disse...

isso é verdade!!!?????????????

Postar um comentário