terça-feira, 18 de setembro de 2007

Biblical Studies Carnival: considere 10 linguas!

Uma boa média, não acham? Inglês, alemão, francês, italiano, neerlandês, espanhol, português... o que mais sugerem?

Leiam Biblical studies and the English language no SansBlogue, de Tim Bulkeley, que é da Nova Zelândia, e que está encarregado do Carnaval dos Estudos Bíblicos deste mês. Ele está aceitando a sugestão de fazer um "Carnaval" que considere posts em outras línguas além do inglês.

E, depois, releiam meu post de 7 de outubro de 2006: Quantos idiomas deveria um biblista dominar?

Há também vários posts do Jim West sobre o "barreira" lingüística - línguas modernas - construída por determinados exegetas, na sua maioria, norte-americanos. Pior: mais do que atos isolados, verifica-se uma tendência. Leiam.

Para mim, está claro que este é um problema político, não de (im)possibilidade cultural. Por isso é tão localizado.

Sei disso por ter estudado em uma Universidade - a Gregoriana, de Roma - com colegas de 75 nacionalidades diferentes, por ter caído - como Obelix! - ainda muito jovem, no caldeirão de línguas que é o PIB, também em Roma, por ter vivido em outros países europeus, como a Alemanha, morando com famílias alemãs... Isso ao longo de 6 anos.

E mais: por ter estudado, ainda nos cursos ginasial e científico (terminologia e realidade da época, hoje extintas), aqui no Brasil, 5 línguas... português, inglês, francês, latim e grego clássico no Colégio Marista e nos Seminários de Patos de Minas e de Diamantina, MG.

Enfim: quando se fala de Estudos Bíblicos, o estudioso só tem a ganhar com o pluralismo lingüístico. Minha opinião.

Um comentário:

Victor disse...

Realmente, es necesario conocer otros idiomas. Grcias al internet y a mi interés en la Biblia, he conseguido mucha información. Generalmente solo puede comprender y leer inglés; además es de gran ayuda que daneses como Lemche y holandeses como Wesselius escriban en inglés. Felicidades!

Postar um comentário