quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Tumba de Talpiot: a controversia continua

A Tumba de Talpiot, debatida recentemente por dezenas de especialistas em uma conferência em Jerusalém, continua gerando controvérsias. Por exemplo:

7 comentários:

Paulo Brabo disse...

Grato pelos links. Procurei por aqui mas não encontrei sua posição pessoal sobre o assunto. O que você tem a dizer sobre isso tudo?

airtonjo disse...

Se você conferir meus posts mais antigos sobre o filme O Sepulcro Esquecido de Jesus, encontrará minha opinião. Até resenha do filme eu fiz, na época em que foi exibido, em março de 2007.

Paulo Brabo disse...

Ah, desculpe, agora encontrei mais do que esperava encontrar.) Grato mais uma vez.

Paulo Brabo disse...

Não assisti ao documentário e só estou contemplando o assunto pelas bordas, mas é patente o uso seletivo de tradições e textos pela equipe responsável pelo projeto.

Impressionou-me em especial o item "Proviso" no sáite oficial, em que os produtores do filme alegam que a descoberta da tumba não ameaça os fundamentos do cristianismo porque "a ressurreição pode ter acontecido a partir desta tumba [e não da outra, tradicional, onde quer que esteja]". Segundo a mesma nota, a descoberta da ossada de Jesus não anularia "a possibilidade de uma ascensão espiritual".

Como opinou Wilhelm Lütgert, "os americanos são ingênuos o bastante para encomendar uma teologia e uma filosofia que se moldem aos seus propósitos, do mesmo modo que se encomenda um automóvel numa fábrica".

Jesus deve estar se revirando no túmulo.

Nehemias disse...

Na verdade, o "statement" dos pesquisadores é basicamente correto.

Para que a tese do filme funcionar, pelo menos uma das condições abaixo deve ser atendida:

a) Mariamenou'Mara (Mariamene, chamada Mara), teria que ser, inequivocamente, Maria Madalena, ou outra pessoa associada a Jesus. Mariamene seria um nome muito raro.

e/ou

b) Yoseh teria que ser um nome extremamente raro.

O problema é que a associação de Mariamene com Maria Magdalena é tenuê, tem que usar Atos de Filipe do sec. IV. E pelo que tenho visto, boa parte dos estudiosos consideram que o nome não é Mariamene, mas o muito mais comum Mariam ou Mariame.

E quanto a Yoseh, parece ser uma forma abreviada de Yehosef. O irmão de Jesus é chamado Jose (Yoseh) em Marcos e Yehosef em Mateus. E vc tem um monte de rabis no Talmud que se chamam Yoseh: Yoseh, o Galileu; Yoseh ben Chelafta, Yoseh ben Yoser. Então de raro esse nome não deve ter nada.

Assim, sem nomes raros, a tese vai pro brejo. O Kilty e Elliot calcularam que se o nome Yoseh for aplicavel a qualquer José, a chance de Talpiot cai para menos de 6 % (contra 49 % se Yoseh for considerado um nome raro). Se usar os resultados do Cost e Ingermanson, é menos ainda, uns 2 %, talvez.

Nehemias

Anônimo disse...

Por que permanece essa discussão em torno dessa tal tumba de talpiot já que pelo que podemos perceber essa tumba de jesus não passa de uma grande farsa?

Henrique disse...

O que ocorre, e o que sempre ocorreu ao longo desses 2000 anos, é o medo da perda da identidade santificada de Jesus e o descrédito da abalada igreja católica, o que, aliás é bastante plausível desta intituição ter forjado mais uma mentira que agora está se revelando através das mãos da ciência.

Postar um comentário