quinta-feira, 19 de julho de 2007

Religião e formação de classes na antiga Judéia 2

Leia:
>> Introdução
>> Capítulo 1: Solidariedade e formação de classes à luz da etnologia

2. O sistema judaico de parentesco

:: Subdivisão da Judéia em grupos de parentesco
2.1. O resultado das pesquisas de J. P. WEINBERG (1983) sobre a comunidade pós-exílica é o seguinte:
. Há duas versões da lista de repatriados do exílio babilônico: Esd 2,1-70 e Ne 7,6-72a.

. A lista é composta de três partes:
- registro da posição das pessoas
- relação das doações destinadas ao Templo
- relatório sobre a região onde moravam os repatriados

. A lista divide os repatriados nos seguintes grupos:
- israelitas
- sacerdotes
- levitas
- cantores
- porteiros
- escravos do Templo
- filhos dos escravos de Salomão

. Estes grupos são ainda subdivididos em:
- os que descendem do mesmo patriarca
- os que pertencem a determinada localidade (e também uma distinção entre judeus e benjaminitas)

:: O tipo de mishpâhâ israelita
2.2. E. MEYER (Die Entstehung des Judentums, 1896) afirma que a mishpâhâ tem importância social e política e que surge pela ligação de numerosas famílias entre si, sob a ficção de terem os mesmos antepassados e o mesmo sangue.

2.3. O que é a mishpâhâ?
. é um grupo de descendência patrilinear
. confere direitos corporativos de propriedade da terra
. é unidade de convocação do exército ('elef = milhares...)
. caracteriza-se pela residência comum (mesmo local) de seus membros
. onde o direito de posse é transmitido por herança (nahalâ)
. é formada de bêt 'abôt, famílias ampliadas
. seus membros têm responsabilidade mútua (levirato, ge’ulla...)
. tem regras específicas de casamento (preferência pelo casamento entre primos patrilineares, dote... )
. é a responsável pelas festas cultuais e pela memória coletiva
. integra uma tribo

2.4. R. PATAI (Sitte und Sippe in Bibel und Orient, 1962) confirma a presença de 6 traços fundamentais da mishpâhâ israelita só encontráveis em sociedades do Oriente Médio. A família bíblica é:
. endógama: casam-se com parentes
. patrilinear: descendência pai-filho
. patriarcal: poder do pai
. patrilocal: a mulher vai para a casa do marido
. ampliada: reúne os parentes próximos todos no grupo
. polígena: tem muitas pessoas

2.5. A característica básica é o casamento patrilinear entre primos primeiros. É o parentesco agnático (= relacionamento dos varões dentro do parentesco consangüíneo), que aparece:
. na transferência da posse da terra
. no levirato
. na ge'ulla (resgate da terra).

> A casa e o clã unem-se através da relação agnática de parentesco, implicando reciprocidade e comportamento solidário.

:: Exposição da concepção de clã no livro de Rute
2.6. Exposição do enredo do livro...

2.7. Conclusões:
. A venda da terra (terra classificada como nahalâ, herança, posse) é limitada pela prerrogativa dos agnatos. Acima do princípio de troca está o do parentesco.

. O levirato é prática importante.

. A eficácia do resgate e do levirato é fundada na hesed, que significa a solidariedade, a confirmação de uma relação comunitária. Esta solidariedade, na concepção clânica, reduz-se ao grupos de parentes agnáticos.

:: Resgate de posse familiar na Judéia e na Ática
2.8. Através do direito de ge'ullâ (= resgate da terra) eram negociadas na Judéia, legitimamente, as terras. A venda da terra ao parente que tinha o direito de compra podia proteger o proprietário empobrecido de pagar tributos e impostos a estrangeiros. Podia protegê-lo de cair na escravidão por dívida e até mesmo de ser vendido como escravo a estrangeiros. Mas o colocava na dependência do parente mais rico dentro do clã.

2.9. A prásis epí lýsei grega...

2.10. Comparação entre a norma grega e a judaica...

:: Elementos de desigualdade no clã judaico
2.11. Assim, havia dentro das famílias dos mishpâhôt, e também entre os mishpâhôt, diferenças consideráveis.

2.12. No pós-exílio parece que a família adquiriu importância em relação ao clã e cuidou de seus interesses independentemente do clã...

2.13. Dentro dos clãs e entre eles havia hierarquia. Como diz G. BORKAMM (1959): se antigamente os zeqênîm (anciãos) tinham autoridade graças à posição que ocupavam nas grandes famílias (clãs) e nas tribos, agora ela se baseia na posição especial que sua família possui no meio do povo...

2.14. O cargo de preposto (= delegado, representante) era ligado à primogenitura, criando desigualdade dentro do clã entre os irmãos mais velhos e os mais novos. O preposto ia morar em Jerusalém e participava da administração. Esta hierarquia tornou-se o fundamento da administração persa, que, pressupondo a desigualdade social no sistema de parentesco judaico, a reforçou.

2.15. A função econômica dos prepostos de família...

:: Resumo
2.16. Três dados fundamentais:
. A estrutura de parentesco determinava a reprodução das famílias e as relações sociais dentro da família
. A estrutura de parentesco unia as famílias em uma hierarquia baseada nas prerrogativas dos irmãos mais velhos sobre os mais novos, mas criava laços de solidariedade entre eles (como no caso da escravidão e da venda da terra)
. A terra podia ser negociada entre parentes, mas não com estranhos ao círculo de parentesco. Este princípio levou ao acúmulo de terras pelas famílias mais ricas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário