quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

CBQ - Catholic Biblical Quarterly de outubro: considerações sobre profetas e sacerdotes

Acabo de receber o número 4, de outubro de 2005, do volume 67 da CBQ - the Catholic Biblical Quarterly. O último do ano, e traz seis artigos:

Sara R. Johnson, Novelistic Elements in Esther: Persian or Hellenistic, Jewish or Greek?
Craig E. Morrison, The "Hour of Distress" in Targum Neofiti and the "Hour" in the Gospel of John
John Clabeaux, The Story of the Maltese Viper and Luke's Apology for Paul
John Fotopoulos, Arguments Concerning Food Offered to Idols: Corinthian Quotations and Pauline Refutations in a Rhethorical Partitio (1 Corinthians 8:1-9)
Terrance Callan, The Syntax of 2 Peter 1:1-7
David J. Downs, "Early Catholicism" and Apocalypticism in the Pastoral Epistles.

Na seção Biblical News há um Report of the Sixty-eighth International Meeting of the Catholic Biblical Association of America, realizada de 6 a 9 de agosto de 2005, na Saint John's University and Abbey, Collegeville, Minnesota. Entre outras coisas, chamou-me a atenção a prestação de contas de Linda Day, editora da revista, sobre a CBQ em 2004: 67 artigos foram recebidos pela revista, dos quais 21 foram aceitos, 28 recusados e 18 ainda estão sendo analisados. Em 2005 a revista publicou 208 resenhas de livros.

Das Resenhas, por enquanto, duas obras analisadas chamaram minha atenção. A primeira foi:

Lester L. GRABBE and Alice Ogden BELLIS (eds.), The Priests in the Prophets: The Portrayal of Priests, Prophets and Other Religious Specialists in the Latter Prophets, London: T & T Clark, 2005. Pp. xii + 230 (o preço é absurdo, como é de praxe nesta editora: $120). Este volume traz 11 ensaios que foram apresentados no encontro da SBL de 2002, realizado em Toronto, ocasião em que o grupo dedicado ao tema "Textos Proféticos e seus Antigos Contextos" (Prophetic Texts and Their Ancient Contexts), discutiu o assunto do título.

Lester L. Grabbe, na "Introdução", sintetizou as posições dos autores sobre o assunto debatido em 4 direções: 1. a natureza do antagonismo, sustentado por muitos especialistas, entre sacerdotes e profetas; 2. o lugar (ou função) do sacerdote nas sociedades israelita e judaíta; 3. a relação dos profetas com o culto; 4. a relação dos sacerdotes com adivinhos, profetas e intelectuais. A resenha foi feita por Dale Launderville, St. John's University, Collegeville, MN, que no final recomenda a obra para as bibliotecas, talvez por seu preço abusivo!

Na página da editora T & T Clark, há a seguinte descrição da obra:

Since at least the 19th century Hebrew Bible scholarship has traditionally seen priests and prophets as natural opponents, with different social spheres and worldviews. In recent years several studies have started to question this perspective. The Priests in the Prophets examines how the priests are portrayed in the Latter Prophets and analyzes the relationship between priests and prophets. The contributors also provide insights into the place of priests, prophets, and some other religious
specialists in Israelite and Judean society in pre-exilic and post-exilic times.

Ou seja: estaria ocorrendo, nos últimos anos, uma mudança da postura, assumida pelos especialistas desde o século XIX, sobre a relação entre sacerdotes e profetas como oponentes naturais. Nos últimos anos, muitos estudos começaram a questionar esta perspectiva...

Li também duas outras resenhas sobre o livro e que foram publicadas pela Review of Biblical Literature.

A de Jacob L. Wright, da Universidade de Heidelberg, Alemanha, publicada em 09 de julho de 2005, que assim termina seu texto:

That the prophets' criticism of the cult was directed at the incumbents of the priestly office, not the office itself, has been forcefully argued from a wide range of perspectives in this volume. After reading it, I am once again impressed by the need for more research on the place of the Jerusalem temple in the politics and economy of Judah during the Babylonian, Persian, and Hellenistic periods. This research is indeed indispensable to our ongoing attempt to appreciate the social and religious factors that motivated the prophets' criticisms of the priests.

A de Henrietta L. Wiley, Denison University, Granville, OH, USA, publicada em 17 de dezembro de 2005 e que diz, ainda no começo de seu texto:

Most of the questions that these authors address pertain to the history of Israelite religious life. What were historical characteristics of the roles of priest and prophet? How did they interact? To what historical realities of cultic politics and public worship are the authors of the prophetic books responding? Some pieces address these issues as they relate to specific passages in prophetic literature, while others concern themselves with the role of prophets in general vis-à-vis the cult. Among those in the latter category, a number address the idea that there was bitter antagonism between priests and prophets. This notion has dominated Protestant scholarship for decades, if not centuries, with the claim that prophets of Yahweh preached a religion of ethics against priestly legalism and ritualism that sought not to serve Yahweh but to imitate the imitate Israel’s pagan neighbors. Several of the authors in this volume refute this claim quite nicely.

Bom, como gosto de estudar o profetismo bíblico, é algo que devo tomar como uma "provocação" a ser considerada. "Oponentes naturais" eu não diria, mas continuo a ver, em muitos profetas, uma crítica muito profunda ao modo como o sacerdócio era exercido em Betel, em Jerusalém e, talvez, em outros lugares...

Por outro lado, concordo com Jacob L. Wright, quando ele diz que é necessário aprofundarmos o conhecimento sobre a função do Templo de Jerusalém na política e na economia de Judá durante as épocas babilônica, persa e helenística. O conhecimento destes elementos é fundamental para que possamos avaliar os fatores sociais e religiosos que motivaram a crítica dos profetas aos sacerdotes.

A segunda resenha que me chamou a atenção foi:

Louise J. LAWRENCE and Mario I. AGUILAR (eds.), Anthropology and Biblical Studies: Avenues of Approach, Leiden: Deo, 2004. Pp. 324 $29.95 (resenha feita por John J. Pilch, Georgetown University, Washington, DC).

Isto tem a ver com minha proposta de leitura sócio-antropológica dos textos bíblicos. Mas o comentário desta obra fica para outra ocasião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário