segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Arqueologia da Palestina e sistema de crenças

Ontem, Duane Smith comentou o post de Christopher O'Brien em A Note on an Abnormal Interest, com fortes elogios a este arqueólogo que ousa desafiar as "certezas" de determinados grupos.

Chamo a atenção dos interessados no debate sobre a arqueologia da Palestina e a História de Israel para as suas considerações. Tem muita gente precisando parar e refletir sobre o que ele diz.

No seu post, ele procura classificar e explicar a postura das pessoas quando confrontadas com os resultados da arqueologia da Síria-Palestina.

Ele reflete sobre algo muito sério: há arqueólogos que tratam o assunto com profissionalismo e há um pequeno grupo de pessoas que, embora leigas no assunto, têm uma visão esclarecida sobre a arqueologia e seus resultados. Mas a maior parte das pessoas - talvez por não terem uma visão mais ampla do mundo do Antigo Oriente Médio e da história da pesquisa na região - falam do assunto com outras perspectivas, visões, objetivos. E é isso: apenas "falam". Falam muito mais para confirmar a si mesmas - na verdade, seu sistema de crenças - do que para entender o tema. São pessoas com vista curta e boca grande. Em bom português: não enxergam além do próprio nariz. Como poderão entender a perspectiva da pesquisa científica?

Em certo ponto ele diz que
Myriads of folks who deeply desire that the conclusions of the archaeologists support either their religious or their political perspectives, sometimes both, make up the larger of the other two groups. Perhaps they need to have their religious or political beliefs confirmed; perhaps they hope that archaeology will provide a "scientific" basis for evangelism. Perhaps they fear the loss of faith in themselves or others if archaeology does not support their beliefs. Many identify this group with Biblical fundamentalism and while it includes most fundamentalists, it is in reality much larger than that. One of the hallmarks of this group is their almost universal failure to acknowledge controversy among experts and to suppress or more commonly massage evidence that is not supporting of their position.

Duane Smith está dizendo que há milhares de pessoas que desejam ardentemente que as conclusões dos arqueólogos ofereçam suporte para suas visões religiosas ou políticas, ou para as duas simultaneamente. Talvez essas pessoas tenham necessidade de ver suas crenças religiosas ou políticas confirmadas, talvez elas acreditem que a arqueologia possa oferecer uma base 'científica' para seu evangelismo, ou ainda, talvez elas tenham medo de perder a fé em si mesmas ou nos outros se a arqueologia não confirmar suas crenças... Muitos identificam este grupo com os fundamentalistas bíblicos, mas, além de incluir muitos fundamentalistas, na verdade, ele é muito maior (cont.)

Ou:
I will note that classical archaeologists occasionally debate their finding and their hypotheses in strong and sometimes derisive tones. But in general, none of them thinks their immortal soul or anyone else's depends on the outcome of these debates. Their honor or prestige may be on the line but not their religious beliefs. It is on the issue of religious belief that much of the talk, but little of the real archaeology, rests.

Quer dizer: os arqueólogos profissionais, quando se confrontam, debatem seus achados e suas hipóteses de maneira bastante dura. Mas, em geral, nenhum deles acredita que a salvação de sua alma dependa do resultado de seus debates. Sua honra e prestígio podem estar em jogo, não suas crenças religiosas. Mas é no campo das crenças religiosas que muito se bate boca, deixando a verdadeira arqueologia de fora, reflete Duane Smith.

Leia mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário