domingo, 8 de junho de 2008

A postura de Clodovis Boff causa enorme espanto

Teologia da Libertação após Aparecida volta ao fundamento? Entrevistas com Luiz Carlos Susin e Érico Hammes
Luiz Carlos Susin e Érico Hammes refletem sobre a Teologia da Libertação e sobre a Vª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, realizado no ano passado em Aparecida, a partir do polêmico e recente artigo de Clodovis Boff.


No ano passado, o teólogo Clodovis Boff escreveu o artigo “Teologia da Libertação e volta ao fundamento”, que foi publicado pela Revista Eclesiástica Brasileira – REB, número 268, de 2007. O texto tem, desde então, suscitado polêmica dentro da Igreja. Segundo Clodovis Boff, faltou à Teologia da Libertação, a “realmente existente, a que tem atrás de si quarenta anos de caminhada e cuja evolução já deixa ver traços exigindo crítica e retificação”, consistência epistemológica. Mais: segundo o teólogo, “por falta de uma epistemologia rigorosa e clara, a Teologia da Libertação labora em ambigüidades; laborando em ambigüidades, cai no erro de princípio. E do erro de princípio só podem provir efeitos funestos”. O sítio do IHU publicou o artigo Pelos pobres contra a estreiteza do método de Leonardo Boff, questionando o artigo de Clodovis Boff.A IHU On-Line discute o referido artigo, entrevistando Luiz Carlos Susin, por email e Érico Hammes, por telefone.

Luiz Carlos Susin e Érico Hammes são doutores em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana.

Leia a entrevista em Notícias do Dia - IHU On-Line: 08/06/2008.

Para entender a polêmica, leia antes meu post de 27 de maio de 2008 Leonardo Boff critica recuo de Clodovis Boff.

Mas quero dizer que no dia 28/11/2007, em e-mail a um colega teólogo, escrevi: "Estou abismado com o que acabei de ler no artigo dele [Clodovis] na última REB, a de outubro (Teologia da Libertação e volta ao fundamento). Só se não entendi nada, e ando vendo coisas, mas...". E esse colega me disse, na resposta enviada no dia 02/12/2007, entre outras coisas: "A minha sensação foi a mesma que a sua. Mas a verdade é que ele já estava mudando há algum tempo..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário