sábado, 15 de setembro de 2007

Quatro livros sobre Biblia que valem a leitura

Passei a tarde lendo resenhas de alguns livros sobre Antigo Testamento que me interessam, por suas temáticas e enfoques, de modo especial. Dois sobre Metodologia Bíblica, um sobre o Pentateuco e outro sobre História de Israel. Um de 2005, dois de 2006 e um de 2007.

:: ESLER, P. F. (ed.) Ancient Israel: The Old Testament in Its Social Context. Minneapolis: Fortress, 2005. xvii + 420 p. - ISBN 0800637674

O livro Antigo Israel: o Antigo Testamento em seu contexto social, organizado por Philip Francis Esler, e que trata da análise sócio-antropológica do Antigo Testamento, só recebeu elogios nas resenhas de Hallvard Hagelia, da Noruega, e de Patricia Dutcher-Walls, do Canadá.

Resultado de uma conferência realizada em 2004 na Universidade St. Andrews, na Escócia, o livro traz expressiva contribuição de vários autores para a área da metodologia bíblica. Eu já o mencionara em Leitura sócio-antropológica da Bíblia.

Resenhas de Hallvard Hagelia, da Ansgar School of Theology and Mission Kristiansand, Noruega, publicada pela RBL em 11 de junho de 2006, e de Patricia Dutcher-Walls, da Vancouver School of Theology, Vancouver, Canadá, publicada pelo Journal of Hebrew Scriptures, vol. 7, de 2007.


:: DOZEMAN, T. B; SCHMID, K. (eds.) A Farewell to the Yahwist? The Composition of the Pentateuch in Recent European Interpretation. Atlanta: Society of Biblical Literature, 2006, viii + 198 p. - ISBN 9781589831636

Este livro vem chamando a atenção de muita gente desde que foi publicado no ano passado. É coordenado por Thomas Dozeman e Konrad Schmid e trata do Pentateuco: Um adeus para o Javista? A composição do Pentateuco na interpretação européia recente. Dele já falei em setembro do ano passado, no post Mais uma vez o Javista se despede do Pentateuco. Mas para onde ele estaria indo? É bom dar uma olhada lá primeiro.

A resenha é de J. Harold Ellens, da University of Michigan-Ann Arbor, em Ann Arbor, Michigan, USA, publicada pela RBL em 25 de agosto de 2007, e também é elogiosa.

Parece que neste livro se avança um pouco na direção de um possível consenso, por enquanto inexistente, acerca de como e quando teria sido composto o Pentateuco. Na minha opinião, contudo, muita água ainda vai passar debaixo da ponte até que se chegue a algum acordo sobre o tema.


:: MOORE, M. Philosophy and Practice in Writing a History of Ancient Israel. London: T &T Clark, 2006, x + 205 p. - ISBN 9780567029812

A terceira obra da qual andei lendo uma resenha é uma tese escrita por Megan Moore sob a supervisão de John Hayes da Emory University, Atlanta, Georgia, USA, com o título de Filosofia e prática na escrita de uma História do Antigo Israel. É um livro que se propõe fazer uma avaliação dos pressupostos dos especialistas que se aventuram a escrever "Histórias de Israel".

E aí, naturalmente, entre outras coisas interessantes, não poderia faltar um balanço da escaramuça que vem acontecendo nos últimos anos entre os "minimalistas" e os "não-minimalistas", termos, já em si, controvertidos. E o uso das fontes, e até onde vai a credibilidade histórica dos textos bíblicos, e... haja controvérsia!

Ernst Axel Knauf, da Universidade de Berna, em Berna, na Suíça, que é do ramo, acha que a obra contribui para o debate na área e vê relevância neste tipo de balanço. A resenha, por ele assinada, foi publicada pela RBL em 1 de setembro de 2007.


:: DIAS DA SILVA, C. M. Leia a Bíblia como literatura. São Paulo: Loyola, 2007, 104 p. - ISBN 9788515033072

Finalmente, quero falar, mais uma vez, do livro do Cássio Murilo Dias da Silva, que acaba de ser lançado pela Loyola. Agradeço ao Cássio que me enviou um exemplar com bela dedicatória.

Por enquanto, li detalhadamente quatro dos sete capítulos e passei os olhos pelo restante do livro. Acredito que o livro, que é sobre metodologia bíblica, possa ser lido com proveito por alunos da graduação em Teologia, logo que tenham adquirido algumas noções de introdução à Bíblia e aos métodos de exegese bíblica.

Graficamente bem cuidado, atento à didática, mas com uma densidade bastante grande, rigoroso no tratamento do tema. Características do autor. Justificadamente diz Cássio na dedicatória, este livrinho tem o máximo de exegese em um um mínimo de páginas. Vou utilizá-lo em minha disciplina de Introdução à S. Escritura, que enfoca prioritariamente os métodos de leitura da Bíblia. Daqui a um ano saberei até onde funciona.

Os quadrinhos explicativos espalhados pelo texto - ah, e a caricatura do autor: comparem o enorme nariz com o minúsculo banquinho! - ajudam bastante. Servem como guia de leitura e podem ser usados para diminir a tensão da séria leitura! Valeu, Cássio. Alunos do Primeiro e Segundo Anos do CEARP mostraram grande interesse no livro. E um aluno do Quarto Ano acha que o livrinho pode ser mais uma ferramenta útil na preparação do exame De Universa Theologiae. Minha única reclamação, por enquanto, é que, ao citar exemplos da literatura brasileira, o autor ignorou Guimarães Rosa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário