domingo, 31 de dezembro de 2006

Feliz 2007!

Aam Saiid/Sana Saiida!
Akemashite Omedeto!
Bonne Année!
Buon Anno!
Ein Gutes Neues Jahr!
Felicxan Novan Jaron!
Felix Sit Annus Novus!
Feliz Ano Novo!
Feliz Año Nuevo!
Gelukkig Nieuwjaar!
Gelukkige Nuwejaar!
Godt nytår!
Happy New Year!
Kali Chronia!
Rogüerohory Año Nuévo-re!
S Novim Godom!
Shana Tova!
Xin Nien Kuai Le!

Frase do dia - 31.12.2006

Ist das Leben nicht ein verteufelt gefärhrliches Geschäft?

Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas, na tradução alemã, p. 37.

sábado, 30 de dezembro de 2006

A morte de Saddam Hussein

Saddam Hussein foi enforcado por volta de 1h deste sábado - horário de Brasília - em Bagdá... A execução de Saddam despertou reações por todo lado... Justiça ou vingança?


Reações aqui.

Frase do dia - 30.12.2006

Es sind zwei oder drei Judasse. Sie sind die Judasse: das soll fortan ihr Name sein! Nun können wir Hallelujah rufen! Fleisch in den Topf, Mehl in den Kropf!

Inspirado em Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas, na versão alemã, p. 87.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Kloppenborg e a parabola dos meeiros da vinha

Kloppenborg, J. S. The Tenants in the Vineyard: Ideology, Economics, and Agrarian Conflict in Jewish Palestine. Tübingen: Mohr Siebeck, 2006, xxix + 651 p. ISBN 3-16-148908-X

Minha dissertação de Mestrado foi sobre uma parábola, a de Mt 25,1-13, a Parábola das Dez Virgens, sob orientação de Ugo Vanni. Desde a década de 90 nunca mais estudei as parábolas, por estar me dedicando somente à Bíblia Hebraica, e hoje nem sei qual é a orientação dominante dos estudos da área. Estudei muito, na época, na linha de Joachim Jeremias, e também tive a oportunidade de ser aluno de Jacques Dupont.

Agora, me deparo com o livro de John S. Kloppenborg, o grande especialista em Quelle, professor da Universidade de Toronto, Canadá, que escreveu, neste ano um livro de 651 páginas sobre a Parábola dos Vinhateiros, em Mc 12,1-12 e Evangelho de Tomé 65.

O título do livro é: Os Meeiros da Vinha: ideologia, economia e conflito agrário na Palestina judaica.

O autor diz que o conflito que a parábola descreve não era incomum na época, e ele a situa de maneira sólida no contexto das práticas da viticultura antiga. Mas o mais interessante é que Kloppenborg mostra que esta parábola, que foi contada por Jesus contra a elite dominante da época, acabou sendo lida, pela exegese e pela pregação, como sustentação do status quo.

Veja a descrição do livro na página da editora Mohr Siebeck:
John S. Kloppenborg gives a detailed analysis of one of the most difficult of Jesus' parables, the parable of the Tenants (Mark 12:1-12; Gospel of Thomas 65). He examines the ways in which Christians have typically read and mis-read the parable, and places the parable firmly in the context of the practices of ancient viticulture. The author models a new approach to the interpretation of the parables of Jesus. First, he critically engages the history of interpretation of the text, inquiring into the ideological interests that the parable has engaged during the history of its use in Christian churches and in political discourse. Second, he reconstructs the social world in which the parable was first told, in particular the economic, social, and legal aspects of ancient viticulture. He demonstrates that the parable of the Tenants has mostly been interpreted from the standpoint of those who wield social and political power, a strange irony considering the social status of the Jesus of history and the literary uses of the parable. All of the features common to the parable as it is told by Mark and the Gospel of Thomas make it a perfectly realistic story. It is only Mark's editing of the story that takes it beyond the realistic idiom characteristic of Jesus' other parables. The book concludes with a dossier of 58 papyrus documents relating to various aspects of viticulture and agrarian conflict.

Veja o sumário da obra aqui, colocando o nome do autor ou da obra na caixa de busca.

As muitas publicações de John S. Kloppenborg podem ser vistas aqui.

Quem é John S. Kloppenborg?
Born 1951; M.A. and Ph.D. at the University of St. Michael's College; Professor and Associate Chair of the Department for the Study of Religion, University of Toronto, Canada. John S. Kloppenborg is a specialist in Christian origins and second Temple Judaism, in particular the Jesus tradition (the canonical and non canonical gospels), and the social world of the early Jesus movement in Jewish Palestine and in the cities of the eastern Empire. He was written extensively on the Synoptic Sayings Gospel (Q) and the Synoptic Problem, and is currently writing on the parables of Jesus, the letter of James, and cultic, professional, and ethnic associations in the Graeco-Roman world. He has taught and conducted research in Toronto, Windsor, Jerusalem, Cambridge, UK, Calgary, Helsinki, and Claremont, Calif. Is one of the general editors of the International Q Project.

O enforcamento de Saddam Hussein

Saddam será enforcado ao amanhecer no Iraque

Brasil critica condenação à morte de Saddam Hussein

Confessione on line in Italia: una bufala

Veja esta notícia, na Folha Online: 28/12/2006 - 10h41

Igreja discute confissão on-line com perdão por e-mail


Janaína Leite - da Folha de S.Paulo, em Roma

Confissão pela internet vale? Quem consentiu a própria eutanásia tem direito a um funeral cristão? Figurinha é assunto para exorcista? Mais do que exercícios de provocação ética e teológica, tais perguntas refletem o espírito de inquietude que tomou conta da Igreja Católica italiana no Natal de 2006 e prometem esquentar nos próximos meses as discussões (cont.)

Depois visite Passi nel deserto. E, finalmente, faça uma visita a Preti on-line.

Frase do dia - 29.12.2006

Estava desmanchada a primeira armadilha. Mas virão outras; a maldade não desanima.

Benedicto Valladares, político mineiro, em Tempos Idos e Vividos: Memórias.

Uma resenha de VALLADARES, B. Tempos Idos e Vividos: Memórias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966, pode ser lida aqui.

A frase foi lida em um dos posts Nos Tempos do Bené, em Almanaque Mineiro, de Lusitano.


* A idéia de uma frase do dia nasce da necessidade de transmitir aquilo que estou lendo nos livros, revistas, Internet naquele dia, na véspera, naqueles dias, e que expressa o que estou pensando ou vivendo no momento. E que possa levar meus eventuais visitantes à reflexão.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Singular aventura de Tutankamon

Folha Online: 27/12/2006 - 15h09

Tumba de Tutancâmon pode ir para futuro cassino em Londres

Frase do dia - 28.12.2006

Mein Geheimnis war aus Stein.

Frase inspirada em Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, na tradução alemã da obra.

ROSA, J. G. Grande Sertão. Roman. Aus dem brasilianischen Portugiesisch von Curt Meyer-Clason. Köln: Verlag Kiepenheuer & Witsch, 1964, 1987, p. 33. ISBN 3-462-01809-4

segunda-feira, 25 de dezembro de 2006

Meu presente de Natal: Grande Sertão: Veredas

Ganhei um incrível presente de Natal: o exemplar de número 02.724 da tiragem limitada de 10.000 cópias da edição comemorativa dos 50 anos de Grande Sertão: Veredas acompanhada do catálogo da mostra concebida por Bia Lessa em exposição no Museu da Língua Portuguesa durante o ano de 2006 e de um CD multimídia, com imagens e sons do sertão descrito por Guimarães Rosa.

Presente da Mária Gláucia. Requintado presente. Obrigado, amiga!


O que se segue é o poema que Carlos Drummond de Andrade escreveu em 22/11/1967 em homenagem a Guimarães Rosa, por ocasião de sua morte ocorrida em 19/11/1967.

Um chamado João

João era fabulista?
fabuloso?
fábula?
Sertão místico disparando
no exílio da linguagem comum?

Projetava na gravatinha
a quinta face das coisas,
inenarrável narrada?
Um estranho chamado João
para disfarçar, para farçar
o que não ousamos compreender?
Tinha pastos, buritis plantados
no apartamento?
no peito?
Vegetal ele era ou passarinho
sob a robusta ossatura com pinta
de boi risonho?

Era um teatro
e todos os artistas
no mesmo papel,
ciranda multívoca?
João era tudo?
tudo escondido, florindo
como flor é flor, mesmo não semeada?
Mapa com acidentes
deslizando para fora, falando?
Guardava rios no bolso,
cada qual com a cor de suas águas?
sem misturar, sem conflitar?
E de cada gota redigia
nome, curva, fim,
e no destinado geral
seu fado era saber
para contar sem desnudar
o que não deve ser desnudado
e por isso se veste de véus novos?

Mágico sem apetrechos,
civilmente mágico, apelador
de precipites prodígios acudindo
a chamado geral?
Embaixador do reino
que há por trás dos reinos,
dos poderes, das
supostas fórmulas
de abracadabra, sésamo?
Reino cercado
não de muros, chaves, códigos,
mas o reino-reino?
Por que João sorria
se lhe perguntavam
que mistério é esse?

E propondo desenhos figurava
menos a resposta que
outra questão ao perguntante?
Tinha parte com... (não sei
o nome) ou ele mesmo era
a parte de gente
servindo de ponte
entre o sub e o sobre
que se arcabuzeiam
de antes do princípio,
que se entrelaçam
para melhor guerra,
para maior festa?

Ficamos sem saber o que era João
e se João existiu
de se pegar.


Carlos Drummond de Andrade, Versiprosa. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1967.
Carlos Drummond de Andrade, Poesia Completa. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002. ISBN 8521000626

domingo, 24 de dezembro de 2006

Livro do Curso de Verao 2007

Se você já viu o programa do Curso do Verão 2007, veja também na Paulus o livro de José Oscar Beozzo.



Com muito ânimo e esperança, o Curso de Verão 2007 insere-se na preocupação, cada vez mais difundida, com o meio ambiente e com o esforço de enfrentar as questões a ele conexas dentro da sociedade e das igrejas, a partir da perspectiva dos movimentos populares e das comunidades.

Nascimento de Jesus e visita dos Magos

Está na hora de se ler A Visita dos Magos: Mt 2,1-12, texto que escrevi na Ayrton's Biblical Page em 2002.

Entre os temas tratados, com indicação de ampla bibliografia, estão:
. O método de leitura a ser usado
. O sentido de Mt 1-2
. Herodes Magno
. A data do nascimento de Jesus
. Jesus nasceu em Belém ou em Nazaré?
. Quem são os Magos e que papel exercem em Mateus?
. As várias hipóteses sobre a estrela de Belém

sábado, 23 de dezembro de 2006

Por que se celebra o Natal em 25 de dezembro?

Veja as possíveis razões na opinião de James Tabor, Professor na University of North Carolina at Charlotte, em seu blog The Jesus Dinasty, no post The Surprising Meaning of Christmas: Some Historical Perspectives.

Quem é James Tabor? Veja sua biografia aqui.

Outro texto interessante que discute o assunto é um livro de VERMES, G. The Nativity: History and Legend. London: Penguin Books, 2006, 192 p. - ISBN 038552241X.

Jim Davila, em seu PaleoJudaica, tem links para resenhas deste livro aqui.

Quem é Geza Vermes? Veja sua biografia aqui.

Citizendium, Scholarpedia, Wikipedia

Folha Online: 23/12/2006 - 10h45

Novas enciclopédias virtuais ameaçam o reinado da Wikipédia
O sucesso da enciclopédia virtual Wikipédia, em que qualquer pessoa pode introduzir ou modificar artigos, está ameaçado pela aparição de novas iniciativas como a Citizendium e a Scholarpedia, que visam oferecer informação com maior confiabilidade e seriedade. Mas destronar a gigante Wikipédia não é fácil: em apenas três anos e meio de vida, o site conseguiu acumular um milhão de artigos em 50 idiomas, com a colaboração de 10 mil editores. Nos últimos meses, projetos que enfatizam a busca de comprovação de cada um dos artigos ganharam espaço na web (cont.)

Veja:
Citizendium
Citizendium Blog
Citizendium FAQ
Scholarpedia
Wikipedia
Wikipédia

sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Lemche oferece curso sobre Jeremias

Niels Peter Lemche está oferecendo, de fevereiro a maio de 2007, um curso à distância sobre o profeta Jeremias. Em língua inglesa.

Veja mais informações na página da Faculdade de Teologia da Universidade de Copenhague (em dinamarquês).

Arqueologia: as 10 maiores descobertas de 2006

Veja quais são as Top 10 Discoveries of 2006, na opinião da revista Archaeology, do Archaeological Institute of America.

A mais importante descoberta é egípcia, a décima é brasileira. Do mundo bíblico, nenhuma.

Mark Goodacre resenha o filme The Nativity Story

O filme Jesus - A História do Nascimento, da diretora Catherine Hardwicke, que chegou aos cinemas no dia 01/12/2006, foi resenhado pelo especialista em Novo Testamento Mark Goodacre no Forum da SBL. Mark Goodacre já escrevera sobre o filme em seu NT Gateway Weblog, mas esta resenha é mais completa. Leia "The Nativity Story": A Review.

Veja também o site do filme.


Ficha Técnica
País de origem: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Catherine Hardwicke
Elenco: Alexander Siddig (Anjo Gabriel), Ciarán Hinds (Rei Herodes), Eriq Ebouaney (Baltasar), Hiam Abbass (Ana), Keisha Castle-Hughes (Maria), Nadim Sawalha (Melquior), Oscar Isaac (José), Shaun Toub (Joaquim), Shohreh Aghdashloo (Elizabeth), Stanley Townsend (Zacarias), Stefan Kalipha (Gaspar)
Fotografia: Elliot Davis Montagem: Robert K. Lambert, Stuart Levy (II)
Roteiro: Mike Rich Trilha Sonora: Mychael Danna
Estréia (Brasil): 01/12/2006
Estréia (original): 01/12/2006

quarta-feira, 20 de dezembro de 2006

Ecologia: cuidar da vida e integridade da criação

Curso de Verão de 2007 - Ano XX

Ecologia: cuidar da vida e integridade da criação

Data: 08 a 20/01/2007

Local: São Paulo, SP

As informações abaixo são do site do CESEP.

Apresentação
O Curso de Verão é um programa de formação popular a partir das questões de hoje, à luz da Bíblia, Teologia, Pastoral e da militância cristã na sociedade. É espaço ecumênico de convivência, partilha, troca de experiências, celebração e compromisso. Acolhe participantes de distintas igrejas e comunidades, na busca da unidade entre os cristãos e do diálogo mais amplo entre mulheres e homens comprometidos nas lutas pela justiça e a solidariedade. Em 2007, festejamos 20 anos do Curso, mantendo a mística de um grande mutirão, em que pessoas, famílias, comunidades, movimentos populares e instituições educativas e religiosas colocam-se, a serviço de sua realização, preparando-o ao longo de todo o ano. O curso de verão é massivo, para um grande número de participantes, mas preocupado com que cada um encontre seu espaço em grupos menores e no encontro pessoal, dentro da metodologia da Educação Popular. Seu âmbito é nacional, possibilitando uma rica troca de experiências entre pessoas de todos os Estados do Brasil e mesmo de alguns países da América Latina, do Caribe, da África e da Europa.

Destinatárias/os
Jovens e pessoas comprometidas com trabalhos pastorais, comunitários e com os movimentos populares e suas causas.

Conteúdo e Assessoras/es
. Meio Ambiente: mapeando a situação, problemas e desafios
Adriana Ramos - Instituto Sócio-Ambiental – ISA – Brasília, DF.

. Políticas públicas para o Meio Ambiente
Tilden Santiago – Ex-secretário do Meio Ambiente do Governo de Minas Gerais e Embaixador do Brasil em Cuba.

. Movimentos Populares e Meio Ambiente
Dirceu Benincá (coord.) – Mestre em Ciências Sociais – PUC-SP.

. Bíblia e Criação
Ivoni Reimer – Biblista da IECLB e professora da Universidade Católica de Goiânia, GO.

. Ecologia: Teologia e Espiritualidade
Leonardo Boff - Teólogo e Escritor. Professor emérito da UFRJ, Petrópolis, RJ.

. CF 2007: “Fraternidade e Amazônia”
Jean Hébette – Professor e Pesquisador da Universidade Federal do Pará, Belém, PA.


Leia mais sobre o Curso de Verão no site do CESEP, Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular. Todos os Cursos realizados pelo CESEP são em horário integral e têm como sede a cidade de São Paulo, SP.

O CESEP é um centro de formação popular, ecumênico e Latino-americano, fundado em 1982, com o objetivo de prestar serviços às diferentes Igrejas cristãs, na América Latina e no Caribe, em seus trabalhos pastorais e de promoção humana.

Diretoria para o triênio 2007-2009:
- Presidente: Pe. Benedito Ferraro, professor de Teologia da FTCR da PUC-Campinas - ICR
- Vice-presidente: Revdo. Cláudio de Oliveira Ribeiro, professor da UMESP, pastor - Igreja Metodista
- Tesoureira: Ir. Maria Eunice Wolff, religiosa das Filhas de Maria Auxiliadora – ICR
- Secretário: Wagner Lopes Sanchez, professor da PUC-SP e das Faculdades São Luiz – ICR.

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Grita geral bloqueia reajuste absurdo dos ganhos dos parlamentares

Por enquanto!

Será que é preciso dizer alguma coisa? Só se for citando os profetas, como Amós, Oséias, Isaías, Jeremias, Ezequiel...

No distante século VI a.C., já dizia Ezequiel: "Ai dos pastores (...) que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar o seu rebanho?" (Ez 34,2), referindo-se aos líderes de Judá que, por seu criminoso governo, fizeram com que o povo perdesse tudo e fosse levado ao exílio babilônico.

Ou Guimarães Rosa, mais próximo, na década de 50 do século XX, em Grande Sertão: Veredas: "Chefe não era para arrecadar vantagens, mas para emendar o defeituoso", falando do ofício de liderar jagunços nos Gerais de Minas.

Pois é: o salário de R$ 24,5 mil equivale a 70 mínimos, sendo o maior desde a implantação do Plano Real em 1994.

Leonardo Boff escreveu no dia 16.12.2006, em artigo indicado abaixo: "O Parlamento não é apenas instância delegada do poder popular, nem gerenciamento técnico das questões do bem comum. Ele é principalmente instância ética. Representa valores da cidadania, da transparência no cuidado da coisa pública. Nós cidadãos temos o direito de esperar que nossos representantes vivam esses valores e não os neguem por suas práticas sem 'vergonha'".

E, por incrível que pareça, veja o que diz a Folha Online no dia 17.12.2006, na reportagem Em 90, salários dos congressistas eram de quase R$ 61 mil, apontada em link abaixo:
"O salário de R$ 24,5 mil fixado na semana passada pelos atuais deputados e senadores não é o maior valor pago desde a redemocratização. Em março de 1990, logo após a aprovação da Constituição, os congressistas chegaram a ganhar R$ 60,8 mil, em valores já atualizados - 148% a mais do que será pago a partir de fevereiro de 2007. O menor contracheque de deputados e senadores é de setembro de 1987, quando eles receberam R$ 3.237 (sempre em valores atualizados) - ou o equivalente a 13,1 salários mínimos da época -, e que representa apenas 13% do valor aprovado pela atual Legislatura. Todos os valores foram corrigidos pelo IPCA.A comparação com os reajustes desde a redemocratização, em 1985, mostra que de 1988 a 1990 os congressistas receberam os mais altos salários. Em outubro de 1988, mês da promulgação da Constituição, foi registrado o primeiro grande salto - os vencimentos passaram de R$ 4.637 para R$ 33.509. Em março de 1990, os salários chegaram a R$ 60.849, o valor mais alto até hoje".

Por isso, deixo anotados aqui alguns links que poderão se mostrar úteis nestas e em futuras circunstâncias. Aproveite e guarde, porque algo me diz que teremos logo, logo, de "esgoelar" novamente, pois legislar em causa própria é, como um deputado disse, defendendo o incrível reajuste, apenas uma "tradição" que não pode ser interrompida.

Câmara e Senado fecham acordo para elevar salários para R$ 24.500 - Folha Online: 14/12/2006 - 14h26

Alguém aprendeu algo com a crise política? - Marco Aurélio Weissheimer - Agência Carta Maior: 14/12/2006

Reajuste salarial de 91% no Congresso revolta o país; veja e-mails de leitores - Folha Online: 15/12/2006 - 14h59

Parlamentares desavergonhados - Leonardo Boff - CEBI: 16 de dezembro de 2006 - 18h09min

Em 90, salários dos congressistas eram de quase R$ 61 mil - Folha Online: 17/12/2006 - 09h29

Parlamentares recorrem à Justiça contra reajuste de 91% nos salários - Folha Online: 18/12/2006 - 13h18

Apesar da pressão, Aldo diz que decisão sobre salários será mantida - Folha Online: 18/12/2006 - 17h22

Ricaços despudorados - Mino Carta - Blog do Mino: 18/12/2006 17:41

Obrigado, senhores parlamentares - Gilberto Dimenstein - Folha Online: 19/12/2006

STF derruba reajuste de 91% a parlamentares - Folha Online: 19/12/2006 - 11h35

Em segundo julgamento, STF confirma suspensão de reajuste a parlamentares - Folha Online: 19/12/2006 - 13h20

CEBI oferece curso de Biblia por correspondência

Você sabia que o CEBI oferece um curso de Bíblia por correspondência?

Veja este trecho, que está no seu site:
O Curso de Bíblia por Correspondência destina-se àquelas pessoas que têm dificuldade em participar de encontros de formação oferecidos pelo CEBI. Embora o curso seja apresentado em linguagem acessível, ele não é um simples "abc" da Bíblia. Destina-se, portanto, a pessoas que buscam um aprofundamento maior. O curso é dividido em módulos e fascículos, que são enviados pelo correio. Concluído o estudo de um fascículo, o cursista responde às perguntas e envia sua elaboração escrita à equipe estadual, recebendo, em seguida, o fascículo seguinte. O curso aborda os seguintes temas (cont.)

Para saber mais sobre o CEBI e a leitura popular da Bíblia, leia aqui e aqui.

domingo, 17 de dezembro de 2006

The Catholic Biblical Quarterly - October 2006

Acabo de receber o número de outubro de 2006 da revista The Catholic Biblical Quarterly, publicada por The Catholic Biblical Association of America.

Este é o n. 4 do volume 68, o último número do ano. São 5 artigos e 88 páginas de resenhas, cada uma com cerca de página e meia.


Os quatro números de 2006 totalizaram mais de 800 páginas de texto.

Estudos Biblicos 91 analisa textos de Jeremias

Coordenado por Milton Schwantes, o n. 91 da revista Estudos Bíblicos os capítulos 37-45 do livro do profeta Jeremias. São 17 textos curtos, onde autores e autoras analisam estes capítulos que dizem respeito aos últimos anos da vida do profeta, sob os governos de Sedecias e de Godolias.

No final há uma bibliografia que aponta 48 livros e artigos sobre Jeremias, com predominância de publicações em português.

Os textos podem ser úteis para estudo em comunidades e para alunos de graduação em Teologia.

Confirma-se, por outro lado, a tendência bem arraigada no país, quando se lida com as origens de Israel, de parar nas propostas de Gottwald, feitas em publicação de 1979. Quem quiser ir além, clique aqui.

Aproveite a oportunidade e leia também as Perguntas Mais Freqüentes sobre o Profeta Jeremias.

Lula: o melhor Presidente do Brasil

Folha Online: 17/12/2006 - 10h11

Pesquisa aponta Lula como melhor presidente do país

Fernando Canzian - da Folha de S. Paulo
... Lula (...) é apontado espontaneamente por 35% dos entrevistados como o melhor mandatário que o Brasil já teve. O percentual equivale a praticamente o dobro da preferência obtida pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no final de 2002 (18%), quando o tucano encerrou seu segundo mandato. Na pesquisa atual, enquanto Lula tem 35%, FHC caiu para 12%. Os próximos mais bem avaliados são Juscelino Kubitscheck (11%), Getúlio Vargas (8%; 21% entre os com mais de 60 anos) e José Sarney (5%). Lula também encerra o primeiro mandato com 52% dos brasileiros considerando seu governo ótimo/bom, o maior patamar entre quatro presidentes avaliados pelo Datafolha desde a redemocratização. O melhor índice até aqui (53%) pertence ao próprio Lula, obtido às vésperas do 2º turno eleitoral de 2006 (cont.)

Em shevá contra shevá apenas um sobrevive

Você consegue pronunciar uma meia-vogal, uma semivogal? É algo assim como certas vogais pronunciadas em português de Portugal, que soam meio estranhas para ouvidos brasileiros, pois são muito rápidas ou, se preferir, curtas.

Pois em hebraico existe uma semivogal. Seu nome é shevá e consiste, na sua forma mais simples, de dois pontos colocados sob a consoante, como se fosse o nosso : Parece esquisito, mas o shevá serve para preencher o espaço vazio sob uma consoante desvocalizada (para quem já conhece, observo que a terminologia "vogal" aqui está sendo usada no lugar de "sinal massorético"). Este shevá simples tem um som rápido de "e" e aparece transliterado como um "e" sobrescrito.

Entretanto, no uso do shevá podem surgir muitos problemas. Considere a seguinte situação: em hebraico, uma sílaba é sempre composta por uma consoante e uma vogal (sílaba aberta, como em ba-na-na) ou por uma consoante, uma vogal e outra consoante (sílaba fechada, como em sol). E o que você faria se aparecessem dois shevás no início da palavra, um ao lado do outro - e aparecem - e você sabendo que uma sílaba não pode começar com duas consoantes sem vogal? O jeito é mudar pelo menos um shevá em vogal. Mas qual vogal ele tomaria emprestado? O hîreq qâton, que corresponde ao nosso "i", como na palavra "fino", e é representado em hebraico por um . debaixo da consoante.

Que tal ver isso em um filme? Pois é o que fez Chris Huff em sua página Designs by Chris. Veja The Shewa Fight.

Consulte também a Lev Software's Animated AlefBet Page. Nesta página você verá, também em animação, como devem ser escritas as consoantes do hebraico.

E, se tiver vontade de aprender um pouco de hebraico, faça o download de meu curso para iniciantes, gratuito, aqui.

sábado, 16 de dezembro de 2006

O Cilindro de Ciro e outras maravilhas

Quem quiser ver o Cilindro de Ciro, clique aqui.

Este famoso texto e outros artefatos persas podem ser vistos aqui, com explicação em português. São parte de uma exposição do Museu Britânico, feita no ano passado. O acontecido já é antigo, mas a beleza das peças compensa a visita.

Falando em beleza, em outra área, você já viu isto? Clique em Gallery e Picture Album...

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Jim, seu blog e seus muitos nomes

Para quem ficou confuso, como eu, e não quer perder a trilha, aí está a dica: o Jim está à procura de novo nome para seu biblioblog, de novo. Como diz Guimarães Rosa, a vida é um vago variado...

O "consolo" é que o endereço permanece, embora o blog tenha soletrado novos nomes. Clique aqui e não achará o blog do Jim [que foi completamente apagado em 2008].

domingo, 10 de dezembro de 2006

Pinochet e os anos de chumbo


A morte de Pinochet e a luta pela memória e pela história

Marco Aurélio Weissheimer - Carta Maior - 10/12/2006
A ditadura Pinochet não foi uma aberração isolada, “típica de uma república sul-americana”, como querem alguns. Os aliados que teve em vida, nomes como Henry Kissinger, Ronald Reagan, Margaret Thatcher e Milton Friedman, indicam em que contexto sua figura e seus atos foram possíveis (cont.)


1915-2006: Pinochet, uma marca sangrenta na história do Chile

Agência Ansa - 10/12/2006
Morto aos 91 depois de enfartar no Hospital Militar de Santiago, o general Augusto Pinochet enfrentava quatro processos por violação dos direitos humanos e outros dois por enriquecimento ilícito. Problemas de saúde retardaram andamento dos autos, impedindo julgamento do ditador (cont.)


Leia Mais:
Augusto Pinochet

sábado, 9 de dezembro de 2006

Hans Küng foi premiado na Alemanha

Pelo seu combate por uma melhor compreeensão entre as religões, o teólogo suíço Hans Küng recebeu o prêmio Lev Kopelev pela paz e os direitos humanos, na Alemanha. Presente à cerimônia, a ministra das Relações Exteriores, Micheline Calmy-Rey saudou o "intelectual engajado", enquanto Küng criticou a política dos Estados Unidos. Hans Küng, de 78 anos, foi premiado pelo seu "engajamento infatigável para uma melhor compreensão entre as grandes religões". O prêmio Lev Kopelev, que lhe foi entregue domingo (03/12), em Colônia, não tem qualquer dotação financeira. O teólogo católico foi lembrado também pelo seu projeto "Fundação Ética Planetária", fundado na idéia de que a paz entre as nações não é possível sem paz entre as religiões. Durante a cerimônia, Hans Küng fez uma crítica severa ao presidente George W. Bush. Qualificou a administração atual de "política neo-imperial e desrespeitosa, fundada em interesses, potência e prestígio". Bush ousa inclusive apresentar-se como Cristo mas, na realidade, pratica uma política dominadora que despreza os direitos humanos, afirmou o teólogo. Hans Küng falou ainda de "uma atitude militar agressiva, tratamento desumano dos prisioneiros de guerra, e violações em massa dos direitos humanos". Tudo isso levou a uma perda de credibilidade sem precedentes para os Estados Unidos, inclusive nos países aliados e amigos (swissinfo).

Leia Mais:
Hans Küng receives the Lew Kopelew Prize
Hans Küng – Theologe für den Frieden
Lew Kopelew Forum

quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

A campanha de Shosenq I na Palestina

Em 30 de dezembro de 2005 noticiei o lançamento do livro de Kevin A. Wilson no post The Campaign of Pharaoh Shoshenq I in Palestine.

Hoje, o autor, em seu biblioblog Blue Cord, nos comunica, em A Review of My Book, que uma resenha do livro acaba de sair na Review of Biblical Literature. Feita por Youri Volokhine, da Universidade de Genebra, Suiça. Em francês.

Philip Davies avalia o Congresso da SBL

The SBL is like a discotheque without the music...

Gostei desta frase. Que é parte do texto de Philip R. Davies, escrito para o biblioblog do Jim West, avaliando o recente Congresso da SBL.

Não perca a leitura de SBL Reflections: A Guest Column by Philip Davies [Obs.: vai ter que perder: blog apagado em 2008]

Philip Davies, professor emérito de Sheffield, todo mundo conhece, não? Na dúvida, confira aqui, aqui e aqui.

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

ITU Internet Report 2006: Digital.Life

A comunicação digital, pela internet ou pelo celular, se transformou na primeira mídia utilizada para lazer entre as pessoas de menos de 55 anos, ultrapassando a televisão, o rádio, jornais, revistas e o cinema, segundo os dados coletados pela UIT, União Internacional de Telecomunicações, ou, em inglês, ITU* - International Telecommunication Union, uma agência da ONU.

Não é o momento oportuno para debatermos quais seriam as conseqüências desta nova realidade para os estudos bíblicos? Penso tanto na produção quanto na comunicação, seja acadêmica ou popular...

Veja:
Celular e internet são as mídias mais usadas para o lazer, diz relatório
ITU Internet Report 2006: Digital.Life
ITU Telecom World 2006
ITU (também em francês e espanhol)

* The ITU - International Telecommunication Union - headquartered in Geneva, Switzerland is an international organization within the United Nations System where governments and the private sector coordinate global telecom networks and services.

Electronic Text Corpus of Sumerian Literature

Stephen L. Cook no seu biblioblog Biblische Ausbildung mencionou ontem o Electronic Text Corpus of Sumerian Literature (ETCSL) no post Neat Link: Quality Sumerian Texts On-Line. A informação no site diz que

"The Electronic Text Corpus of Sumerian Literature (ETCSL), a project of the University of Oxford [Faculty of Oriental Studies] comprises a selection of nearly 400 literary compositions recorded on sources which come from ancient Mesopotamia and date to the late third and early second millennia BCE. The corpus contains Sumerian texts in transliteration, English prose translations and bibliographical information for each composition. The transliterations and the translations can be searched, browsed and read online using the tools of the website".

Sobre a história do projeto, diz:
"Preparation of the corpus began at the University of Oxford in November 1997, supported by substantial funding from The Leverhulme Trust. The project team consisted of Dr Jeremy Black, Dr Graham Cunningham and Dr Gábor Zólyomi, with the continued collaboration of Dr Eleanor Robson. In 2001, the project secured a five-year grant from The Arts and Humanities Board. This generous grant made it possible to continue to expand and enhance the corpus, and also to take on board new project members. Funding for the ETCSL project came to an end in the summer of 2006. The project staff are now working on the Diachronic Corpus of Sumerian Literature".

Sobre este último site , o Diachronic Corpus of Sumerian Literature, noticiei recentemente aqui.

Para mais recursos sobre o sumério, confira a minha seção de Línguas do Antigo Oriente Médio em links comentados e a página Related Projects and Online Resources da Cuneiform Digital Library Initiative.

Outros recursos podem ser vistos na seção de Arqueologia do Antigo Oriente Médio. E uma visita ao índice do Observatório Bíblico aqui, vai lhe indicar tudo o que já foi escrito no blog sobre línguas do Antigo Oriente Médio.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

A Grammar of Biblical Hebrew, do Joüon

Acaba de sair uma nova edição da conhecida Gramática de hebraico bíblico de Paul Joüon. Mais uma vez atualizada por Takamitsu Muraoka. É uma gramática intermediária, recomendada para quem já tem um conhecimento básico do hebraico. Conheço-a bem, ainda em francês, dos tempos de Roma! Atualizei a citação na bibliografia de hebraico de minha página, como se pode ver clicando no link abaixo.

Onde Encontrar: Ayrton's Biblical Page > Bibliografia


domingo, 3 de dezembro de 2006

Quais os temas biblicos que mais lhe interessam?

Como explicado aqui, no dia 10 de novembro de 2006 a Ayrton's Biblical Page comemorou seus 7 anos de existência, e, nesta ocasião, coloquei para meus alunos duas questões:
Quais são os 4 temas que mais lhe interessam na Bíblia?
Quais são as três perguntas sobre Bíblia que você mais escuta na sua pastoral?

As respostas do Primeiro Ano de Teologia estão aqui e aqui.

Hoje vamos ao Segundo Ano de Teologia com a primeira pergunta: Quais são os 4 temas que mais lhe interessam na Bíblia?


De acordo com 19 dos 24 alunos do Segundo Ano de Teologia da FTCR da PUC-Campinas, que responderam à questão no dia 30.10.2006, os seus temas preferidos são os seguintes:
Apocalipse: 6
Cântico dos Cânticos: 1
Cartas de João: 1
Cartas de Pedro: 1
Criação: 3
Daniel:1
Decálogo: 1
Encarnação de Jesus: 1
Evangelhos: 4
Evangelhos canônicos e sua relação com os apócrifos: 1
Exílio: 1
Êxodo: 1
Fonte Quelle: 1
Fundamentalismo: 1
Gênero Literário: 1
História de Israel: 7
Idolatria: 1
Imperialismo: 1
Jesus Cristo hoje: 1
Jesus e sua relação com o movimento que ele inaugura: 1
Jesus Histórico: 4
Jesus Histórico x Cristo da fé: 1
Jó: 1
João: 3
Jonas: 1
Literatura apocalíptica: 2
Literatura Paulina: 6
Literatura Sapiencial: 3
Lucas: 1
Maria:1
Mensagem social: 1
Opção preferencial pelos pobres e sua fundamentação: 1
Profetismo – profecia - profetas: 7
Provérbios:1
Questões morais: 1
Salmos: 1
Salvação: 1
Sentido da cura: 1
Sermão da Montanha: 1
Sinais de Jesus em João: 1
Tobias: 1

Como se vê, há maior interesse por:
História de Israel - Profetismo: 7
Apocalipse – Literatura Paulina: 6
Evangelhos - Jesus Histórico: 4
Criação - João – Literatura Sapiencial: 3
Literatura Apocalíptica : 2
Os demais: 1

Ainda: nos 41 temas, citados em 76 respostas, 11 são de toda a Bíblia (citados 18 vezes), 13 são do AT (citados 23 vezes) e 17 são do NT (citados 35 vezes).


No CEARP, por sua vez, no dia 27.10. 2006, os temas preferidos pelos 14/14 alunos do Segundo Ano de Teologia, seguidos pela freqüência das respostas, aqui colocados em ordem alfabética, foram os seguintes:
Antropologia: 1
Apocalipse: 3
Apocalíptica:1
Atos dos Apóstolos: 2
Contexto histórico do surgimento de cada livro: 1
Criação: 3
Dons do Espírito em 1Cor 12-14: 1
Evangelhos: 7
Formação da Bíblia: 1
Isaías: 1
Jesus Histórico: 5
João: 1
Leitura sociológica: 1
Literatura Paulina: 3
Literatura Sapiencial: 4
Livros Históricos: 1
Maria: 2
Midrashes: 1
Mistagogia: 1
Narrativas de destruição e catástrofes: 1
Palestina do século I d.C.: 1
Parábolas: 2
Pentateuco: 1
Personagens bíblicos: 1
Profetismo – profecia - profetas: 7
Salmos: 1
Simbolismo: 2

Como se vê, há maior interesse por:
Evangelhos - Profetismo: 7
Jesus Histórico: 5
Literatura Sapiencial: 4
Apocalipse – Criação – Literatura Paulina: 3
Atos dos Apóstolos – Maria- Parábolas - Simbolismo: 2
Os demais: 1

Finalmente, dos 27 temas, citados em 56 respostas, 10 são de toda a Bíblia (citados 11 vezes) , 7 são do AT (citados 18 vezes) e 10 são do NT (citados 27 vezes).

Pelo menos uma observação pode ser feita: no Segundo Ano de Teologia há forte preferência pelo profetismo e pelos profetas. Ora, isso se explica facilmente: a Literatura Profética é estudada no primeiro semestre e os profetas exílicos e pós-exílicos são estudados no segundo semestre na Literatura Pós-Exílica.

Mas, no conjunto, prevalece a esperada preferência pelo Novo Testamento.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

Biblical Studies Carnival XII at Dr Jim West

Desta vez foi Jim West quem organizou e hospedou a seleção dos melhores posts do mês passado no Biblical Studies Carnival XII. Seu texto tem ótima abrangência, comentários jocosos e inteligentes, além de uma divisão de assuntos bastante criativa.

Mas nem todo biblioblog está forte, ativo e vivo. Jim criou até um "biblioblogtuário" com os biblioblogs que estão no bilim-bilim ou que já passaram desta para a melhor! Veja: Biblioblog-tuaries - Sad Passings from the Biblioblogosphere... Ah, um biblioblog, quando vai espaçando as postagens, fica amarelo, com aquele amarelamento de palha, e a "véia" só conferindo o corte da foice!

Ainda bem que são poucos, a maioria está em grande forma. Não perca a oportunidade de ver reunidos em um só lugar, a um clique de mouse, os melhores textos sobre estudos bíblicos que eles (nós!) - os teimosos - escrevem(os).

Biblioblogueiro de dezembro de 2006: Loren Rosson III

Brandon Wason, em Biblioblogs.com, entrevista desta vez Loren Rosson III, autor do biblioblog The Busybody, escolhido como o biblioblogueiro do mês de dezembro de 2006.

Loren Rosson III, norte-americano, é de Nashua, New Hampshire, e trabalha na Nashua Public Library (Biblioteca Pública de Nashua). Como explica na entrevista, interessou-se pela Bíblia quando estudou com Richard Rohrbaugh, do Context Group, cujas publicações podem ser vistas aqui.