sábado, 1 de abril de 2006

Quer conhecer a História de Israel? Proponho pequena orientação bibliográfica

Até meados da década de 70 do século XX, havia um razoável consenso quando se falava de História de Israel. Mas a História de Israel está mudando. O consenso foi rompido. A paráfrase racionalista do texto bíblico que constituía a base dos manuais de História de Israel não é mais aceita por todos os especialistas. A arqueologia ampliou suas perspectivas, o conhecimento das fontes extrabíblicas melhorou, enquanto que o uso de métodos literários mais sofisticados para explicar os textos bíblicos afasta-nos cada vez mais do gênero histórico, convidando-nos a abordar as ‘estórias bíblicas’ com outros olhares.

Por isso, quero propor aqui algumas pistas de leitura para os interessados no assunto, considerando minha experiência de 34 anos como professor de História de Israel. Todos os recursos indicados estão na Ayrton's Biblical Page. A bibliografia está comentada.

Algumas obras estão em português, ou porque foram escritas no Brasil, ou porque, em sua maior parte, foram traduzidas de autores europeus ou norte-americanos. Mas boa parte da bibliografia mais recente ainda não foi traduzida e está em inglês, alemão, italiano, francês ou espanhol. É proverbial entre nós a demora em traduzir textos importantes para os estudos bíblicos, além do que, certas traduções são pouco confiáveis, pela baixa qualidade apresentada.


E aí surge uma freqüente reclamação de quem se aproxima deste tipo de estudo: mas é preciso ler tantas línguas? Certamente sim. Ou pelo menos algumas delas. Reclamação que é, às vezes, descabida, pois quem quer entender a Bíblia para valer, precisará começar a aceitar o fato de que as línguas bíblicas, fundamentalmente o hebraico bíblico e o grego do Novo Testamento, pelo menos, são de inegável importância.

O outro ponto é: como língua de países pobres ou apenas emergentes, embora reconhecida como língua culta e com milhões de falantes, o português é (ainda) uma língua bastante desconhecida nos meios acadêmicos e editoriais do primeiro mundo.


Por outro lado, como língua da nação dominante, o inglês produz ou traduz quase tudo o que existe na área bíblica, sendo, nesta matéria, seguido de perto pelo alemão, por serem os países falantes desta língua pioneiros nos estudos bíblicos, campo no qual, especialmente a Alemanha, continua fortíssima.


Eu diria que um bom exegeta, um acadêmico, lê ou deveria ler, aqui no Brasil, pelo menos dez línguas, somadas as bíblicas e as modernas. E a maioria de meus professores europeus lia em torno de quinze línguas. Contudo, vamos simplificar: se o estudante de Bíblia investir no estudo do hebraico bíblico, do grego do NT e do inglês, já estará minimamente aparelhado para começar a conhecer com consciência crítica o mundo bíblico e seus textos.

Mas vamos às indicações.

Em primeiro lugar, vá para a introdução de meu artigo A História de Israel no Debate Atual para conhecer de modo mais detalhado a problemática que hoje envolve o estudo da História de Israel. Se desejar ampliar a visão do assunto, a leitura de todo o artigo pode ser uma boa indicação.

Em seguida, veja a bibliografia comentada em português e inglês, com alguma coisa em italiano e alemão, que está em Bibliografia > História de Israel. Aqui apresento apenas livros.

Para os artigos, recomendo, em primeiro lugar, os que podem ser acessados via Internet e que estão indicados ao longo dos textos A História de Israel no Debate Atual e Pode uma 'História de Israel' Ser Escrita? (neste último, com muitas indicações aqui). Estes textos estão, em geral, em inglês. Textos confiáveis em português podem ser encontrados apenas em revistas impressas, especialmente na Estudos Bíblicos e RIBLAAcesse também a Ribla online em espanhol.

Para conhecer a História da Palestina no século I d.C. e o mundo em que surgiram os escritos do Novo Testamento, os recursos estão indicados em Bibliografia > Mundo do Novo Testamento, também em português e inglês.

Para os estudos sobre o Jesus Histórico, assunto da maior relevância, recomendo uma consulta à Bibliografia > Jesus Histórico e à bibliografia que está no final da apresentação do livro de Richard A. Horsley, Jesus e o Império e que pode ser consultada aqui.

Outra boa fonte de informação sobre a História de Israel e os estudos bíblicos em geral são as listas de discussão via e-mail (mailing-lists), como, por exemplo, a ANE-2 e a Biblical Studies (ambas em inglês), cujos arquivos podem ser consultados por qualquer pessoa interessada. Outra opção é se inscrever nestas listas e similares e participar do debate.

Por último, mas não de menor importância, recomendo os blogs sobre estudos acadêmicos da Bíblia ou, como se convencionou chamar, os biblioblogs. Quem não estiver suficientemente familiarizado com os blogs, pode, por exemplo, ver a breve explicação que coloco aqui, seguida por uma lista de cerca de 300 biblioblogs. Este post que você está lendo faz parte de minha tentativa de produzir um biblioblog, o Observatório Bíblico, anexo e "afiliado" à minha página principal, porém mais flexível quanto aos assuntos tratados. Na lateral direita do blog há uma razoável lista de biblioblogs que considero importantes e que leio todos os dias.

Todo blog tem uma lista dos principais blogs que o blogueiro lê todos os dias. Passeando de blog em blog, você acaba ampliando sua visão deste fenômeno que hoje é uma das grandes manias da Internet.

Mas, volto ao alerta do começo: a grande maioria dos biblioblogs está em inglês e estes são de exegetas ou estudantes de pós-graduação em Bíblia que vivem em países de língua inglesa, como os Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália, Nova Zelândia...

Bom proveito.

Atualização: 29/06/2013 - 10h50
Veja uma bibliografia atualizada para o estudo de História de Israel aqui, aqui, aqui e aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário