domingo, 7 de fevereiro de 2016

Apócrifos cristãos

e-Clavis: Christian Apocrypha

The Death of Simon Magus from the Nuremberg Chronicle (or Liber Chronicarum), 1493

e-Clavis: Christian Apocrypha is a comprehensive bibliography of Christian Apocrypha research assembled and maintained by members of the North American Society for the Study of Christian Apocryphal Literature (NASSCAL). Entries for each text include a detailed description (a summary, the various titles used in scholarship, clavis numbers, and identification of related literature), an inventory of manuscript sources (with online images where available), an extensive bibliography (including online resources), and information about the text’s use in iconography and popular culture.
 
e-Clavis: Christian Apocrypha was developed by Mark Glenn Bilby, Tony Burke, and Bradley Rice.

Veja um exemplo: Infancy Gospel of Thomas

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Philip R. Davies: o cânon hebraico e a política

Novo artigo de Philip R. Davies na revista online The Bible and Interpretation, publicado em fevereiro de 2016:

The Hebrew Canon and Politics

Diz:
This paper was prepared for a seminar held at the Centre for Advanced Research in Oslo on April 29th 2015, convened by Prof. Terje Stordalen. I am grateful to the scholars present for their comments. The arguments should be seen as a development of those formulated in my Scribes and Schools: The Canonization of the Hebrew Scriptures. Louisville: Westminster John Knox Press, 1998, 224 p. - ISBN 9780664220778.

No texto, leio:
There are reasons why we should pay attention to politics... Politics, in short, was their profession of the canon-makers... Nothing new, then, is being claimed. The integration of religion and politics, with formal theology as one of the mechanisms, was characteristic of the cultures of the ancient Near East... I approach canon, then, with the premise that religion and politics in the world of first millennium BCE Palestine were two aspects of the one perception of reality and of the arts of politics, and that the scribal profession articulated this synergy in the form of theologies or mythologies, just as the priests did physically in their liturgy, the temple itself being the portal between the two worlds... Finally: does this canon continue to have a political role in the modern world?

Philip R. Davies: Chair, Palestine Exploration Fund - Emeritus, University of Sheffield, England - February 2016

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Busca no site

Uma dica para os visitantes de meu site a respeito da busca personalizada do Google.

:. Se o visitante estiver procurando alguma coisa apenas na Ayrton's Biblical Page e/ou no Observatório Bíbico, deve utilizar a busca da Ayrton's Biblical Page.

:. Se, entretanto, estiver procurando algo da área bíblica em mais fontes, deve utilizar a busca do Observatório Bíblico.

Pois ali, além de minha página e blog, estão cadastrados cerca de 200 blogs de estudos bíblicos.

Basicamente todos os biblioblogs da Complete List of Biblioblogs, atualizada em 06.01.2016.

Com cerca de uma dezena de acréscimos meus.

Morreu o professor Afonso Maria Ligorio Soares

No dia 24 de janeiro de 2016, morreu, de infarto, o Prof. Dr. Afonso Maria Ligorio Soares (10/10/1960-24/01/2016).

Foi Presidente da SOTER de 2007 a 2010.

Leio no blog Bíblico-Teológico: Morre Afonso Maria Ligorio Soares, Teólogo e Cientista da Religião

Prof. Dr. Afonso Maria Ligorio Soares era conhecido pela sua dedicação à pesquisa, seu espírito ecumênico e sua acessibilidade como ser humano.

Afonso Maria Ligorio Soares, Professor Livre-Docente (2009) do Departamento de Ciência da Religião da Faculdade de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), Doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo-UMESP (2001), com pós-doutorado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio, 2005). É mestre em Teologia Fundamental pela Pontifícia Universidade Gregoriana (Roma, 1990). Como Professor Associado da PUC/SP, leciona e pesquisa no Programa de Estudos Pós-graduados em Ciências da Religião. Foi Chefe do Departamento de Teologia e Ciências da Religião da PUC/SP (2007-2009), exerceu mandato trienal (2007-2010) como Presidente da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião do Brasil (SOTER) e foi Vice-presidente da INSeCT-International Network of Societies for Catholic Theologies (Chicago/EUA, 2008-2011).

Leia a notícia completa. Veja seu Currículo Lattes.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Biblical Studies Carnival 119

Seleção de postagens dos biblioblogs em janeiro de 2016.

Biblical Studies Carnival CXX*

Trabalho feito por Tim Bulkeley em seu biblioblog Sansblogue.

E há também The Avignonian Carnival: the January Term at Ming Hua Theological College Edition. By Jim West.


 
* Posso estar enganado, mas o número correto deste Biblical Studies Carnival deveria ser 119 (CXIX) e não 120 (CXX). É que na Biblical Studies Carnival List de The Biblioblog Top 50 foi omitido um número, o 98.

Lá está: Biblical Studies Carnival XCVII (Bob McDonald, Dust – March 2014) - ou seja, 97.

Seguido por: Biblical Studies Carnival XCIX (Jim West, Zwinglius Redivivus – April 2014) - ou seja, 99.

98 (XCVIII) seria o correto. Salvo engano, repito.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Lições de Esopo e Fedro: o lobo e o cordeiro


Fábulas, com frequência, satirizam pessoas e grupos políticos que usam seu poder para oprimir os mais fracos.

Esopo

Λύκος καὶ ἀρήν

Λύκος θεασάμενος ἄρνα ἀπό τινος ποταμοῦ πίνοντα, τοῦτον ἐβουλήθη μετά τινος εὐλόγου αἰτίας καταθοινήσασθαι. Διόπερ στὰς ἀνωτέρω ᾐτιᾶτο αὐτὸν ὡς θολοῦντα τὸ ὕδωρ καὶ πιεῖν αὐτὸν μὴ ἐῶντα. Τοῦ δὲ λέγοντος ὡς ἄκροις τοῖς χείλεσι πίνει καὶ ἄλλως οὐ δυνατὸν κατωτέρω ἑστῶτα ἐπάνω ταράσσειν τὸ ὕδωρ, ὁ λύκος ἀποτυχὼν ταύτης τῆς αἰτίας ἔφη· "Ἀλλὰ πέρυσι τὸν πατέρα μου ἐλοιδόρησας." Εἰπόντος δὲ ἐκείνου μηδὲ τότε γεγενῆσθαι, ὁ λύκος ἔφη πρὸς αὐτόν· "Ἐὰν σὺ ἀπολογιῶν εὐπορῇς, ἐγώ σε οὐχ ἧττον κατέδομαι."

Ὁ λόγος δηλοῖ ὅτι οἷα ἡ πρόθεσίς ἐστιν ἀδικεῖν, παρ' αὐτοῖς οὐδὲ δικαία ἀπολογία ἰσχύει.

  


Le Loup et L’agneau

Un loup, voyant un agneau qui buvait à une rivière, voulut alléguer un prétexte spécieux pour le dévorer. C’est pourquoi, bien qu’il fût lui-même en amont, il l’accusa de troubler l’eau et de l’empêcher de boire. L’agneau répondit qu’il ne buvait que du bout des lèvres, et que d’ailleurs, étant à l’aval, il ne pouvait troubler l’eau à l’amont. Le loup, ayant manqué son effet, reprit : « Mais l’an passé tu as insulté mon père. — Je n’étais pas même né à cette époque, » répondit l’agneau. Alors le loup reprit : « Quelle que soit ta facilité à te justifier, je ne t’en mangerai pas moins.»

Cette fable montre qu’auprès des gens décidés à faire le mal la plus juste défense reste sans effet.

Fonte: Fables d’Ésope. Texte établi et traduit par Émile Chambry. Paris, 1927.



O Lobo e o Cordeiro

Um lobo, ao ver um cordeiro bebendo de um rio, resolveu utilizar-se de um pretexto para devorá-lo. Por isso, tendo-se colocado na parte de cima do rio, começou a acusá-lo de sujar a água e impedi-lo de beber. Como o cordeiro dissesse que bebia com as pontas dos beiços e não podia, estando embaixo, sujar a água que vinha de cima, o lobo, ao perceber que aquele pretexto tinha falhado, disse: “Mas, no ano passado, tu insultaste meu pai”. E como o outro dissesse que então nem estava vivo, o lobo lhe disse: “Qualquer que seja a defesa que apresentes, eu não deixarei de comer-te”.

A fábula mostra que, ante a decisão dos que são maus, nem uma justa defesa tem força.

Fonte: Esopo, Fábulas Completas. Tradução do grego de Neide Smolka. São Paulo: Moderna, 2005.

:. Esopo viveu na Grécia no século VI a.C.


 
Fedro

Lupus et Agnus

Ad rivum eundem lupus et agnus venerant, siti compulsi. Superior stabat lupus, longeque inferior agnus. Tunc fauce improba latro incitatus iurgii causam intulit; 'Cur' inquit 'turbulentam fecisti mihi aquam bibenti?' Laniger contra timens 'Qui possum, quaeso, facere quod quereris, lupe? A te decurrit ad meos haustus liquor'. Repulsus ille veritatis viribus 'Ante hos sex menses male' ait 'dixisti mihi'. Respondit agnus 'Equidem natus non eram'. 'Pater hercle tuus' ille inquit 'male dixit mihi'; atque ita correptum lacerat iniusta nece.

Haec propter illos scripta est homines fabula qui fictis causis innocentes opprimunt. 

Fonte: The Latin Library

:. Fedro viveu em Roma no século I d.C.

Leia Mais:
'O Lobo e o Cordeiro' e 'A Raposa e as Uvas': uma leitura comparada  - Fedro, Esopo, La Fontaine, Monteiro Lobato e Millôr Fernandes (Márcio Luiz Moitinha Ribeiro e Marcos André Menezes dos Santos)
A lição de Esopo: os bens e os males

A lista de biblioblogs foi atualizada

A lista de biblioblogs de The Biblioblog Top 50 foi atualizada agora em janeiro. Confira Complete List of Biblioblogs. É a lista mais completa que conheço.

Observo que há outros itens interessantes neste blog, como as quarenta e poucas entrevistas com os biblioblogueiros, de 2005 a 2009, e a Biblical Studies Carnival List de 2005 até hoje.


Diz o post de 6 de janeiro de 2016:

The Complete List of Biblioblogs has just been updated! So now is a good opportunity to check out any biblical studies blogs which you haven’t seen before (January 6, 2016).


Sobre a lista:

This is a list of currently active biblioblogs (Biblical Studies Blogs).

“Biblioblogs” are blogs which deal primarily with matters concerning academic biblical studies. While this is the most useful, most up-to-date and best list of biblical studies blogs available, it is not “official” or “authoritative”, and we can only aim to be complete. If you know of any blog which should be added to this list, please contact biblioblogtop50 [at] yahoo.com.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Paulo de Tarso, Marx e a crítica da lei

HINKELAMMERT, F. J. A maldição que pesa sobre a lei: as raízes do pensamento crítico em Paulo de Tarso. São Paulo: Paulus, 2012, 328 p. - ISBN 9788534934169.
A maldição que pesa sobre a lei


No âmago deste livro se encontra a análise da presença de Paulo em Marx e a crítica da lei feita por Paulo. A estrutura da crítica da lei de Paulo e a de Marx são semelhantes. A lei a que ambos se referem tem um núcleo comum: em Paulo, é a lei romana; em Marx, a lei do mercado. Organizada em três partes, a obra tem dez capítulos.


O original, em espanhol, é: La maldición que pesa sobre la ley: las raíces del pensamiento crítico en Pablo de Tarso. 2. ed. ampliada. San José de Costa Rica: Editorial Arlekín, 2013, 343 p. - ISBN 9789977831633 [primeira edição: 2010].
La maldición que pesa sobre la ley
 

No Prólogo do livro, na primeira edição, em espanhol, diz Hinkelammert:

En el presente libro este análisis de la presencia de Pablo en Marx es el centro del conjunto de los artículos presentados.

En el centro de este conjunto, sin embargo, están dos capítulos, que se refieren al análisis de Pablo. Uno con el título “El juego de las locuras” y el otro siguiente “La maldición que pesa sobre la ley”. Ambos forman una unidad de análisis, en cuyo centro se encuentra la crítica de la ley de parte de Pablo.

Del análisis de estos dos capítulos resulta que, efectivamente, el pensamiento de Pablo está presente en toda la crítica de la ley que hace Marx. La estructura de la crítica de la ley de Pablo y la de Marx resultan idénticas. Eso se hace evidente en el análisis de la carta de los romanos. La ley a la cual ambos se refieren tiene un núcleo común: en Pablo es la ley romana; en Marx, la ley del código civil. Para los efectos de la crítica de la ley no se distinguen.

Podemos mencionar dos elementos claves de esta crítica.

Primero: Se trata del concepto de pecado que Pablo tiene. Pablo distingue entre el pecado y los pecados. Los pecados violan la ley. Sin embargo, el pecado se comete cumpliendo la ley. Y este es el pecado del cual Pablo trata en su crítica de la ley. Este concepto básico es también la base de la crítica de la ley de parte de Marx. Marx amplía esta crítica de la ley hacia la crítica de la ley del valor como ley de los mercados. Su crítica es la denuncia de la opresión y la explotación, que aparecen al ser cumplida la ley. Por tanto, los denuncia como crímenes que se cometen cumpliendo la ley. Son crímenes protegidos por los aparatos de justicia y de la policía. Eso es el centro de la crítica del capitalismo de parte de Marx. Sin embargo, la argumentación es la misma que en Pablo.

Segundo: Pablo denuncia la ley en cuanto se considera el cumplimiento de la ley como la justicia. El pecado ya en Pablo conlleva un problema ideológico. Quien considera la justicia como resultado del cumplimiento de la ley, produce la injusticia. La ley, al ser considerada su cumplimiento como instrumento de la justicia, se transforma en su contrario: según las palabras de Pablo, siendo ley de Dios se transforma en ley del pecado. El crimen que se comete aparece ahora como resultado de la propia justicia. Este mismo fenómeno aparece en el análisis de Marx y lo llama el fetiche o el fetichismo. Su concepto de ideología se basa en esta teoría del fetichismo. Al considerar el cumplimiento de la ley y, por tanto, de la ley del valor como acto de justicia, los crímenes que se cometen en cumplimiento de la ley ya no parecen ser crímenes sino sacrificios necesarios del progreso.

Estos dos elementos son la clave de la crítica de la ley y resulta bastante obvio que la crítica de la ley de parte de Pablo es una prefiguración – un Bild – de la crítica de la ley que Marx va a hacer. Por eso Marx no hace una copia, sino un desarrollo hacia una universalidad que otra vez va más allá del propio Pablo. Pero la raíz está en Pablo.

Sin embargo, hay una gran diferencia entre las posiciones de Pablo y de Marx. Esta se hace presente en sus concepciones de la solución...


Uma apresentação da obra, feita por Hugo Amador Herrera Torres, em espanhol, pode ser lida em:

HERRERA TORRES, H. A. La maldición que pesa sobre la ley: Las raíces del pensamiento crítico en Pablo de Tarso. Argumentos, México, v. 27, n. 75, p. 249-253, 2014.


Quem é Franz J. Hinkelammert? Confira aqui e aqui.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Ainda algumas fotos dos 92 anos de papai

A caminho de Patos de Minas: Rio Grande em Rifaina, SP
Rio Grande em Rifaina, SP - 14.01.2016

Rio Grande na divisa de SP com MG em Rifaina - 14.01.2016
Rio Grande em Rifaina, SP


Ponte sobre o Rio Grande na divisa de SP com MG
A caminho de Patos de Minas: ponte sobre o Rio Grande

Passando por atoleiro na estrada de Alagoas em 16.01.2016
Enfrentando atoleiro na estrada de Alagoas

Chegou um novo "fazendeiro" em Patos de Minas
Um novo "fazendeiro" em Patos de Minas


O Rio Paranaíba começou a transbordar - 20.01.2016
Rio Paranaíba, em Patos de Minas, bem cheio - 20.01.2016


Mais fotos dos 92 anos de José Nicolau

Fazenda onde mora minha irmã Sônia
Fazenda onde mora minha irmã Sônia - 15.01.2016

Waldemar, marido da Sônia, tirando leite
Waldemar, marido da Sônia, tirando leite





Na casa da Sônia e do Waldemar em 15.01.2016
Na casa da Sônia e Waldemar em 15.01.2016

Na casa de meu irmão Geraldo
Na casa de meu irmão Geraldo e sua esposa Gracinha


Rita e eu no fogão a lenha na casa de meu irmão Geraldo
Rita e eu no fogão a lenha na casa de meu irmão Geraldo

Geraldo e eu no fogão a lenha
Geraldo e eu no fogão a lenha em 15.01.2016


José Nicolau, meu pai: 92 anos

No dia 16 deste mês de janeiro, José Mariano da Silva, meu pai, mais conhecido como José Nicolau, ou "seo" Zé Nicolau, completou 92 anos de vida.

Desta vez não houve comemoração, como em 2014 e 2015. Esta será feita provavelmente em maio na casa nova que ele está construindo na fazenda.

Mas nós, filhos de "seo" Zé Nicolau, fomos almoçar com ele no sábado, dia 16. Rita e eu chegamos a Patos de Minas no dia 14 e ficamos até dia 17. Como nos outros anos, Geraldo, meu irmão, e Gracinha, sua esposa, gentilmente nos acolheram em sua casa.

Parabéns, papai, por seus 92 anos de vida!

Algumas fotos [veja também as fotos das comemorações dos 90 e 91 anos]:

José Nicolau, meu pai, em 16 de janeiro de 2016
José Nicolau em 16.01.2016: 92 anos



José Nicolau contando casos antigos após o almoço em 16.01.2016
José Nicolau, 92 anos, contando casos antigos da roça



José Nicolau contando casos antigos, após o almoço em 16.01.2016
José Nicolau, em sua casa, contando casos antigos


José Nicolau com 7 de seus 9 filhos no dia 16.01.2016
José Nicolau com 7 de seus 9 filhos


José Nicolau, meu pai, batendo pasto em junho de 2015
José Nicolau, meu pai, batendo pasto em junho de 2015

A casa nova de José Nicolau está quase pronta
A casa nova de José Nicolau está quase pronta