sábado, 7 de julho de 2007

Avalos publica livro contra os estudos bíblicos

Hector Avalos, Professor de Estudos Religiosos na Iowa State University, acaba de lançar polêmico livro no qual denuncia a inutilidade dos estudos bíblicos do modo como vêm sendo feitos hoje e defende o seu fim.

Quem estiver interessado neste debate, poderá ler o artigo de Avalos publicado pelo SBL Forum no ano passado, The Ideology of the Society of Biblical Literature and the Demise of an Academic Profession.

Poderá acompanhar a forte reação que se seguiu em Letters in Response to Avalos. E fazer uma busca por "Hector Avalos" nos biblioblogs, usando o Google Blog Search, por exemplo, para ver as muitas discussões que ocuparam os biblistas nos meses seguintes.

O livro, publicado agora em julho de 2007, é:

AVALOS, H. The End of Biblical Studies. Amherst, New York: Prometheus Books, 2007, 399 p. ISBN 978-1591025368

Na página da editora se lê (clique em Quick Search > Biblical Criticism):
In this radical critique of his own academic specialty, biblical scholar Hector Avalos calls for an end to biblical studies as we know them. He outlines two main arguments for this surprising conclusion. First, academic biblical scholarship has clearly succeeded in showing that the ancient civilization that produced the Bible held beliefs about the origin, nature, and purpose of the world and humanity that are fundamentally opposed to the views of modern society. The Bible is thus largely irrelevant to the needs and concerns of contemporary human beings. Second, Avalos criticizes his colleagues for applying a variety of flawed and specious techniques aimed at maintaining the illusion that the Bible is still relevant in today’s world. In effect, he accuses his profession of being more concerned about its self-preservation than about giving an honest account of its own findings to the general public and faith communities.

Dividing his study into two parts, Avalos first examines the principal subdisciplines of biblical studies (textual criticism, archaeology, historical criticism, literary criticism, biblical theology, and translations) in order to show how these fields are still influenced by religiously motivated agendas despite claims to independence from religious premises. In the second part, he focuses on the infrastructure that supports academic biblical studies to maintain the value of the profession and the Bible. This infrastructure includes academia (public and private universities and colleges), churches, the media-publishing complex, and professional organizations such as the Society of Biblical Literature.

In a controversial conclusion, Avalos argues that our world is best served by leaving the Bible as a relic of an ancient civilization instead of the “living” document most religionist scholars believe it should be. He urges his colleagues to concentrate on educating the broader society to recognize the irrelevance and even violent effects of the Bible in modern life.

Em 11 de julho de 2006 mencionei o assunto no post When did exegetes lose interest in theology? Leia este post novamente e veja minha posição sobre o assunto.

5 comentários:

Dr. Hector Avalos disse...

Dr. Da Silva, Muchisimas gracias por anunciar
mi libro. Espero tener buenas discusiones
en los meses siguientes.

airtonjo disse...

Dr Avalos,
Somos nós, leitores, que agradecemos sua importante contribuição para o debate acadêmico na área dos estudos bíblicos. Desejo-lhe muito sucesso com o livro e espero que o colóquio na mailing list "Biblical Studies" seja amplo e proveitoso!

alexandre roberto disse...

Acredito na existencia do criador do universo independentemente de a biblia ser sua palavra ou não (Não sei se os que atacam a bíblia são autenticos)dizem que não é Deus que fabrica os elementos quimicos mas as estrelas, isso é como dizer que não é o homem que fabrica o pão mas os fornos. Eu entendo que as estrelas são os fornos de Deus para fabricar os componentes dos planetas. Eu acredito na evolução teista em biologia e penso que o mau existe porque o universo não está acabado mas em processo de criação ainda.

informadordeopiniao disse...

Avalos é apenas mais um que sofre com a "síndrome do zaratustra nietzcheniano", que de repente diz que desceu da montanha pra acabar com as "ilusões humanas".
Engrossa o coro dos neoateístas chiliquentos, como Dawkins, Hitchens, etc., que tentam convencer o mundo de que só eles são cultos e os criticados não o são, mantendo uma mentalidade caricata dos positivistas panfletários do final do séc.XIX. E contam com a complacência do pessoal dentro da teologia com "complexo de cinderela".

Como todos eles, ele conseguirá fazer barulho mas não afetará nada dentro do campo de discussão mais sóbrio.

Emerson disse...

Avalos não trouxe nada mais no cenário do que os eruditos já não refutaram antes. Sua alegação sobre Lucas 14,26 é patética e já estou refutando o livro dele no Logos - www.logosapologetica.com Sigam o site.

Postar um comentário