terça-feira, 30 de outubro de 2007

Alerta vermelho para a especie humana

Los problemas más graves del planeta continuan, advierte el informe de la ONU
Nairobi/Nueva York, 25 de octubre: El Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente informa de que amenazas graves como el cambio climático, el índice de extinción de las especies y el reto de alimentar a una población en crecimiento, se encuentran entre las que aún están sin resolver. Todas ellas ponen en peligro a la Humanidad. Esta advertencia está incluida en la Perspectiva del Medio Ambiente Mundial del PNUMA: Un informe sobre un medio ambiente para el desarrollo (GEO-4) publicado 20 años después de que la Comisión Mundial para el Medioambiente y Desarrollo (la Comisión Brundtland) publicase su informe principal, "Nuestro Futuro Común". GEO-4, el último de una serie de informes emblemáticos del PNUMA, evalúa el estado actual de la atmósfera, de la tierra, del agua y de la biodiversidad mundiales, describe los cambios acontecidos desde 1987 e identifi ca una serie de prioridades de actuación. El GEO-4 es el informe más completo de la ONU sobre el medio ambiente; ha sido preparado por unos 390 expertos y revisado por más de 1000 de todo el mundo...

Planet's Tougher Problems Persist, UN Report Warns
Nairobi/New York, 25 October:The United Nations Environment Programme says that major threats to the planet such as climate change, the rate of extinction of species, and the challenge of feeding a growing population are among the many that remain unresolved, and all of them put humanity at risk. The warning comes in UNEP's Global Environment Outlook: environment for development (GEO-4) report published 20 years after the World Commission on Environment and Development (the Brundtland Commission) produced its seminal report, Our Common Future. GEO-4, the latest in UNEP's series of flagship reports, assesses the current state of the global atmosphere, land, water and biodiversity, describes the changes since 1987, and identifies priorities for action. GEO-4 is the most comprehensive UN report on the environment, prepared by about 390 experts and reviewed by more than 1 000 others across the world...

Leia Mais:

'A Terra está por atingir um ponto de não retorno’, afirma a ONU. A sexta grande extinção em massa
'A Terra já não grita, mas berra', afirma Boff na I Conferência Nacional Popular sobre Agroenergia
Entenda as alterações climáticas causadas pelo aquecimento global
Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente

sábado, 27 de outubro de 2007

Sobre a proposta de Hans Küng

Por uma ética mundial. Um comentário

Paulo Soethe, diretor do PPG em Letras da UFPR, comenta duas das entrevistas publicadas pela revista IHU On-Line desta semana.

São as entrevistas de Denis Müller e de Manfredo Araújo de Oliveira.

Fonte: Notícias IHU - 27/10/2007

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Hans Küng: Bibliografia

As publicações de Hans Küng

Veja no site da Fundação Ética Mundial - Stiftung Weltethos:

:: Vollständige Bibliographie der Veröffentlichungen von Prof. Dr. Hans Küng 1955-2015 (em alemão e traduções)

O WorldCat, por sua vez, lista mais de mil e trezentas obras de Hans Küng em 40 línguas diferentes.


>> Atualizado em 02.07.2016 - 12h45

Hans Küng recebe titulo e faz palestra na UFJF

Leio na página do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora, MG, a notícia:

"Será ministrada, hoje, 26/10, na UFJF, a palestra Religiões mundiais e ética mundial, pelo Ciclo de Conferências com Hans Küng. O evento será no Museu de Arte Moderna Murilo Mendes a partir das 20:00h. A entrada é franca. Pouco antes, às 19:00h, o Prof. Hans Küng receberá da UFJF o título de Doutor Honoris Causa. Confira a programação. O prof. Hans Küng, que nasceu na cidade de Sursee (Suíça) em 1928, é hoje considerado um dos mais importantes teólogos e pensadores católicos de nosso tempo. Confira sua biografia".


Atualização: 27.10.2007 11h53
Hans Küng em Juiz de Fora - Notícias IHU

Um debate com Hans Küng

Ética Mundial: uma alternativa à ditadura do absolutismo e à ditadura do relativismo. Um debate com Hans Küng
Hans Küng é um intelectual altamente respeitado pela autoridade de suas pesquisas, por sua produção bibliográfica e por seus pronunciamentos. Ele transita por áreas como a física, a biologia e a política internacional, refletindo sobre as questões fundamentais da vida humana e consegue encontrar profundas relações entre as mudanças epocais, as descobertas científicas, a história das religiões e os comportamentos cotidianos. Apresentamos, a seguir, mais uma “entrevista” com Küng. Na verdade, a IHU On-Line reuniu aqui trechos de diversas conversas mantidas pelo teólogo suíço com os diversos auditórios que interagiram com ele na Unisinos, após as conferências ministradas nos dias 22, na Unisinos, e 23, no Instituto Goethe de Porto Alegre.

Leia o texto completo.

Fonte: Notícias IHU - 26/10/2007

A conferencia de Hans Küng em Curitiba

Um novo paradigma para as relações sociais foi o tema de Hans Küng em Curitiba

Fonte: Notícias IHU - 26/10/2007

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Leitura popular da Biblia no Brasil

Já faz tempo que o artigo foi escrito, uns dois anos.

Mas, para quem não tem acesso aos livros do Mesters, vale a pena ler, está online no site do CEBI: uma explicação do que é a leitura popular da Bíblia no Brasil. Faz um histórico, explica o método... Tudo muito fácil.

Sobre a Leitura Popular da Bíblia no Brasil

Por Carlos Mesters e Francisco Orofino.

O que é o CEBI? Consulte aqui e aqui.

Hans Küng: fazer uma Teologia aberta

Ética Mundial, religiões e origem da vida. Hans Küng no RS
...Essa reportagem pretende resgatar algumas das idéias abordadas por Küng nas conferências proferidas no Rio Grande do Sul na sua recente visita nos dias 22 e 23 de outubro passados (...) Fazer uma Teologia aberta. Eis o convite deixado por Hans Küng aos teólogos e teólogas do Rio Grande do Sul, com os quais se encontrou na última segunda-feira (...). “Não precisamos ter medo de que a Teologia não seja relevante”, disse o teólogo fechando sua conferência. E acrescentou: “a Teologia quando não tem fundamento se torna arbitrária; caso se atenha ao ‘certo’ se torna tediosa. Ela deve estar aberta ao diálogo com ateus, agnósticos, representantes das outras religiões e em diálogo com as ciências da natureza” ...

Leia o texto completo.

Fonte: Notícias IHU - 25/10/2007

Leia Mais:
Hans Küng no Brasil
Projeto de Ética Mundial. Um debate

Paulo Soethe fala sobre Hans Küng

Um grande futuro para o Projeto de Ética Mundial no Brasil. Uma entrevista com Paulo Soethe
O professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Paulo Soethe, foi o incentivador maior da visita de Hans Küng ao Brasil. Desde a chegada do teólogo em Porto Alegre, Soethe o acompanha sempre com serenidade, respeito e admiração, auxiliando na tradução do alemão e português e fazendo a apresentação do professor em todos os lugares onde Küng tem visita agendada. Ao término da conferência do teólogo no Instituto Goethe, em Porto Alegre, na manhã da última terça-feira, dia 23 de outubro, Paulo Soethe falou rapidamente à IHU On-Line sobre a importância da presença de Hans Küng no Brasil e sobre sua relação com este importante teólogo. Graduado em Letras Alemão-Português pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), mestre e doutor em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), o Prof. Dr. Paulo Soethe cursou pós-doutorado na Universidade de Tübingen, na Alemanha.


Leia a entrevista.


Fonte: Notícias IHU - 25/10/2007.

Hans Küng na Camara dos Deputados

Teólogo suíço explica princípios da ética global
O teólogo suíço Hans Küng explicou há pouco que a ética global se baseia em dois princípios fundamentais: a reciprocidade e a humanidade. Segundo ele, a reciprocidade já estava presente na regra de ouro de Confúcio, 500 anos a.C.: não faça ao outro o que não quer que façam a si mesmo. A humanidade também estava presente nas religiões chinesas e prega que cada ser deve ser tratado como especial.

A base desses princípios, explicou Küng, são quatro imperativos básicos (que também estariam presentes no budismo, judaísmo, cristianismo e islamismo):
1. não mentir, principalmente nas grandes mentiras que tem conseqüências sociais;
2. não matar, principalmente em relação a genocídios em massa;
3. não roubar, aplica-se, principalmente, a grandes centros financeiros que causam prejuízos a milhões de pessoas;
4. respeitar a igualdade entre homens e mulheres. Segundo Kung, por tratar da sexualidade, esse é o principal problema para as religiões.

Na opinião do teólogo suíço, para que esses princípios se realizem é necessário uma vontade ética. Por isso, é tão importante o papel das religiões que devem motivar as pessoas a desenvolver esses comportamentos.

Hans Küng participa de audiência pública promovida pelas comissões de Direitos Humanos e Minorias; e de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, e pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar no plenário 9.

Fonte: Agência Câmara - 25/10/2007 - 11h16

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Crossan faz palestras no Brasil ate 26 de outubro

John Dominic Crossan faz palestras no Brasil até o dia 26 de outubro de 2007.

:: De 23 a 25 de outubro
Conferências na Universidade Metodista de São Paulo, UMESP.
O programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião vai promover um evento que vai discutir sobre o personagem fundamental de inúmeras crenças modernas. Jesus de Nazaré em Debate vai ser realizado entre os dias 23 e 25 de outubro e vai trazer ao campus Rudge Ramos, John Dominic Crossan um dos maiores estudiosos sobre Jesus Cristo. Fonte: UMESP.


:: Dia 26 de outubro: Conferência no Theologando Internacional - Centro de Convenções Rebouças, São Paulo.

As conferências:

Dia 24
19h40 - José Comblin: Paradigmas Contemporâneos da Missão Cristã

Dia 25
09h00 - João Batista Libânio: Desafios Contemporâneos da Teologia Cristã
10h45 - Leonardo Boff: Os Desafios da Teologia Cristã nos Dias de Hoje
19h00 - Rubem Alves: O Discurso Teológico e a Cultura Contemporânea

Dia 26
09h00 - Frei Betto: (tema?)
10h45 - Lieve Troch/Sandra Duarte: Teologia Feminista, Estudos Feministas: Religião e Ciências Sociais
19h00 - John Dominic Crossan: Jesus Histórico
20h45 - Walter Altmann: Ecumenismo e a Missão da Igreja Cristã: Diálogo entre Religião e Cultura

Dia 27
09h00 - Tânia Mara Sampaio: Estudos Feministas e a Bíblia
10h45 - Milton Schwantes: Bíblia, Cultura, Missão e Teologia: Paradigmas Contemporâneos


Leia Mais:
Paulinas publica mais três livros de Crossan

Hans Küng na Universidade Catolica de Brasília

Universidades promovem debate sobre desafios éticos da política
Brasília - O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, participa hoje (24), às 19h30, do 2º Simpósio Democracia no Brasil: Desafios Éticos da Política. O encontro, promovido pela Universidade Católica de Brasília [UCB] em articulação com a Universidade do Vale do Rio dos Sinos, [Unisinos], será realizado no auditório central do Campus 1 da Universidade Católica, em Águas Claras, Distrito Federal.

A programação será aberta com duas mesas-redondas sobre os temas “Mídia e Política: Corrupção e Ética no Brasil” e “Política e Emancipação: Movimentos e Insurgências”. Em seguida, haverá conferência com o professor e teólogo Hans Küng, intitulada “Ética Mundial e seus Impactos na Democracia”.

A palestra do suíço Hans Küng faz parte de uma série de sete encontros dos quais ele participará em diferentes cidades do Brasil, para promover o ciclo de conferências “Ciência e Fé – Por uma Ética Mundial”.

Fonte: Agência Brasil - 24 de outubro de 2007 - 08h35.

Wikipedia e Biblia: muito antes, pelo contrário

Posso confiar na Wikipédia para consultas sobre temas bíblicos?

Pode e não pode... Acho que a postura do mineiro diante de polêmica temática é a mais apropriada neste caso: "E você, mineiro, é a favor ou contra?" E o mineiro, desconfiado, sem pressa, responde: "Muito antes pelo contrário..."

Por que o assunto reaparece? Porque um leitor fiel deste blog me comunica sua perplexidade face à duvidosa qualidade das informações da Wikipédia sobre temas bíblicos, judaicos e afins.

O mineiro está certo: não existe consenso sobre o assunto. Eu consulto alguma coisa, quando não tenho alternativa, mas só confio quando sei mais sobre o tema do que o autor do texto... Ou quando tenho como verificar, em outra fonte, a qualidade do que estou consumindo. Esquisito isso, mas no mundo da informação, especialmente na web, somos muitas vezes obrigados a agir assim.

Remeto os interessados a um post que escrevi em 29 de março de 2007, Wikipedia avaliada pelos biblioblogueiros, onde há alguns bons links que levam a gente séria que discutia, naquela época, o assunto. E lá indico também como chegar à Citizendium, Scholarpedia, Wikipedia.

Acrescento a estes um post de John F. Hobbins, Wikipedia, Bible Study, and the SBL, de 15 de julho de 2007, em seu Ancient Hebrew Poetry.

Por último, recomendo algo sobre os blogs - não custa desconfiar, não é?
Blogueiros mentem? Bem...
Charlatanice: muitos blogs publicam lixo como se fosse ciência
O lado obscuro dos blogs

Resumo da conferencia de Hans Küng na Unisinos

No site do IHU, em Notícias, com data de 24/10/2007, leio:

Religiões mundiais e Ethos mundial. Uma síntese da conferência de Hans Küng

"Religiões Mundiais e Ethos mundial foi o tema da conferência proferida por Hans Küng, no dia 22-10-2007, na Unisinos. Cleusa Andreatta, doutora em teologia, professora da Unisinos e coordenadora do programa Teologia Pública do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, fez uma síntese da conferência".

Abaixo, a síntese.

Introdução: Religião e Ethos
É possível ser moral, mesmo sem fé? Sim, é possível. Também ateus, agnósticos, céticos podem ter um ethos que, no entanto, não se fundamenta numa fé em Deus, porém numa confiança básica na realidade. É algo como uma moral fundamental (...) Então, por que ter ainda uma religião? Porque só a religião oferece resposta convincente sobre... Leia o texto completo.

Leia Mais:
Ciência e fé: Hans Küng mostra essa relação de respeito recíproco
"O auditório do Instituto Goethe, de Porto Alegre, estava lotado ontem de manhã. Todas e todos atentos para ouvir um teólogo falar sobre ciência, religião e a origem da vida. Mas não era um teólogo. Era o teólogo. Hans Küng falou para uma platéia que o ouviu e recebeu com a alegria de quem está diante do autor de livros lidos durante a trajetória pessoal de cada um. O alemão era o idioma predominante no ambiente. Poucos utilizaram os aparelhos de tradução simultânea..." (cont.)

Um teólogo diferente. Repercute no RS a visita de Hans Küng


“Verdades de fé jamais poderão ser universais”. Entrevista com Jan Assmann
Questionado sobre como o Projeto de Ética Mundial de Hans Küng pode auxiliar as religiões a encontrar um ponto comum de diálogo e de pluralismo entre as diferentes crenças, o egiptólogo alemão Jan Assmann afirmou: “trata-se, além das religiões individuais cuja pluralidade jamais se poderá descartar, e além de suas verdades de fé, de estabelecer alguns princípios civilizatórios, aos quais todas as religiões devem se ater. Verdades de fé jamais poderão ser universais”. Para ele, “o que hoje constitui parâmetro importante nas orientações da humanidade é a paz, a justiça, respeito e reconhecimento mútuo, solidariedade com os pobres, com os perdedores da globalização, coisas que também se encontram nas religiões, mas nelas também se encontra algo bem diverso, que é capaz de perturbar sensivelmente a paz nesta Terra”. Assmann concedeu entrevista exclusiva, por e-mail, à IHU On-Line. Escrevendo diretamente do Egito, onde realiza uma escavação arqueológica, ele atendeu nosso convite para refletir sobre o Projeto de Ética Mundial de Hans Küng e fez relações entre essa idéia e a questão do pluralismo e da tolerância religiosa em nossos dias. Leia o texto completo.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Hans Küng na UFPR

Da página de notícias da Universidade Federal do Paraná, assinado por Sônia Loyola:

"[Nesta] terça-feira, dia 23, às 20 horas, [Hans Küng] estará no Teatro da Reitoria onde falará sobre Um novo paradigma para as relações internacionais (...) O objetivo do ciclo de palestras que está sendo realizado por Küng é difundir no Brasil a proposta e os atuais resultados do Projeto de Ética Mundial, além de divulgar os desdobramentos ocorridos entre intelectuais e estudiosos brasileiros dedicados ao assunto".

Leia Mais:
Projeto de Ética Mundial. Um debate
A entrevista de Hans Küng à Folha de São Paulo

Hans Küng na Unisinos

Na página de notícias do IHU - Instituto Humanitas Unisinos - em 23/10/2007, leio:

Religiões são ambíguas, mas têm o potencial de gerar a paz. Entrevista especial com Hans Küng


"No dia de ontem [22/10/2007], o campus da Unisinos recebeu um dos maiores teólogos da atualidade. Amável e sorridente quando se trata de conversas humanas, implacável e intransigente na hora de falar da necessidade de que todas as pessoas e sociedades se construam a partir de uma Ética Mundial que trate a todos os seres humanos como tais e se oriente por quatro princípios básicos: não matar, não mentir, não roubar e não abusar ninguém sexualmente. Trata-se do teólogo suíço Hans Küng.Aos 79 anos, Küng enfrentou, ontem, um dia cheio. Às dez horas estava chegando no Instituto Humanitas Unisinos - IHU para conversar com os jornalistas numa entrevista coletiva. Com o mesmo bom humor cativou a atenção de teólogas e teólogos, com os quais esteve reunido entre as 16 e as 18h, conversando sobre “Ciência e fé – Por uma Ética Mundial”. Ainda no mesmo dia, com o auditório Central da Unisinos lotado, Hans Küng abordou o tema “As religiões e a Ética Mundial”, respondendo, posteriormente, às perguntas de estudantes e professores da universidade. Aos/às jornalistas respondeu perguntas mais gerais sobre os grandes temas que ele aborda. Com teólogas e teólogos fez uma síntese histórica das três maiores religiões (cristianismo, Islã e judaísmo), se detendo nos diversos paradigmas que foram surgindo em cada época. Por sua vez, aos estudantes e professores explicou em detalhes a necessidade do diálogo entre as religiões e a importante contribuição que elas podem dar para um mundo de paz.

Confira amanhã uma síntese das principais idéias desenvolvidas em cada uma das três conferências proferidas pelo teólogo no Rio Grande do Sul, nos dias de ontem e hoje e, a seguir, algumas das idéias defendidas por Küng ao longo da entrevista coletiva". Confira a entrevista...

:: Programação

As Conferências de Hans Küng no Brasil
22 de outubro:
20h - 1ª Grande Conferência: As religiões e a ética mundial - Auditório Central/Unisinos

23 de outubro:
10h - 2ª Grande Conferência: Religião e Ciência, no Instituto Goethe – Porto Alegre - Auditório.
20h - 3ª Grande Conferência – Um novo paradigma para as relações internacionais – UFPR/Paraná - Curitiba

24 de outubro
4ª Grande Conferência: Religiões mundiais e ética mundial - Universidade Católica de Brasília - UCB - Auditório de Eventos

25 de outubro
5ª Grande Conferência: Ética mundial, direitos humanos e democracia - Anexo II da Câmara dos Deputados - Brasília

6ª Grande Conferência: Religião e ciência - Universidade Cândido Mendes - Rio de Janeiro (Progr. Ciência e Religião) Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade (CAALL)/ Teatro João Theotonio/ Rua da Assembléia, 10, subsolo

26 de outubro
7ª Grande Conferência: Religiões Mundiais e ética mundial - Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF - MG


:: Confira o Blog do IHU, onde há mais notícias sobre Hans Küng.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Projeto de Etica Mundial. Um debate

Esse é o tema de capa da edição 240 da IHU On-Line, de 22 de outubro de 2007.

Diz o Editorial da revista do Instituto Humanitas Unisinos:

"O projeto de uma Ética Mundial é a proposta do teólogo de renome internacional Hans Küng, entrevistado especial nesta edição e que vem ao Brasil, nesta semana, para debatê-lo.

Esta edição da IHU On-Line entrevistou também alguns intelectuais que falam sobre a Ética Mundial, como Denis Müller, professor da Universidade de Lausanne; Paolo D’Arcais, diretor da prestigiosa revista italiana Micromega; Paul Valadier, do Centro Sèvres de Paris; Gianni Vattimo, filósofo italiano; Alfredo Culleton, da Unisinos; e Jan Assmann, egiptólogo alemão.

Desta maneira, o Instituto Humanitas Unisinos – IHU continua o debate que foi propiciado, além das páginas da sua revista, na sua página eletrônica, com a publicação de notas, textos e repercussões da proposta, especialmente no Fórum Ética Global, criado no sítio do IHU.

Trata-se de um debate que a visita de Hans Küng instiga e que continuaremos a discutir nas diversas publicações do IHU".

Confira!


Leia Mais:
Hans Küng no Brasil

Hans Küng no Brasil

Na madrugada de 20 de outubro, Hans Küng chegou ao Brasil, diz IHU Notícias.

Nesta manhã de segunda-feira, dia 22, Hans Küng participou de uma coletiva com a imprensa. À tarde se reunirá com um grupo de Professores e Professoras de Teologia da região Sul do Brasil na sede do Instituto Humanitas Unisinos - IHU que, conjuntamente com a Universidade Federal do Paraná, promove a sua vinda ao Brasil. À noite, na Unisinos, proferirá a conferência Weltreligionen und Weltethos - As Religiões Mundiais e a Ética global.

Na manhã do dia 23, terça-feira, Hans Küng proferirá a conferência Der Ursprung des Lebens - A origem da vida - no Instituto Goethe de Porto Alegre. Na noite deste mesmo dia, ele proferirá uma conferência na Universidade Federal do Paraná em Curitiba.

Na quarta-feira, dia 24, em Brasília, Hans Küng profere a conferência Ética mundial e seus impactos na democracia, na Universidade Católica de Brasília.


Hans Küng será recebido pelo Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva.

No Rio de Janeiro, na quinta-feira, dia 25, o teólogo suíço profere uma conferência na Universidade Cândido Mendes.

Na sexta-feira, dia 26, na Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Hans Küng receberá o título de Doutor Honoris Causa.

Leia Mais:
A Igreja deve tornar a vida das pessoas mais fácil. Entrevista de Hans Küng a Leandro Beguoci, da Folha de São Paulo (publicada em 22/10/2007)
Entrevista com Hans Küng: A dignidade humana em primeiro plano, a base da moral da Ética Mundial
Hans Küng no RS
Hans Küng vem ao Brasil em outubro
Lembrando: Hans Küng no Brasil a partir do dia 22
Teólogo suíço participa de dois eventos em Brasília (CNBB - 19 de outubro de 2007)

Descobertos artefatos arqueologicos em Jerusalém

O comunicado é da IAA - Autoridade Israelense de Antiguidades: restos de pequenos objetos que podem ser datados, segundo vários arqueólogos, entre os séculos VIII e VI AEC - também chamado de período do Primeiro Templo -, foram encontrados em Jerusalém, na área do Templo.

For the First Time, Archaeological Remains dated to the First Temple Period have been Discovered on the Temple Mount
Archaeological inspection by the Israel Antiquities Authority over works of the Waqf has uncovered remnants from the First Temple Period (Iron Age IIB).

During a recent archaeological inspection on the Temple Mount in Jerusalem carried out by the Israel Antiquities Authority over maintenance works of the Waqf, a sealed archaeological level probably dated to the First Temple Period was exposed in the area close the southeastern corner of the raised platform surrounding the Dome of the Rock. Archaeological examination of a short section of this level, undertaken by Yuval Baruch, the Jerusalem District Archaeologist, uncovered finds that included fragments of ceramic table wares and animal bones. The finds are dated to the eighth to sixth centuries BCE. Yuval Baruch of the IAA, Prof. Sy Gitin, Director of the William F. Albright Institute of Archaeological Research in Jerusalem, Prof. Israel Finkelstein of Tel Aviv University and Prof. Ronny Reich of Haifa University examined the finds and the archaeological data and reached the conclusion that the characteristics and location of the finds may aid scholars in reconstructing the dimensions and boundaries of the Temple Mount during the First Temple Period. The finds include fragments of bowls, including rims, bases and body sherds; the base of a juglet used for the ladling of oil; the handle of a small juglet and the rim of a storage jar. The bowl sherds were decorated with wheel burnishing lines characteristic of the First Temple Period. In addition, a piece of...

Leia o resto da notícia e veja as fotos. E preste bem atenção: são pequenos restos de objetos da época pré-exílica, mas nada indica que tenham ligação com o Templo da época, ainda não encontrado. E mais: séculos VIII-VI AEC não representam a época de Salomão, tradicionalmente colocado no século X AEC.

Portanto, notícias dizendo que, finalmente, foram encontrados testemunhos do templo salomônico, são leituras distorcidas do comunicado dos arqueólogos israelenses.

domingo, 21 de outubro de 2007

Von Rad

É sempre bom lembrar: neste dia, em 1901, nascia Gerhard von Rad, um dos mais brilhantes biblistas do século XX.

No WorldCat estão listadas 156 obras de Gerhard von Rad em alemão, inglês, japonês, espanhol, coreano, francês, italiano, húngaro, estoniano, polonês, africâner, norueguês (os livros traduzidos para o português não estão listados...)

sábado, 20 de outubro de 2007

Paulinas publica mais tres livros de Crossan

Paulinas lançou nesta semana mais três livros de John Dominic Crossan, que esteve presente em Seminário sobre o Jesus Histórico no Rio de Janeiro. Veja:

CROSSAN, J. D.; REED, J. L. Em busca de Jesus: Debaixo das pedras, atrás dos textos. São Paulo: Paulinas, 2007, 344 p. (?) - ISBN 9788535620139.

Tradução do inglês: Excavating Jesus: Beneath the Stones, Behind the Texts: Revised and Updated. San Francisco: HarperOne, 2003, 368 p. - ISBN 9780060616342.

CROSSAN, J. D.; REED, J. L. Em busca de Paulo: Como o Apóstolo de Jesus opôs o Reino de Deus ao Império Romano. São Paulo: Paulinas, 2007, 432 p. - ISBN 9788535619775.

Tradução do inglês: In Search of Paul: How Jesus' Apostle Opposed Rome's Empire with God's Kingdom. San Francisco: HarperOne, 2005, 464 p. - ISBN 9780060816162.

CROSSAN, J. D. O nascimento do cristianismo: O que aconteceu nos anos que se seguiram à execução de Jesus. São Paulo: Paulinas, 2004, 701 p. - ISBN 9788535613315 (2. ed. em 2007?)

Tradução do inglês: The Birth of Christianity: Discovering What Happened in the Years Immediately After the Execution of Jesus. San Francisco: HarperOne, 1999, 688 p. - ISBN 9780060616601.


:: Últimos livros de John Dominic Crossan. Foram publicados em inglês, respectivamente, em janeiro, março e outubro de 2007. Só um deles foi, até agora, traduzido para o português.

BORG, M. J.; CROSSAN, J. D. Última Semana: um relato detalhado dos dias finais de Jesus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007, 255 p. - ISBN 9788520919743.

Tradução do inglês: The Last Week: What the Gospels Really Teach About Jesus's Final Days in Jerusalem. San Francisco: HarperOne, 2007, 256 p. - ISBN 9780060872601.

CROSSAN, J. D. God and Empire: Jesus Against Rome, Then and Now. San Francisco: HarperOne, 2007, 272 p. - ISBN 9780060843236.

BORG, M. J.; CROSSAN, J. D. The First Christmas: What the Gospels Really Teach About Jesus's Birth. San Francisco: HarperOne, 2007, 272 p. - ISBN 9780061430701.


:: John Dominic Crossan no WorldCat, um banco de dados de bibliotecas:

WordCat aponta 122 livros de John Dominic Crossan - sozinho ou com outros autores - nas seguintes línguas: inglês, espanhol, alemão, japonês, holandês, italiano, polonês, chinês, dinamarquês (as traduções em português não estão catalogadas!)

Leia Mais:
Trechos dos livros de John Dominic Crossan online

Crossan e Wright conversam sobre a ressurreição de Jesus
Crossan vem ao Brasil em outubro de 2007
I Seminário Internacional sobre o Jesus Histórico
John Dominic Crossan no Brasil

Artigo de Eric Cline foi publicado no SBL Forum

O artigo de Eric H. Cline sobre arqueologia, do qual falei aqui e aqui, está no Fórum de outubro da Society of Biblical Literature.

Leia Raiders of the Faux Ark: Biblical archeology is too important to leave to crackpots and ideologues. It's time to fight back.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

JANES Online

The Journal of the Ancient Near Eastern Society - JANES - é publicado pelo Jewish Theological Seminary, de New York, NY, USA.

A boa notícia: agora está disponível online. Não perca.

Biblioblogueiro de outubro de 2007: Philip Harland

Brandon Wason, em Biblioblogs.com, entrevista Philip Harland, autor do blog Religions of the Ancient Mediterranean, escolhido como o biblioblogueiro do mês de outubro de 2007.

Philip Harland é Professor na York University, Toronto, Canadá.

Mantém igualmente um blog de música, Phil's Vinyl Addiction.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Exploring Our Matrix

A um amigo brasileiro que está querendo compreender melhor o debate sobre criação e evolução, recomendei, ontem, o blog Exploring Our Matrix, do Dr. James F. McGrath, Professor de Religião na Butler University, Indianapolis, IN, USA.

Dr. James F. McGrath: Assistant Professor of Religion. Diploma in Religious Studies, Cambridge University; B.D., University of London; Ph.D., University of Durham.

Lembrando: Hans Küng no Brasil a partir do dia 22

Ciclo de Conferências com Hans Küng - Ciência e fé – por uma ética mundial

Na próxima semana.

Novo blog de estudos judaicos

Estudos Judaicos - Estudos Bíblicos - Língua Hebraica

Espaço dedicado aos temas relacionados aos Estudos Judaicos, Estudos Bíblicos e Língua Hebraica. Elaborado por Cláudia A. P. Ferreira, Professora Doutora do Setor de Hebraico do Departamento de Letras Orientais e Eslavas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PPGHC) do Departamento de História da UFRJ.

Cláudia, desejo-lhe sucesso.

Observo que aparecem aqui e ali alguns problemas com o código do Blogger, mas isto pode ser facilmente consertado. Se me for permitida a intromissão, sugiro outro tipo de organização da coluna da direita, o que facilitaria a consulta do material e tornaria o visual do blog mais leve.

Um animal ou uma mascara?


Um peixe. Peixe-cofre, um Boxfish. Da família dos Ostraciidae.

Cientistas descobrem espécies inéditas em mar filipino
Cientistas filipinos e americanos anunciaram nesta terça-feira, 16, terem descoberto novas espécies marinhas em uma das regiões de maior diversidade biológica do mundo, o Mar de Celebes, no Pacífico, ao Sul das Filipinas. Diversas espécies inéditas de vertebrados e invertebrados foram registradas a profundidades de até cinco quilômetros. O estudo, liderado pelo Instituto Oceanográfico Woods Hole, de Massachusetts [WHOI, Woods Hole Oceanographic Institution], em parceria com a revista National Geographic, concluiu que as espécies podem ter sido isoladas por milhões de anos no oceano. A região onde foram encontradas as espécies fica no "triângulo de coral" do Pacífico, entre a Malásia, a Indonésia e as Filipinas... Fonte: Estadão.com.br: terça-feira, 16 de outubro de 2007, 15:08. Foto: AP.

Ostraciidae?
Os ostraciídeos ou ostraciontídeos (Ostraciidae), vulgarmente designados como peixes-cofre, são peixes da ordem dos Tetraodontiformes. Caracterizam-se por terem o corpo encerrado numa caixa óssea (daí o nome de "cofre"), composta por placas hexagonais, deixando de fora, apenas, a barbatana caudal. Algumas das espécies são designadas como Peixe-vaca (com ou sem "chifres" - protuberâncias ósseas localizadas na cabeça). O revestimento das diferentes espécies varia do verde-pálido com manchas e listas azuis até ao marelo e castanho, com manchas azuis, brancas ou púrpuras. O seu habitat preferencial são os recifes de coral, em águas tropicais.

Quando vejo tão grande diversidade de vida, uma estranho sentimento de mundo toma conta de mim. E penso que temos a obrigação mesmo, olho no olho, falando de cara fechada, testa franzida, de tomar conta deste nosso precioso pequeno mundo tão ameaçado.

Olhe bem na cara desse peixinho - de milímetros - e veja se ele está achando graça no que estamos fazendo com o mundo!

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Dia do Professor

Só piora?

Professor de SP ganha 39% menos que do Acre - Folha Online: 15/10/2007 - 08h40

Apenas 10% dos mestrados e doutorados têm nível europeu - Folha Online: 11/10/2007 - 08h52

A tragédia dos professores enlouquecidos - Gilberto Dimenstein: 15/10/2007


Veja também:
Sites de universidades brasileiras

John Dominic Crossan no Brasil

Como já noticiei neste blog, John Dominic Crossan está no Brasil nesta semana para participar do I Seminário Internacional sobre o Jesus Histórico que começa dia 16, terça-feira, e vai até o dia 18 de outubro.

O Seminário será realizado no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS/UFRJ).

sábado, 13 de outubro de 2007

Meu encontro com Paulo Autran

Morreu Paulo Autran, um dos maiores atores brasileiros.

De sua morte, ocorrida ontem, escreveu Josias de Souza em seu blog, Nos bastidores do poder: Depois de atingir o cume da glória, Autran subiu.

E Nelson de Sá escreveu Ele era o teatro, no Cacilda, blog de teatro da Lenise Pinheiro e do Nelson de Sá, em 12/10/2007 às 19h02: Demorei a compreender sua grandeza. Não aceitava as opções que fazia, as encenações a que se submetia. Eu amava o aristocrata reacionário de “Terra em Transe”, mas não era o que presenciava no teatro. Até que fui parar um dia no Sesc Ipiranga, para ver seu monólogo de décadas, restrito praticamente a um único texto, “Meu Tio o Iauaretê”, de Guimarães Rosa. A metamorfose por que passou, de homem a animal, diante dos meus olhos e de todos, foi acontecimento tão singular, ainda que ele o repetisse toda noite, que valeu por tudo. Foi tão superior o teatro, naquele instante, que não havia mesmo mais nada. Não havia, para começar, diferenças de pensamento, correntes do teatro. Foi o palco absoluto.

Retrato do ator Paulo Autran, feito pela fotógrafa Madalena Schwartz em 1999


Há 29 anos tive a rara oportunidade de conhecer e entrevistar Paulo Autran.

Foi em Patos de Minas, MG, onde, em 1978, eu era redator-chefe do jornal Folha Diocesana. Tendo chegado de Roma no final de 1976, depois de seis anos estudando na Europa, eu trabalhava como assessor exegético na Diocese de Patos de Minas e tinha 27 anos de idade.

Paulo Autran fora a Patos de Minas a convite do Centro de Estudos Teatrais (CET), grupo de teatro amador, que estava inaugurando o pequeno Teatro Telhado, e apresentou, nos dias 9 e 10 de junho de 1978, no auditório da Rádio Clube de Patos, o espetáculo O Ator e o Texto.

Na edição de 15 de junho de 1978, n. 954, da Folha Diocesana, escrevi:
O Ator e o Texto: o ator, Paulo Autran, carioca de nascimento, paulista por vivência, advogado de profissão, ator por vocação, um dos maiores expoentes do atual teatro brasileiro. O texto: Angústia, de Graciliano Ramos; Cabelos Compridos, de Monteiro Lobato; O Retrato, de Érico Veríssimo e Meu Tio o Iauaretê, de Guimarães Rosa (...) Nos debates e bate-papos dos patenses com Paulo Autran, pôde-se constatar a magnifica clarividência de idéias e amplidão de horizontes do grande ator.

A seguir, a entrevista, na qual, entre outras coisas, Paulo Autran disse: No Brasil, o povo só terá acesso ao teatro quando ele tiver o que comer, o que vestir, onde dormir e tiver aprendido a ler.

Nosso circo é a novela e o futebol, nosso pão está caro
Entrevista com o ator Paulo Autran - Por Airton José da Silva - Diretor de Redação
Publicada na Folha Diocesana – Patos de Minas, 22 de junho de 1978, n. 955, p. 9.

Na avenida Brasil, em Patos de Minas, um pequeno teatro, ainda em construção. Um grupo com muita garra, muita vontade de fazer teatro amador em Patos. O Teatro Telhado, rústico, mas acolhedor. O grupo de jovens do CET – Centro de Estudos Teatrais - um dos 5 grupos de teatro amador de Patos de Minas. São 16 horas, o dia é 10 de junho de 1978, o assunto é teatro. Sentados no chão, rapazes e moças estão atentos. Sentado também no chão, muito comunicativo, no meio de todos: Paulo Autran. Suas apresentações no auditório da Rádio Clube de Patos foram muito comentadas naqueles dias. Suas idéias e suas opiniões, ótimo incentivo para o teatro e para a cultura. E nós quisemos também ouvi-lo. Gravador na mão, entramos na intimidade daquela conversa. E Paulo Autran continuou a conversar conosco. Falou de teatro, mas falou mais. Muito natural, muito espontâneo, o famoso ator demonstrou ser grande também fora do palco. Selecionamos algumas das respostas de Paulo Autran. As perguntas são de várias pessoas, inclusive da redação da Folha Diocesana.

:: Paulo, vamos falar de algo muito importante: o teatro e a censura
Paulo Autran
– O maior mal que o teatro enfrenta atualmente [1978] é, sem dúvida, a censura. A censura tem sido castradora em todos os ramos artísticos do Brasil, no cinema, na televisão e, principalmente, no teatro. Quando a gente pensa que, atualmente, há perto de 600 peças proibidas pela censura, a gente vê o que isso representa de mal, não só para o teatro, mas principalmente para a platéia brasileira, para o povo brasileiro que fica impossibilitado de ver grandes obras, que fica sem conhecer as principais obras de seus próprios dramaturgos, porque há muita peça brasileira proibida. E você pense também na quantidade de pessoas que deixam de escrever, na quantidade de assuntos que não podem ser abordados no palco. Então, realmente, é um mal para o povo brasileiro.

:: E a televisão? Ela está ocupando um espaço enorme na vida do brasileiro. Este espaço não foi em parte roubado do teatro?
Paulo Autran
– Eu não acredito que a televisão roube espaço ao teatro, porque a televisão é totalmente diferente do teatro. O prazer que um espetáculo teatral proporciona a quem o assiste é totalmente diferente do prazer provocado por um bom programa de televisão, quando há bons programas de televisão. Porém é lastimável que um veículo capaz de promover a massificação do pensamento em nosso país, dedique tantas horas a uma coisa do gênero novela, onde só se pensa no lado sentimental das coisas. E nenhum problema real pode ser abordado numa novela.

:: No meu modo de ver, a televisão acomoda as pessoas, ela apresenta uma imagem defasada da realidade...
Paulo Autran – A televisão, principalmente, aliena a quem a assiste dos verdadeiros problemas que a pessoa tem que enfrentar. Enquanto o Brasil inteiro discute se a mocinha vai se casar e ser feliz com o mocinho, o Brasil inteiro deixa de pensar nos problemas reais, diários, cotidianos que o nosso povo tem que enfrentar.

:: A televisão torna as pessoas obedientes, massificando-as. O que significa isto no contexto brasileiro atual?
Paulo Autran – É uma lástima. Já diziam os romanos que para governar era preciso dar ao povo pão e circo. No Brasil, nosso circo é a novela e o futebol. E o pão está caro.

:: Você acha que um grupo de teatro amador que começa representando uma peça clássica vai ter algum problema por ter começado com algo tão difícil?
Paulo Autran – A palavra “clássico” assusta muita gente. Fala-se em música clássica, as pessoas dizem: “ai, que horror”. Fala-se em teatro clássico, as pessoas dizem: “ai, que difícil”. Não é verdade. O clássico, a palavra “clássico” é sinônimo de qualidade. Só se torna clássico aquilo que é bom, que reflete um problema verdadeiro da humanidade. Assim, o teatro clássico é um extraordinário ponto de partida para qualquer pessoa. Quem é capaz de representar bem um clássico é capaz de transmitir as paixões do ser humano no seu mais alto grau de intensidade. Para quem gosta de música, por exemplo, é uma conquista descobrir a beleza e a extraordinária emoção e prazer que se encontra ouvindo um bom autor clássico.

:: Qual o papel que você mais prefere fazer?
Paulo Autran – Eu fiz tantos papéis bons, tantos textos brasileiros e estrangeiros que eu não poderia lhe indicar um personagem que eu tenha gostado mais. Mas, se me obrigassem a dizer qual a peça que me deu mais prazer representar, eu poderia dizer que foi “Liberdade, Liberdade”, uma peça que atualmente está proibida em todo o território nacional, talvez por causa do nome.

:: Augusto Boal está fazendo experiências de teatro-foro na Europa. O que você acha disso?
Paulo Autran – O Boal já fez isso aqui no Brasil, o que ele chamava de teatro-jornal. A partir do fato diário, ele escrevia e apresentava diariamente pequenos esquetes no seu teatro. Ele agora ampliou isto na Europa. O Boal é um autor e um diretor muito criativo e capaz. Acredito que ele esteja fazendo um bom trabalho por lá. Se bem que isso é um caminho do teatro, não é o caminho. Não é que todo mundo deva fazer só esse tipo de teatro, porque o teatro é muito mais amplo do que isso.

:: O teatro muitas vezes atinge só pessoas de um nível cultural mais elevado, deixando de chegar ao povo. O que você pensa disso?
Paulo Autran – Há certos autores, bons autores, que são por seu próprio feitio pessoas intelectuais e intelectualizantes. Escrevem peças que só atingem um pequeno grupo de eleitos da inteligência e da cultura. Eu admiro estas peças, gosto muito de lê-las, mas não as monto, porque eu acho que o teatro só se justifica quando ele tem a participação da platéia. Só quando ele vai para a platéia e ela nos manda de volta a sua receptividade. Eu acho que o teatro deve atingir cada vez mais um número maior de pessoas e não se restringir a um pequeno círculo, seja de que elite for.

:: No Brasil há uma série de fatores econômicos e culturais que restringem demais o público, não?
Paulo Autran
– No Brasil, o povo só terá acesso ao teatro quando ele tiver o que comer, o que vestir, onde dormir e tiver aprendido a ler.

:: No atual movimento nacional para a redemocratização, qual está sendo o papel do teatro e a sua contribuição para o processo de volta ao Estado de Direito?
Paulo Autran
– O teatro teve uma participação muito grande nesta tentativa de redemocratização. O teatro foi, talvez, a primeira classe, como classe, a se manifestar pela redemocratização no Brasil, com espetáculos como “Opinião” e “Liberdade, Liberdade”. Foram os dois marcos iniciais da redemocratização, numa época bastante difícil para o nosso país. E o teatro jamais abdicou disso. Você veja, mesmo no ano passado e até nesse ano, há peças em cartaz que mostram claramente a necessidade que a classe tem de lutar para isso: “Gota d’água”, “Último Carro” e “Ponto de Partida”. A classe teatral está sempre atenta e sempre tentando denunciar e protestar contra o cerceamento da liberdade.

:: Por que é que demorou tanto a sair a regulamentação da profissão de ator? Há alguma razão do governo para isso?
Paulo Autran – Ninguém compreende realmente porque demorou tanto para sair esta regulamentação.

:: E é só aqui no Brasil?
Paulo Autran
– Não, há outros países subdesenvolvidos que enfrentam o mesmo problema.

:: Isto não faz parte de um contexto geral de desvalorização da cultura nestes países?
Paulo Autran
– Você tem razão. Mas a partir do momento em que a classe teatral representou um pedra no sapato, era muito mais fácil tê-la regulamentado anteriormente.

:: Quer dizer, existe um medo do governo no caso?
Paulo Autran – Tu o disseste.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Como diz o causo do outro

"Num mito, quanto mais se bate, mais ele cresce. Porque ao contrário do que essas vulgaridades pensam, um mito não é sinônimo de uma mentira. Um mito é uma história que explica porque estamos aqui e somos assim ou assado. Um mito remonta a enigmas que não conseguimos explicar. Então temos que narrar".

Este texto é do Flávio Aguiar, editor-chefe da Carta Maior. Está no artigo A sombra do Che, e fala de cinco razões para os arautos da direita brasileira detestarem a sombra de Ernesto Guevara. Publicado em 05/10/2007, o artigo é bom.

Mas penso no texto aqui citado por outras razões. Os mitos bíblicos. Um mito explica porque estamos aqui e somos o que somos. Mesmo quando não conseguimos ou queremos explicar, podemos narrar.

Quem ainda se lembra de meu post Gn 1-11 e a importância dos mitos, de 22 de setembro passado?

Pois é... Amanhã continuarei conversando com o Primeiro Ano de Teologia do CEARP, na aula de Pentateuco, sobre isso. Estamos estudando Gn 1-11.

O título do post?

Quando eu era menino pequeno lá em Minas, Juca Garcia, fazendeiro rico e estúrdio, homem sistemático, vizinho nosso, aparecia, de vez em quando, para uma visita nas tardes de domingo. E dizia para meu pai: "Compadre, como diz o causo do outro...", sendo o "outro" ele mesmo.

Um jeito de contar, uma sabedoria especial do sertão. Mitos. Mito.

Pedintes de temporada a suplicar bons ventos

Estamos na primavera?

"Com um calor deste tamanho e secura de Saara fica difícil acreditar.
O desconforto é grande para qualquer ser vivente, bichos e plantas.
Estamos pedintes de temporada a suplicar bons ventos".

A frase não é minha... É do William H. Stutz, em seu blog Mineira Passárgada, Uberlândia do Cerrado, publicada em 23 de setembro, no post Primavera, começo da estação.

Reproduzo estas três linhas pela beleza da frase e pelo acerto da situação.

Venho de Patos de Minas, em rumo incerto, um pouco para lá de Uberlândia.

Do lado de cá, Ribeirão Preto e região, com sol tinindo, sem uma gota de chuva desde não sei quando...

Visite o blog do uberlandense. Vale a pena. Conheça o cerrado mineiro.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Livro de Lester Grabbe sobre o Antigo Israel

Em The T&T Clark Blog está sendo anunciado hoje, 9 de outubro de 2007, o lançamento de um interessante livro de Lester L. Grabbe. Veja:

GRABBE, L. L. Ancient Israel: What Do We Know and How Do We Know It? London: T & T Clark, 2007, 328 p. - ISBN 9780567032546.

Veja meu post de 12 de agosto de 2007: Lester Grabbe: como escrever uma História de Israel?, onde falo do livro.

E veja o post da T&T Clark: Lester Grabbe's new book on Ancient Israel, de 9 de outubro de 2007, anunciando o lançamento da obra.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Che Guevara: 1928-1967

Há 40 anos foi executado Ernesto Che Guevara. Passadas quatro décadas de sua prisão e execução, permanece vivo o símbolo de alguém capaz de dar sua vida pela causa que defendia. Admirado por muitos e detestado por outros, ele é o tema de capa da IHU On-Line desta semana. Contribuem para o debate Tirso Saenz, Reginaldo Ustariz Arze, João Pedro Stédile, Peter McLaren e Luciana Ferreira de Matos. Confira na edição 239 – 08/10/2007.

Leia Mais:
Che Guevara: Bolivia, diario de lucha
Che Guevara: fotos
Che Guevara Internet Archive
Che Guevara: livros
Folha Online - Especial: 40 anos da morte de Che
Fotos mostram que Che Guevara foi assassinado, não morreu em confronto
O Che. Combatente e intelectual. Edição Especial de Caros Amigos. 5. ed. Outubro de 2007
Saiba mais sobre o revolucionário Ernesto Che Guevara

sábado, 6 de outubro de 2007

The old has gone, and the new has come

Barton’s task is a noble one and that is to secure the validity of critical study of the biblical texts at a time when it is regarded as passé or antiquated. If one wanted to defend this critical discipline from reproach then this is the book for doing so. Barton shows that biblical criticism is more robust and potentially more useful than what many of its critics realize. I still get the feeling though that Barton is trying to dress up a Dinosaur in a modern garb. Alas, the bridge to Modernity along with its strategies and aims for reading texts has been burned – and with some good reasons too – and the post-critical methods might be the way to overcome the defects and failures of biblical criticism. The days of Baur, Wellhausen, de Wette, Dibelius, Bultmann, and Barr are finished and are no more. It is now the age of Foucault, Derrida, Rorty, Fish, and Eco. In biblical interpretation, the old has gone and behold, the new has come. That said, readers of biblical texts need not wholly embrace the postmodern/post-critical turn nor attempt to reconstruct the shaken foundations of old school biblical criticism. What is needed is a realistic epistemology of how we know things from texts, a literary theory explaining how texts do things to readers, a hermeneutical explanation for how authors communicate through the signs/symbols of language, and a definition of history and historiography. The approaches that I have found the most fruitful in that regard are those of Anthony Thiselton, N.T. Wright, Kevin Vanhoozer, and especially Scot McKnight. I should also acknowledge the works of Markus Bockmuehl and Francis Watson who have shown the advantages of maintaining an ecclesial reading of Scripture in tandem with historical-critical investigation. (Michael F. Bird, em Book Review: The Nature of Biblical Criticism, Euangelion - September 30, 2007)

Obs.: sublinhados meus!

Leia:
McKNIGHT, S. Jesus Creed (blog)- Veja a lista de livros publicados pelo autor na coluna da direita.
THISELTON, A. C. New Horizons in Hermeneutics: The Theory and Practice of Transforming Biblical Reading. Grand Rapids, MI: Zondervan, 1997, 720 p. - ISBN 9780310217626.
VANHOOZER, K. J. Is There a Meaning in This Text? Grand Rapids, MI: Zondervan, 1998, 496 p. - ISBN 9780310211563.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Livro de Graciela Gestoso Singer online

The Centro de Estudios de Historia del Antiguo Oriente (CEHAO), Argentine Catholic University, is pleased to announce the publication of Volume 2 of its electronic Monograph Series.

SINGER, G. G. El Intercambio de Bienes entre Egipto y Asia Anterior: Desde el reinado de Tuthmosis III hasta el de Akhenaton. Buenos Aires: CEHAO, Universidad Católica Argentina, 2007, 244 p. - ISBN 9789872060633.

This volume is available at the website for free.

About Graciela Gestoso Singer.

Via ANE-2.

Obs.: já tive a oportunidade de trocar alguns e-mails com Graciela Gestoso Singer. É uma pessoa extraordinária!

Congresso Internacional de Assiriologia de 2008

O Qüinquagésimo Quarto Congresso Internacional de Assiriologia será realizado em Würzburg, Alemanha, de 21 a 25 de julho de 2008. O tema: Organization, Representation and Symbols of Power in the Ancient Near East.

Veja o programa, os participantes, as palestras na página do Congresso (em alemão, inglês e francês), que diz:
We are honored to invite you to Würzburg for the 54e Rencontre Assyriologique Internationale. The convention will take place July 21-25, 2008, in the facilities of the University of Würzburg. The Department for Ancient Near Eastern Studies of the Julius-Maximilians-Universität Würzburg is responsible for the coordination.

Aproveite e visite a Homepage do Rencontre Assyriologique Internationale - Congresso Internacional de Assiriologia -, que lista os congressos já realizados e futuros.

Via ANE-2.

Eric Cline e a arqueologia

Artigo e livro de Eric Cline repercutem.

Em Exploring Our Matrix, por exemplo, escreve James F. McGrath:

:: Lara Croft, Indiana Jones, and Eric Cline - October 1, 2007

:: Eric H. Cline - October 3, 2007

Francisco

Hoje, 4 de outubro: Francisco.

Uma boa leitura: IHU Online, edição 238 – 01/10/2007.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Se quisermos viver no Universo...

"Se queremos nos manter aqui por outros milhares de anos, se pretendemos explorar o espaço interestelar como nossos antepassados exploraram a Terra, temos de nos conscientizar da necessidade de uma nova ética, que transcenda nossas polarizações políticas, religiosas e raciais", diz Marcelo Gleiser, brasileiro, professor de física e astronomia do Dartmouth College, em Hanover, USA, que estará lançando, no próximo dia 15, o livro Micro Macro 2. Mais Reflexões Sobre o Homem, o Tempo e o Espaço. São Paulo: Publifolha, 2007, 240 p. - ISBN 9788574028194.

BibleWorld, da Equinox, oferece bons estudos

Passei parte da tarde analisando os futuros lançamentos de Bíblia da Equinox Publishing, de Londres. E fiquei impressionado com a coleção BibleWorld. Preste atenção nesta série que tem, até o momento, 29 obras publicadas e/ou programadas. Estudos que prometem.

Editada por Philip R. Davies e James Crossley, a coleção tem a seguinte proposta:
BibleWorld shares the fruits of modern (and postmodern) biblical scholarship not only among practitioners and students, but also with anyone interested in what academic study of the Bible means in the 21st century. It explores our ever-increasing knowledge and understanding of the social world that produced the biblical texts, but also analyses aspects of the bible's role in the history of our civilization and the many perspectives -- not just religious and theological, but also cultural, political and aesthetic -- which drive modern biblical scholarship.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Manuscritos do Mar Morto por uma pechincha

Os dois volumes, que custavam $139.00, estão sendo oferecidos pela Brill por $ 39.00 (preço válido até janeiro de 2008). Veja também a Eisenbrauns ($ 49.00), a Amazon.com e outras editoras e livrarias (digite o ISBN no Google...).

Claro que já estavam citados em minha bibliografia, mas este preço pode até trazê-los para mais perto...

GARCÍA MARTÍNEZ, F.; TIGCHELAAR, E. J. C. (ed.) The Dead Sea Scrolls Study Edition I-II. Leiden: Brill, 2000, vol I: xxiv + 628 p.; vol. II: v +734 p. - ISBN 9789004115477

A descrição da editora:
This is a practical reference tool to facilitate access to the Qumran collection of the Dead Sea Scrolls. It contains newly edited Hebrew and Aramaic transcriptions and English translations of the non-biblical scrolls on facing pages, arranged by serial number from Cave 1 to Cave 11. In addition, it offers a summary of the contents of the biblical scrolls from Qumran. Each Q-number is provided with a heading which contains the essential information on the text and selected bibliographical references. Although unidentified and unclassified fragments have been omitted, and no snippets of manuscripts have been reproduced, this edition aims to be complete for the non-biblical scrolls. The work is primarily intended for classroom use and for use by specialists from other disciplines who need a reliable compendium to all the materials found...

Biblical Studies Carnival XXII

Seleção dos melhores posts de setembro de 2007.

Feita por Tim Bulkeley em seu biblioblog SansBlogue.

E que, corajosamente, "enfrentou" posts em línguas outras que não o inglês, como reivindicado...